Total de visualizações de página

quinta-feira, 22 de junho de 2017

ENCHENTES





Definitivamente nossos políticos nos consideram a todos uns idiotas. Após o caos instalado no Rio por conta das chuvas de anteontem o Sr. Prefeito disse que “a cidade passou bem pelo teste”. Já o Sr. Secretário de Ordem Pública afirmou que não avisou à população do que estava por vir “para não causar pânico”.
 
Fico imaginando o que eles diriam em casos de um furacão, de um incêndio de grandes proporções ou algo semelhante...
 
E o descaso vem desde sempre, como bem sabemos. Obras de infra-estrutura como manutenção preventiva raramente são realizadas. As enchentes em caso de qualquer chuva, às vezes até de média intensidade, causam os alagamentos costumeiros, com grande transtorno para a população.
 
A primeira foto de hoje, do Correio da Manhã, mostra um fusquinha enfrentando bravamente um alagamento em Copacabana, na Rua Tonelero, em 1967.
 
A segunda foto, de Evandro Teixeira, é famosa e mostra a enchente da Rua Jardim Botânico em 1988.
 
A terceira foto, de Bippus, é da enchente na Rua Senador Vergueiro no início do século passado.
 
A quarta foto é na Rua do Senado.
 
E vamos parar por aqui por falta de espaço para tantas fotos semelhantes.

24 comentários:

  1. Será que é a cidade é que está no lugar errado? Vingança da natureza contra os homens que vêm destruindo essa região maravilhosa?
    Já li relatos sobre situações iguais já no tempo de D. João VI e se não fosse o reflorestamento do maciço da Tijuca eu acho que o Rio já teria sido todo aterrado pela lama que teria descido das montanhas ao longo de décadas de chuvarada.

    ResponderExcluir
  2. É de estarrecer os comentários dos políticos que estão administrando.Um grande espanto.Pelo que soube a coisa não andou bem aí no Rio,mas esta incapacidade não parece ser privilégio carioca.Aqui em Vix,qualquer chuva a mais é o cáos também.Em Sampa a coisa pega,o mesmo acontecendo em Beagá.É só verificar os noticiários.Serviço de infraestrutura para este fim,nenhum político gosta de fazer,pois ele não "aparece".As fotos são muito boas.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia. Faltou a Praça da Bandeira...rsrs. O fato é que as enchentes no Rio de Janeiro sempre foram um problema presente e que se agravou a superpopulação a cidade e a sua consequente favelização. Os relatos do temporal ocorrido em 1811, conhecido como as "águas do monte", em que o morro do Castelo e seu entorno foram arrasados pela tormenta, mostram a dimensão do problema já naquele tempo. Tubulações subterrâneas mais modernas são obras de alto custo mas não "dão voto" porque não tem visibilidade, e por tal razão não interessam aos políticos. E como "político bom é político preso ou morto", a solução deve demorar algumas gerações. E o que dizer dos "ilustres favelados" que são jogam lixo nas encostas dos morros em que habitam? E enquanto isso, os desastres vão se sucedendo. Assisti hoje pela a Record a situação insólita que está acontecendo em "Rio das Pedras", a "Pisa do hemisfério Sul". O bairro que nasceu devido a migração de nordestinos e se situa às margens de uma das lagoas de Jacarepaguá, com ruas construídas sobre terreno arenoso, muitas delas com dois metros de largura, e desprovidas de sistema de escoamento, possuindo prédios de até sete andares construídos em quantidade impressionante e sem sistema de saneamento ou de esgotamento, tudo construído com a "genialidade e capacitação técnica" típica do nordestino, é um exemplo do absurdo que é a política brasileira. FF. A prefeitura do Rio vai rever a cobrança de IPTU no Rio de Janeiro. Quarenta por cento de imóveis situados em Copacabana, Ipanema, Leblon, Botafogo, e Jardim Botânico "são isentos". Alguém "levou ou está levando" uma grana boa, isso é fato. "Isso pode, Arnaldo?"

