Total de visualizações de página

terça-feira, 20 de junho de 2017

HOSPÍCIO SÃO JOÃO BAPTISTA DA LAGOA


A foto de hoje mostra o Hospício de São João Batista da Lagoa em 11/10/1901, em foto de Malta, do AGCRJ. Esta foi a primeira enfermaria criada pela Irmandade da Misericórdia para responder à imposição do Governo Imperial. Este hospício foi inaugurado em 1852 e destinava-se a atender à população pobre das freguesias de Botafogo e Copacabana. O edifício foi construído na década de 1880 e ampliado na década de 1920. Transformou-se no Hospital São João Batista da Lagoa, onde funcionou também uma maternidade. Pelo que pude apurar o Hospital ficava na Rua da Passagem, mas não sei exatamente em que trecho.
 
Curiosidade: o “CORREIO DA MANHÔ de 10/11/1930 noticiava o movimento de outubro no Hospital São João Batista da Lagoa:
“O movimento de enfermos deste hospital, mantido pela Santa Casa de Misericórdia, foi o seguinte:
Existiam 76; entraram 112; saíram 104; falleceram 4; ficaram 80.
Nacionalidades: existiam 63 nacionaes; 16 estrangeiros; saíram 89 nacionaes; 15 estrangeiros; falleceram 4 nacionaes; ficaram em tratamento: 86 nacionaes; 14 estrangeiros.
Creanças: existiam 31; entraram 60; saíram 57; falleceram 7; ficaram 27.
Ambulatório attendeu 2.151 consultantes e a pharmacia aviou 2.027 receitas; foram praticados 219 curativos e 5 pequenas intervenções cirúrgicas; foram aplicadas 245 injecções de nº 914”.
 
NOTA: Com a descoberta do Treponema pallidum como agente etiológico da sífilis em 1905 por Fritz Schaudinn e Erich Hoffmann, desenvolveram-se estudos experimentais contra tripanossomas e espiroquetas. Em 1909, um bacteriologista japonês, – Sahachiro Hata, foi trabalhar com Erlich em Berlim e após experimentação de quase 3.000 compostos determinou o nº 606 como sendo o mais potente e seguro, sendo lançado na Alemanha com o nome de Salvarsan. Em 1913 Erlich recebe o Prêmio Nobel e lançou outro derivado arsenical que se chamou Neosalvarsan ou nº 914. Comercialmente denominado também de Novasernobensol, Neoarphesnanina, Acetilarsan e outros. Todos esses medicamentos eram derivados com pequenas variações, do arsênico.

24 comentários:

  1. O que terá acontecido com este hospital? Terá ele alguma relação com a maternidade Clara Basbaum que funciona na rua da Passagem 90?
    Nunca tinha ouvido falar nesse composto 914. Para vermos como as coisas andam para trás li outro dia no Globo que a sífilis, apesar da penicilina, voltou a ser comum e está causando muitos problemas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nasci na maternidade desse hospital que ficava na rua da Passagem esquina com rua Arnaldo Quintela onde hoje fica uma escola de técnico de enfermagem.No mesmo hospital nasceu tambem um dos filhos do saudoso radialista Oduvaldo Cozzi, na mesma semana que eu nasci em 01/ 09/ 1953.

      Excluir
  2. Nunca ouvi falar desse hospital. A sífilis de volta . Não falta mais
    nada.

    ResponderExcluir
  3. O composto 606 era a base de Arsfenamina e foi de fato o primeiro grande trunfo para tratamento da sífilis.Na realidade porém a coisa só melhorou nos anos 40,com o advento da famosa Penicilina.Muito interessante o relatório acusando o movimento do hospital.

    ResponderExcluir
  4. A menção ao arsênico me lembrou do excelente drama romântico que tem tudo para se tornar um clássico do cinema, "Entre Dois Amores" (Out of África). Dirigido por Sydney Polack, conta a saga da personagem interpretada por Meryl Streep que se estabelece em uma fazenda na África. Ao descobrir que foi contaminada pela sífilis, adquirida do próprio marido, procurou um médico que lhe recomendou voltar ao continente europeu e medicar-se com arsênico. Seu ácido comentário a seguir deixou entrever que o primitivo tratamento a deixava com poucas esperanças de cura, e possibilidades de sequelas em sua saúde mental. A trama foi levemente baseada no livro autobiográfico "Der afrikanske farm", escrito por Isak Dinesen, e outras fontes. Só para lembrar essa película recebeu 28 prêmios de cinema, inclusive 7 prêmios da Academia.

    ResponderExcluir
  5. Eu apoio esta hipótese de ser o mesmo local da Clara Basbaum. A situação fiscal dos terrenos determina a continuidade de determinada prestação de serviços.

    ResponderExcluir
  6. Bom dia!

    Para se descobrir o local procurar trecho da rua da Passagem onde tem curva ou esquina.

