Total de visualizações de página

quinta-feira, 3 de outubro de 2019

ONDE É?




Fotos enviadas pelo prezado Carlos Paiva, habitual colaborador do SDR.~

Onde são estes salões e o que funcionou neles na primeira metade do século passado?


RESPOSTA: como me informou o Carlos Paiva e também se pode ler no livro “Getúlio, meu pai”, de Alzira Vargas, a Câmara dos Deputados do Distrito Federal funcionou, de 1920 a 1926, na BIBLIOTECA NACIONAL. Aguardava-se a construção do Palácio Tiradentes.


28 comentários:

  1. Chutaria sala do Monroe! Ou Automóvel Clube? Bom dia !

    ResponderExcluir
  2. Minha igreja não foi..Pela aparência dava para faturar dízimo,trizimo e correlatos.
    FF: perdeu a chance de garantir a passagem com o primeiro tempo que jogou.Vantagem diminuta para o segundo jogo.

    ResponderExcluir
  3. Pode ser no Monroe, mas eu não tenho certeza. De fato era "um luxo". FF: Tendo em vista o SDR do dia Primeiro de Outubro, foi postado por um Anônimo no dia 02 de Outubro um comentário que é "padrão" em ambientes universitários, ongs, ou em manifestações populares. Eu concordo plenamente, desde que paguem pelo terreno, pelos impostos relativos relativos ao uso, e pelos serviços concessionários. De graça é que não dá. FF: A Polícia Civil prendeu em operação pela manhã na Barra da Tijuca mais quatro envolvidos na morte de Marielle Franco, que não tem envolvimento direto. A mídia, as redes sociais, a Polícia Federal, e até a Procuradoria Geral da República já declararam "em alto e bom som" o nome do mandante desse crime. Será que só a Polícia Civil não sabe?

    ResponderExcluir
  4. Bom dia, Dr. D'.

    Salvo engano de minha parte, as fotos mostram o interior do Monroe.

    ResponderExcluir
  5. PS: são duas fotos do mesmo salão, que parece ser o plenário.

    ResponderExcluir
  6. Bom dia a todos.
    Não sou bom nessa brincadeira, mas vamos lá.
    Aparenta ser um tribunal. Agora, quais deles e onde fica ou ficava, não sei.

    ResponderExcluir
  7. Bom dia,Luiz,pessoal,
    Raciocinando por eliminação : não é ALERJ, nem CVRJ, pois ambas são bem conhecidas e visitáveis até hoje. Como tem o símbolo da República no cortinado, certamente é o Monroe. Outra pista é a cadeira alta do Presidente da Casa, está no Palácio do Catete.E a sala como um todo é quadrada, denunciando que o arranjo era para outra função (o Monroe era um pavilhão de exposições), enquanto as assembléias projetadas para tal têm planta elíptica ou poligonal, para melhor visualização e acústica.

    ResponderExcluir
  8. O aspecto indica ser o Monroe.

    ResponderExcluir
  9. Confirmando que seja o interior do Monroe, imagino quantas ações importantes para a república foram decididas aí; e, por capricho, ou sei lá mais que o valha, jogou-se parte da nossa história "na chón".

    ResponderExcluir
  10. O Monroe como "Casa Legislativa" tinha a proporção adequada ao Brasil: Um pequeno palácio onde cabiam as aspirações proporcionalmente de um pequeno país. Talvez tivesse "uma meia dúzia de funcionários" que davam conta dos trabalhos legislativos. Meu avô contava que os "Senadores da República" Júlio Cesário de Melo e Manuel Caldeira de Alvarenga, mais conhecido como "Sinhôzinho", desciam a pé pela manhã a Coronel Agostinho para tomarem o trem que os levaria ao Monroe, e no caminho atendiam informalmente os eleitores que os cercavam. Lima Barreto em seu romance "Memórias do Escrivão Isaías Caminha", narra a rotina do deputado Castro e também as dezenas de pessoas que se acotovelavam nas galerias da Câmara dos deputados para assistirem aos debates. O que restou desse pequeno legislativo de um "pequeno país" do passado além um colossal escritório de crimes, tráfico, e negociatas cujo último dos objetivos é o bem da nação?

    ResponderExcluir
  11. Plenário de algum Poder Legislativo.
    Câmara de Deputados ou Senado Federal, que funcionaram em outros locais antes do Palácio Tiradentes e Monroe. Câmara Municipal é mais difícil, mas nem sempre ela funcionou na Gaiola de Ouro.

    ResponderExcluir
  12. Uma dica que vai ajudar em muito: ninguém acertou o local ainda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que é no prédio da atual Faculdade de Direito do Campo de Santana? o Senado funcionou lá até a transferência para o Monroe.Mas está muito ornamentado, a faculdade é bem mais simples - teriam removido tudo o que vemos nas fotos?

      Excluir
  13. Graças a nossa maior contratação trouxemos um empate de Porto Alegre.Não jogamos nada e fomos engolidos pelo Gremio mas o nosso VAR estava lá para fazer a festa.Graças a ele vamos ter a chance de disputar com uma pequena vantagem no Maraca.O VAR está sempre do nosso lado. É o maior e vamos agradecendo pois em matéria de futebol estamos devendo.Viva o VAR. O VAR é nosso ídolo.

    ResponderExcluir
  14. Observador Esportivo, o verdadeiro3 de outubro de 2019 12:57

    Viva o VAR.
    Entretanto, por que chamar o juiz para ver aquele carinho (e não carrinho) feito no tornozelo do Gerson?
    Fez bem em não rever a falta que tirou o Felipe Luis de campo e originou o gol de empate.
    Não sei por que demorou tanto analisando o impedimento do Gabigol, que estava mais de um metro à frente do zagueiro.
    Errou ao não expulsar o Gabigol naquela violentíssima agressão ao zagueiro.

    ResponderExcluir
  15. RESPOSTA: como se pode ler no livro “Getúlio, meu pai”, de Alzira Vargas, a Câmara dos Deputados do Distrito Federal funcionou, na primeira metade da década de 20 do século passado, na BIBLIOTECA NACIONAL.
    Aguardava-se a construção do Palácio Tiradentes.

    ResponderExcluir
  16. Antiga sede do STF ali na Cinelândia?

    ResponderExcluir
  17. Cogitei que o Poder Legislativo já teve outros endereços aqui no Rio, mas não citei os locais.
    Mais um motivo para visitar a Biblioteca Nacional e conferir onde fica esse salão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Endereços do poder legislativo no Rio em breve serão em Bangu, Caju, ou no Jardim da Saudade.

      Excluir
  18. Gabigol foi o culpado pelo empate. Além da falta que cometeu em um dos gols anulados e esteve sempre na banheira.
    "Banheeeeira!" como diria o Mario Vianna.
    Até no lance do gol do Fla ele estava à frente, mas, ainda bem, a bola passou longe de seu alcance.
    E a pergunta: o tranco que tirou o Felipe Luís da jogada do gol do Grêmio não foi igual ao que o zagueiro gremista levou no gol anulado do Everton Ribeiro?

    ResponderExcluir
  19. Os 2 brasões nas cortinas me induziram a chutar auditoria do exército .

    ResponderExcluir