    ResponderExcluir
  4. Oportuna e lamentavelmente reincidente a postagem. Seria lógico não demonstrar surpresa com a recorrência dos fatos mas a indignação toma conta quanto se assiste ao rosário de esfarrapadas desculpas e alegações dos responsáveis pela administração municipal. Ainda mais quando se sabe que essa mesma administração foi entregue a um político que não possui em seu passado qualquer traço de excelência gerencial. Trata-se apenas de alguém que representa recônditos interesses político/religiosos, um declarado ponta de lança de propostas conservadoras e tendenciosas. Prova disso é a sequência de nomeações, e tentativas semelhantes, privilegiando indivíduos que professam crenças específicas. Vide o caso da nomeação da Chefe da Guarda Municipal, evangélica convicta, que já provoca polêmica ao pressionar seus comandados, independente da fé individual, a comparecer a cultos regulares.

    Agora, como bem demonstram as recentes decisões, mais uma vez ficou patente o descompromisso do então candidato com as famosas promessas de campanha. Com a recente proposta de aumento do IPTU, que atingirá indiscriminadamente proprietários e inquilinos, e por via de consequência o mercado imobiliário do Rio, demonstra a absoluta falta de criatividade em restaurar as finanças do município ao optar pelo trajeto mais fácil da sanha arrecadadora. Isso sem mencionar o desprezo por qualquer tipo de atividade cultural que não atenda às suas preferências conservadoras. Será alto o preço que se pagará por culpa de todos aqueles não refletiram sobre as consequências das opções políticas equivocadas no momento do escrutínio.

    ResponderExcluir
  5. Manutenção não dá voto. Se a água escoar, ninguém tira foto. Somos um animal muito esquisito... Ao que interessa, o Fusca nadador é de 1966 para baixo, como se nota facilmente pela posição de repouso do limpador de parabrisa, do lado do carona. Ao fundo, um reluzente FNM-2000, de 67 para baixo, como se nota facilmente pelo friso ainda do tipo italiano. Ainda chamam de JK, mas o escudinho saiu em 64, como bem sabe o Joel.

    ResponderExcluir
  6. Tiveram sorte de ninguém ter morrido. Não avisar a população que uma tempestade está por vir põe em risco muitas vidas. Ninguém fica em pânico porque vai chover forte, é apenas um transtorno que pode ser evitado. O que provoca pânico é a atual administração.

    ResponderExcluir
  7. Bom dia a todos. Primeiro vou fazer uma correção, a terceira foto o local é a R. do Senado quase esquina com Av. Gomes Freire. Quanto ao problema de enchentes na cidade do Rio de Janeiro, deixo para comentar na próxima chuvarada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que a correção está errada.

      Excluir
    2. O nome da loja é Marmoraria Carrara. Ainda existe em inúmeros municípios do Brasil. Achei uma com o nome em Inhaúma.

      Excluir
  8. "Meio fora de foco" mas coerente com as postagens de 9:17 e 9:30: Recebi um Zap impressionante e que reproduz a matéria que foi ao ar no Bom dia Brasil de ontem e que trata com detalhes de como são fraudadas as urnas eletrônicas, detalhando com minúcias como é feita a adulteração. O próprio denunciante demonstrou com detalhes. Imediatamente vieram ordens de Brasília para que matéria fosse imediatamente retirada do site Globo.com, mas o estrago já estava feito. Acho que se isso se espalhar, muitas coisas podem acontecer. Realmente o vídeo é estarrecedor e é a explicação coerente da presença até então inexplicável de como certas figuras se mantém no poder "ad perpetuam"...

    ResponderExcluir
  9. Luiz, imagino que no seu acervo deva haver centenas de fotos das enchentes em diferentes épocas e em todas as regiões da cidade. Os governantes nunca tiveram interesse em resolver ou minimizar este problema. A população também não ajuda nem um pouco. As fotos são mesmo ótimas.

    ResponderExcluir
  10. Bom dia a todos.

    Lambanças governamentais a parte, o prefeito deu azar de a enxurrada ter atingido principalmente o quintal da Rede Globo, no Jardim Botânico, Lagoa e Leblon, bairros da zona sul. Se a enxurrada tivesse acontecido em Pedra de Guaratiba ou Campo Grande, duvido que o escarcéu tivesse sido o mesmo...

    Em algum momento de sua cobertura "jornalística" a emissora informou que a maré estava alta, dificultando o escoamento das águas?