    ResponderExcluir
  7. Bom dia. Esse prédio ocupava um espaço que hoje em dia compreende o início da Mena Barreto e o lado direito da antiga Rua da Passagem. Até meados dos anos 60, o trecho inicial da rua Mena Barreto que começa na Praia de Botafogo não existia. Todo lado direito da rua da Passagem foi demolido e se confunde o início da Mena Barreto. É justamente nesse trecho que existia esse hospício. Muitas demolições desfiguraram Botafogo a partir dos anos 70. Eu tenho uma foto tirada do alto, com data de 1962, exatamente mostrando o entroncamento da Pinheiro Machado com Farani e a Praia de Botafogo, tendo ainda a velha embaixada da Argentina. Inacreditável a mudança.

    ResponderExcluir
  8. A sífilis era comum no "velho Rio de Janeiro". A promiscuidade e a grande quantidade de prostitutas eram os principais ingredientes. Hoje em dia o sexo é comum desde cedo, mesmo em famílias de melhor nível. Aliás é uma atividade normal e sadia. Mas em outros tempos, o sexo era reprimido por tabus, falso moralismo, e principalmente por uma hipócrita igreja católica. Daí a grande quantidade de profissionais do sexo. Mesmo assim, muitas "moças de família" fazem "bico"...

    ResponderExcluir
  9. Esse é mais um que não conhecia nem de ouvir falar. Botafogo e arredores, historicamente território de clínicas de saúde, física e mental.
    Os cientistas são os responsáveis pela explosão demográfica. Desde o simples leite em pó, a pasteurização, a vacina (a origem) até a penicilina, são grandes contribuições para isso.
    De vez em quando aparece um líder totalitarista para reduzir esse ritmo de crescimento populacional do nosso mundo, através de guerras contra outros países e até internas.

    ResponderExcluir
  10. Vejam bem o que é a vida.Lá no começo do seculo XX o cientista japonês foi para a Alemanha juntar-se ao colega alemão no trabalho para a descoberta da cura da sífilis. Enquanto isso aqui no Rio existia um local que disseminava a doença aos 4 cantos,local este cantado em verso e prosa pelos comentaristas saudosistas.Quantos sairam daquela cabeça de porco e tiveram que procurar este hospital?Aí ninguém fala nada.Ainda dizem que os sanitaristas da época estavam macomunados com o prefeito.E vejam que os dados coletados são de 1930,quando aquela esculhambacao lá do Centro já tinha sido dissiminada.E tem gente que adora e pergunta porque sou Do Contra.

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde a todos.
    Assim como a maioria aqui, também não conhecia sobre esse prédio e sua função.
    Interessante a contabilidade que era feita. Lembrou-me dos tempos do antigo primário quando aprendíamos matemática.
    É interessante escrever aqui que no passado, nessa época em início do século XX e principalmente no século XIX, qualquer um corria do risco de ser jogado em um lugar desses. Bastava ter um comportamento, digamos, "diferente assim do que era considerado a boa educação".
    Luiz. Esclareça uma dúvida por favor. João Cândido depois que saiu da Ilha das Cobras, parece de que ele ficou um tempo em um hospício por esse imediação. Ou é em Botafogo ou na Urca.
    É citado no livro de Edmar Morel, escrito nos anos 50.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wolfgang, foi no Hospital dos Alienados, atual Pinel. Ele "da suas saídas" do nosocômio para namorar. De acordo com o opúsculo de Morel, uma dessas namoradas, que mais tarde se casou com ele, se suicidou ateando fogo ao corpo.

      Excluir
    2. Deve ter sido no Hospício Pedro II, que depois foi transferido para o Engenho de Dentro. O Pinel é da década de 30 do século passado.

      Excluir
    3. .
      O ano de 1944 assistiu ao esvaziamento do centenário prédio da Praia Vermelha, o qual encontrava-se praticamente em ruínas, e não oferecia condições para o asilo adequado dos alienados, os quais foram transferidos, entre março e setembro daquele ano, para a colônia de Jacarepaguá. As instalações do antigo hospício foram doadas para a Universidade do Brasil (atual Universidade Federal do Rio de Janeiro), que se responsabilizou pela restauração do conjunto arquitetônico e pela adaptação às funções da reitoria universitária. Isso foi feito entre fevereiro e dezembro de 1949, com recursos da Universidade e ajuda do Ministério da Educação e Saúde.

      Excluir
  12. Urubu (Muito)Otimista20 de junho de 2017 13:21

    As vozes do Apocalipse podem tratar de cantar em outro lugar,pois o Flamengo vai para as cabeças.Vai disputar o titulo podem acreditar e deixar muita gente de boca aberta.Este início está meio ruim mas vai melhorar a partir desta rodada.Mais craques estão chegando e o Zé Ricardo mostrará que é bom treinador.Quem está me achando muito otimista,lembro que no ano passado o Internacional a esta altura era líder do campeonato com 19 pontos e deu no que deu.Ainda é muito cedo e o Flamengo e Atlético Mineiro vão chegar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Observador Esportivo, o verdadeiro20 de junho de 2017 16:27

      Urubu, quem tem razão é o Lino. O Zé Ricardo é uma nova versão do O.O., o bom moço. Ótimo para um papo no final da tarde, para um chope na beira da piscina, educado, bem vestido, sereno. Mas para técnico do Flamengo não serve.

