Total de visualizações de página

segunda-feira, 19 de junho de 2017

BELVEDERE DO GRINFO




O local das fotos de hoje é conhecido e familiar, muitos conhecem, outros já pararam aí, mas as informações são poucas. Vemos o Belvedere do Grinfo. Quem é o autor do projeto? Qual a data exata da inauguração? Desde quando está abandonado? Qual é o seu futuro?

A primeira foto do Belvedere da Estrada Rio-Petrópolis é do acervo do Rouen. A arquitetura desta construção é a conhecida como “pé de palito”.  Construído no final da década de 50, o Belvedere fica no km 89 da rodovia, na pista sentido Rio de Janeiro. O Belvedere foi inaugurado na década de 1960 para sediar um restaurante, o Disco, logo após a abertura da nova pista. Na época o restaurante era bastante movimentado, quase uma parada obrigatória para quem trafegava na Rio-Petrópolis. Consta que D. Helena Pavelka, durante certo tempo alugou este local para a excelente Casa Pavelka.

A segunda foto, de 1959, é do acervo da família Soares Leite, do ilustre, competente e saudoso obstetra Dr. Laércio. É dos bons tempos em que havia segurança para parar no Belvedere e apreciar a paisagem que se descortinava dali. Tinha tudo para dar certo, mas não deu. Lindo local, vista deslumbrante, farto estacionamento, infra-estrutura completa para restaurante, etc.

A terceira foto, do início da década de 70, é do acervo do desaparecido comentarista Manolo. Chegado há pouco ao Rio de Janeiro, apaixonado pelo Rio, explorava os arredores da cidade (reparem a moda da época com as calças “boca de sino”.

PS: o projeto lembra o MAC – Museu de Arte Contemporânea, em Niterói, construído na década de 90 com projeto de Oscar Niemeyer.

12 comentários:

  1. A foto colorida, do Roeun, é de 1964 em diante, datada pela presença bem rara de um DKW-Fissore. Uma Kombi Furgão, estacionada ao lado do Aero-Willys 2600, talvez fosse da administração do restaurante. Fui lá algumas vezes, pois era convidativo e meu pai estacionou tanto o Skoda, quanto a Vemaguet, nesse espaço. Mas, hoje, me parece pequeno para o movimento que há, por exemplo, nas duas casas do Alto, a Pavelka mencionada e a Casa do Alemão. Não gostei das bolotas vermelhas na coluna do Disco Voador, seria Carnaval?

    ResponderExcluir
  2. Muito boa postagem.Tinha tudo para dar certo,como diz o texto,mas não deu...Penso que problema maior está explicitado :segurança. Passei recentemente pela rodovia e ela continua com seus pontos de paradas muito atraentes,mas a segurança..
    O crescimento desordenado também atingiu locais como o retratado. Como dizia um sumido comentarista, " é gente demais"...

    ResponderExcluir
  3. Um palpite: também é um projeto Niemeyer.
    O pessoal agora tem muita pressa nas viagens, principalmente na volta para casa, como é caso dos moradores do Rio, quase com certeza a grande maioria que passa ai em frente. Me parece meio fora de mão para quem mora em Petrópolis e quiser só dar uma passeio, olhar a paisagem, comer alguma coisa e voltar para casa.
    Para ter movimento atualmente tem que ter posto de combustíveis e lojinha vendendo muitos "badulacos" além de comes e bebes.
    Os Fuscas da foto P&B não me parecem ser de 1959 ou anterior, por conta da janela traseira. Aguardarei uma confirmação dos especialistas.

    ResponderExcluir
  4. Bom dia. O Belvedere foi construído quando da inauguração da "Estrada do Contorno" no final dos anos 50. Era uma curiosidade e uma atração em um época ainda com resquícios de civilização européia. A foto colorida mostra um DKW Fissore de ano indefinido, uma Simca Chambord, e um Fusca pré 1963. No final dos anos 80, existia um motel ali próximo e que tinha o nome de Alpes. A vista é deslumbrante, fantástica, e dava uma sensação de Europa. Hoje em dia seria inviável frequentar tal motel se ainda existisse, pois o isolamento era total e o frio era tal que se um homem que sofresse de "disfunção erétil" ficasse "pelado" naquelas dependências, certamente iria "funcionar" como se tivesse Quinze anos, já que um picolé poderia fica ao sol durante horas sem derreter...

    ResponderExcluir
  5. Estou mal mesmo. É um Aero 2600 e eu achei que era uma Simca!

    ResponderExcluir
  6. Lamentável que não tenha dado certo pois parei diversas vezes no local quando descia a serra vindo da casa da minha tia que morava em Carangola. Talvez se a casa do alemão reabrisse o local e com os onibus de turismo parando por ali, surtisse um bom efeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marco, você esqueceu que a violência na região assusta até bandidos experientes? A questão é que com leis ridículas, com uma polícia deliberadamente sucateada, e enormes quadrilhas comandando o país nos três poderes, a intenção é essa mesmo, desestabilizar a sociedade. Sem querer me alongar em demasia, isso está previsto há mais de Cem anos, conforme conhecido "decálogo". Aquele sumido comentarista Eduardo não era tão louco assim...

      Excluir
  7. Este Fissore parece ter sido mais um carro nacional que não "emplacou".Ao que me lembre foi lançado como um carro "mais luxuoso",mas acredito que a sua produção tenha sido pequena.Recordo que custava bem mais caro que o Belcar e não sei se valia pela relação custo/benefício.Com a palavra os especialistas.

    ResponderExcluir
  8. Boa tarde a todos. A princípio ficarei no belvedere acompanhado o movimento...

    ResponderExcluir
  9. Boa noite a todos. Passo constantemente neste local porém nunca parei, o problema é o que já foi mencionado em vários comentários acima. Como diria o sumido comentarista Derani, qualquer dia no Brasil, bandido vai prender a polícia e a justiça vai sentenciar a sociedade a pagar indenização por danos morais a bandido, quando o cidadão for registrar queixa na delegacia.

    ResponderExcluir
  10. Nos dias atuais, o local não passa de um grande depósito de material para a duplicação da estrada (a pista de subida atual, pelo que andei lendo, será desativada então, porque o trânsito ficou complicado com caminhões muito grandes passando por lá, o que torna a subida até perigosa por ocasião de uma ultrapassagem), construção que está parada há, já agora, uns 2 anos ou coisa que o valha.

    ResponderExcluir
  11. Pelo que soube ontem teve arrastão na Pterópolis Rio, por volta das 18hs., altura Duque de Caxias.Tristeza! Ehoje Crivella fugiu do encontro com o Dória, que deitou falação no Rio!

    ResponderExcluir