    ResponderExcluir
  11. Bom dia a todos.
    Confesso de que nada mais me surpreende nesse país.
    Em outros momentos já disse isso aqui assim como falo também no mundo real: A culpa disso tudo é de uma coisa chamada POVO. O povo daqui infelizmente é a pior praga do país.
    Político brasileiro não vem de Marte, não vem da Lua, não vem dos EUA, não vem da China, da Europa, e nem dos Quintos dos Infernos. Político brasileiro é uma raça formada aqui, no Brasil, oriunda do povo daqui. É claro que quando me refiro a povo, eu me refiro não somente a favelados e pobres, mas a classe média, classe rica, e porque não dizer dos milionários como o caso do dono da FRIBOSTA.
    No fotoblog há advogados, bacharéis em Direito, Procuradores e até Juízes, mas confesso de que nenhum discurso jurídico me convence de nada, em um país em que lei vira um verdadeiro carnaval. Vide o caso dessa semana da irmã e primo do Aécio e o caso de ontem do Roger Abdelmassih.
    Não é querer fazer o papel de "advogado do diabo", mas o Joel está certo quando fala do DNA do brasileiro. Infelizmente ele tem razão.

    O que me impressiona foi a notícia dessa semana sobre o incêndio nas florestas de Portugal.
    Segundo a notícia: Portugal estava há 4 anos sem fazer a revisão ou vistoria do chamado Plano de Emergência contra Incêndios.
    Aí se ver de que entre Portugal e Brasil tudo tem haver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wolfgang, uma prova disso é a "Ópera bufa" em que se transformou o Brasil. Façamos uma conta bem simples: Vejam APENAS o caso do STF: Tendo em vista que para manter uma corte composta por apenas onze ministros que por sinal auferem subsídios inacreditavelmente milionários, dispondo de auxílios até para o ar que respiram, comandando mais de 2600 funcionários regiamente remunerados, motoristas, assessores mil, viagens, benesses diversas, etc, para ter como resultado de seu "nobre e árduo" trabalho, o fantástico resultado de "nenhum político preso!" Eu faço uma pergunta: Com esse povo ignóbil e desqualificado moral e culturalmente, alguém ainda acha que "apenas" o poder do voto poderá mudar essa realidade?

      Excluir
    2. Wolfgang, evito polêmicas neste blog e posso compreender sua revolta assim como me revolto com determinadas decisões que ferem direitos fundamentais. Mas quando leio registros como os que você escreveu não posso me furtar de replicar. Chego a me irritar quando canso de explicar que há defeitos congênitos na Carta Magna em vigor que hoje exige uma reformulação. Foi elaborada em um tempo de heranças malditas de regimes de exceção e tornou-se vingativa e injusta. Mas também foi responsável pelo fortalecimento do MPF que, a par de eventuais e raros desvios em seus princípios, tem sido um dos responsáveis pela atual saga no combate à corrupção que se alastrou pelo país. E quem seria o magistrado que participa deste espaço? Não "viaje", cidadão. Salvo melhor juízo comprovado o único profissional deste nível que até agora colaborou a duras penas com o fotoblog tendo sido este que aqui escreve.

      Quando às decisões mencionadas todas estão permitidas em lei. No caso da figura abjeta do médico quem deu o laudo para sua transferência para prisão domiciliar não foi um operador do Direito e sim algum médico perito que mereceu a confiança do juízo. Tanto que o processo está sujeito a nova perícia que se constatar a ausência da premência ou a possibilidade de atendimento no próprio sistema carcerário pode resultar no retorno do condenado à prisão. Foi uma decisão a título precário. Sobre os demais envolvidos também são alternativas em lei, portanto aplicáveis. Mas todas sujeitas a recursos do MPF.

      A propósito você há tempos colabora com seus comentários e observações, salvo engano desde os velhos tempos do fotolog mas não me lembro de você ter declinado sua atividade profissional. Uma mera curiosidade, claro.

      Excluir
  12. Bom Dia! Hoje o dia está doidão. Já fez sol, já ficou nublado,já ventou,já choveu.No momento nuvens teimosas insistem em passear por aqui.