      Excluir
  13. Prezado Urubu, anda existe aquela janela de transferências para outros países até o mês de agosto? Em caso positivo eu diria que o Brasileirão começa para valer em setembro, se times que estão bem perderem um ou outro jogador que fará falta em seus esquemas. Contratar estrelas também pode "desarrumar" o grupo de jogadores, na tática e às vezes na disciplina.
    Enquanto isso outros clubes sobem muito só de trocar o técnico. Pura loteria esse futebol brasileiro.

    ResponderExcluir
  14. Toda vez que se fala em hospício e de século XIX e início de XX lembro do conto "O Alenista", de Machado de Assis, que fala do Dr Simão Bacamarte, que enfiava no hospício qualquer um que ele desconfiasse ser louco. Só que após algum tempo, o Dr. Bacamarte percebe que sua teoria está incorreta e manda soltar todos os internos. Como ninguém tinha uma personalidade perfeita, exceto "ele próprio", o alienista conclui ser o único anormal e decide trancar-se sozinho no hospício para o resto de sua vida.

    ResponderExcluir
  15. Eu comparo a "nação rubro-negra como uma "certa organização". Muitos dirigentes ficaram milionários às custas de transações envolvendo jogadores. Muitas contratações, comissões, e outras maracutaias. Lembram-se daquele repórter chato que ficou rico como presidente do Flamengo? E a nadadora? Tomou tanto gosto do negócio que atualmente é "colaboradora e secretaria" do Crivella. O fato é que enquanto alguns torcedores "enchem as burras" do clube, outros são subvencionados pela direção, recebem dinheiro, e praticam atos terroristas contra torcedores de outros clubes, sendo que alguns líderes de torcida já foram presos e condenados. Viva João Saldanha, que foi campeão pelo Botafogo e sua única "exigências" foi a de que não receberia nem um tostão pelo seu trabalho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coisas que acontecem em todos os clubes. Pode ser mais ou menos, conforme o tamanho do clube. No interior e em outras capitais tem muitos casos de mistura de política partidária com futebol, para se promoverem ou até mesmo desviarem dinheiro. Ainda bem que aparentemente o Ministério Público proibiu patrocínio de prefeituras. Fico impressionado como times sobem e descem depressa nas várias divisões dos campeonatos. Só pode ser por interferência de quem não tem nada a ver com o esporte.
      Quando à violência, a mídia em geral tem que parar de chamar os violentos de torcedores. São quadrilhas de marginais que só querem um motivo para se enfrentarem. Se não for o futebol sair de moda vão arrumar outra motivação, se os homens da lei não pegarem pesado. As ocorrências têm que ser divulgadas nas páginas policiais da imprensa e não só nas de esportes.

      Excluir
  16. Boa Tarde! É a primeira vez que escuto falar deste " Hospício". Nos anos 40/50, aqui na Zona Norte, mandar alguém ir morar no Engenho de Dentro era o mesmo que chama-lo de maluco. Até que o Betinho com a musica "Neurastênico" disse que lugar de "22" é em Jacarepaguá. FF. Estive pela manhã no Centro da Cidade. Em vários lugares principalmente no SAARA, muitas mulheres de cabeça coberta acompanhadas de homens de barba. Que será que nos espera ?Como diria o Raul Seixas, " sei lá entende".

    ResponderExcluir
  17. Boa tarde a todos. Foto inédita do SDR, local desconhecido para mim, até porque se conhecesse era por ter passado pelo local, coisa que não seria muito difícil. Como diz o ditado de médico e louco, todos temos um pouco. E se começar a bater palmas, eles logo começam a dançar. E no Brasil, o que não falta é maluco beleza.
    Agora ficou um dúvida, se ele era tão próximo da Baía de Guanabara, porque recebeu o nome de São João Batista da Lagoa e não da Baía?

    ResponderExcluir
  18. Colaborador Anônimo20 de junho de 2017 16:50

    Parece que seria mesmo a Clara Basbaum a maternidade citada no texto, se pesquisarmos o CNPJ 33.609.504/0026-10 vamos encontrar : Nome Fantasia - Maternidade Clara Basbaum, Razão Social - Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro. o que é bastante curioso pois a Fundação Clara Basbaum pertencia a um empresário judeu (Adolpho Basbaum) convertido ao espiritismo. Sugiro o link a seguir onde é relatado o contato do dito empresário com a diretoria da instituição Casa da Mãe Pobre, coisa absolutamente impensável nos dias de hoje,,,,,,,,http://www.casadamaepobre.org/wp/adolpho-basbaum/

    ResponderExcluir