    ResponderExcluir
  13. Toda vez que se fala de enchentes no Rio o pessoal vem com aquele papo de topografia da cidade, que há muitos morros, etc... Daí eu pergunto: e por que que mesmo na enchente não entra água no metrô? Será que outra grande cidade no mundo não possui as mesmas características? Soube que Barcelona há algumas décadas atrás possuía este problema e que foi resolvido. Bem, pra mim só tem uma direta e simples resposta: engenharia!

    ResponderExcluir
  14. Peralta,o implicante22 de junho de 2017 12:38

    Tia Nalu não passa perrengue.Sempre nadou muito bem!

    ResponderExcluir
  15. Não será nenhuma novidade depois do Mensalão e Lava Jato uma bomba revelando fraudes nas urnas eletrônicas conforme comentário anterior.Hoje da para acreditar em tudo no Brasil varonil,desde que seja interessante para políticos. Os poderes que vivem macomunados só pensam nos seus interesses e em razão disso não dá mesmo para acreditar em nenhuma demanda jurídica,como citado no comentário de 11.21 hs. Cada qual puxando a brasa para o seu peixe e deixando a população a deriva .O executivo não tem interesse em acertar e é referendado pelo legislativo e pelo judiciário,naquela de uma mão lava a outra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olho no lance,a corrupção iria diminuir ou acabar se fosse criado um fundo contra a corrupção. Seria como um imposto de 5% sobre o salários.O dinheiro arrecadado seria rateado entre deputados e senadores com o compromisso deles nunca mais desviarem dinheiro.Sobrariam recursos para alavancar o desenvolvimento e para equipar escolas e hospitais.Valeria a pena esse pequeno sacrifício.

      Excluir
  16. Vendo essa foto do bonde com tanta água, é curioso que ninguém sentisse medo de ser eletrocutado.

    ResponderExcluir
  17. Inevitável falar-se de politica num texto como de hoje .
    Ilustres comentaristas discorreram sobre o assunto (chuva) de várias maneiras e concordo em grande parte com alguns pois parece-me que há consenso quanto a política atual e anteriores no trato de governantes quanto a administração da nossa cidade. Quando falo do Lacerda governador referindo-me a ele como administrador brilhante que foi no seu governo sito dois erros que o mesmo cometeu no meu entender que foram o enterro dos bondes e a solução final para o problema da enchente na Tijuca. A causa desse problema é classica pois quando chove na serra (Alto da Boa Vista) leva tudo de roldão,sendo nesse local o tratamento de todos os males ou quase todos do problema do bairro quanto as chuvas. O nosso tresloucado alcaide Paes deveria construir 5 reservatorios e executou apenas 2
    sendo que saõ e seriam medidas paliativas pois o problema está na serra.Não precisamos ser engenheiros para saber disso ,é um fato da natureza, que pode ser ainda combatido mas não da voto sendo preferido construir praças piscinas e portos para deleite do povo e da rede Globo.Não falo só da Tijuca mais de Botafogo,Flamengo Laranjeiras, pois trabalhei muitos anos em Botafogo e dormi varias vezes na empresa onde trabalhava devido as enchentes. Tenho que ressaltar a culpabilidade do povo carioca, que é mestre em emporcalhar a cidade sem falar no lixo acumulado nas favelas, onde nunca foi feita a obra definitiva de saneamento.Esse mesmo povo que aplaudiu o Pan a copa e a olimpíada junto com a rede Globo.
    Meu avõ falava nas enchentes assim como meu pai como eu agora.De pai pra filho e para próxima geração infelizmente.
    Docastelo se você me pérmite corrija-me se eu estiver errado.
    O Janot sairá em setembro e uma nova candidata a ocupar tão eficiente e espinhosa cadeira tem o apoio de Sarney Moreira e Renan?

    ResponderExcluir
  18. Neste país as leis são elaboradas para atender interesses diversos,especialmente de seus autores e patrocinadores.E não existem leis sem brechas jurídicas,já arquitetadas para que os operadores do direito façam suas festas através de recursos e mais recursos.

    ResponderExcluir
  19. O único código penal decente criado na face da terra, foi o código de Hamurabi da antiga Babilônia. Depois disso só foram criados códigos penais para beneficiar criminoso.

    ResponderExcluir