Total de visualizações de página

sábado, 11 de abril de 2020

MALHAÇÃO DE JUDAS




 
Embora esteja quase desaparecida a "Malhação de Judas" sobrevive aqui e ali pelo Rio de Janeiro no Sábado de Aleluia.
É um costume trazido pelos portugueses. Judas, o traidor de Cristo, era feito de palha ou pano e pendurado em postes de iluminação pública e galhos de árvore.
Com o tempo, Judas passou a personificar todos os políticos e figuras públicas considerados pelo povo como "traidores".
Nos dias atuais não faltam candidatos.

15 comentários:

  1. Quando ainda criança, nos anos 60, a turminha da minha rua e redondezas, no bairro do Leblon, ainda cultivava a malhação do Judas, certamente herdada de gerações anteriores. Mas como não passamos a brincadeira a frente, esta foi se perdendo com o tempo e não mais a vi nas décadas seguintes. Mas acredito que no subúrbio e baixada ainda possa acontecer, vez que lá, estes costumes ficam mais enraizados, assim como a tradição de se fantasiar de bate-bola.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, Dr. D'.

    Os infectados pelo Bolsovid-17 já estão malhando o "Judas" há vários dias. Seguindo a orientação superior, irão fazer aglomerações para continuar a malhação. Ontem foi icônico.

    Passamos oficialmente de mil mortes, sabendo da sub-notificação. Caminhamos céleres para entrar nas listas Top-10 dos países.

    Só 4% dos kits comprados chegaram. As testagens, salvo exceções, continuam sendo feitas em casos de internação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Brasil está no Top-6 em população, se ficar no Top-10 da doença será uma vitória.

      Excluir
  3. Nos dias atuais faltariam "malhadores" e sobrariam médicos. A simplicidade dos hábitos e costumes faziam essa brincadeira bastante agradável. Nos dias atuais o "politicamente correto" fariam essa brincadeira inviável. Quando eu era garoto um marceneiro italiano cujo filho era uma "bicha enrustida" e um português irascível dono de um bar eram sempre candidatos certos.### Tal como havia em 1942 em desfavor dos alemães, o preconceito em relação aos chineses no Brasil está crescendo. Muitos deles em áreas habitadas por pessoas "ignorantes" tem sido hostilizados e as consequências podem ser trágicas, ainda mais porque a grande maioria das pessoas não sabe distinguir chineses de japoneses ou coreanos.

    ResponderExcluir
  4. Os "arautos do fatalismo" continuam vivendo em seu isolamento forçado por "determinação superior" e certamente a sua natural dificuldade de percepção de coisas novas tornam desculpáveis suas teorias.## Em São Paulo os bailes funk reúnem mais de mil pessoas nas ruas e Dória,"a poderosa", nada faz. Por que será? A aglomeração e o consumo de drogas são alarmantes mas a polícia não reprime absolutamente nada. Para Dória a economia e os lucros são mais importantes do que a saúde pública. Se traficantes e usuários ficarem "em casa" os prejuízos financeiros serão enormes. Faz sentido...

    ResponderExcluir
  5. Bom dia a todos. Onde morava tínhamos uma máxima, Judas tem que dar confusão. Logo sempre elegíamos alguém que sabíamos que teríamos confusão no sábado pela manhã, o ponto alto do judas sempre era o seu testamento, com todos os podres do personagem, acho que era o único folhetim sem qualquer censura naquela época dos anos 60 e 70. A minha geração que deu continuidade a tradição, se aperfeiçoou pois tínhamos o Rui que era desenhista e desenhava o rosto do nosso judas, sempre procurávamos algum elemento do vestiário ou objeto que o personagem usasse e isso melhor caracterizava e ainda irritava mais ainda o personagem. Mais tare contarei alguns acontecimentos das manhãs de sábado.

    ResponderExcluir
  6. Aqui em Vix um determinado bairro vem mantendo a tradição e penso que hoje alguém será malhado no local.Como diz o gerente,não faltam candidatos.O meu é sem duvida o Jânio Quadros 'Verde Oliva" que não perde a oportunidade de ficar calado...O Brasil tem apanhado com seus últimos mandatários.Um grande espanto!!!!

    ResponderExcluir
  7. Bom Dia ! Como fui criado em família espirita,mesmo na rebeldia da adolescência,não participei diretamente de nenhuma malhação. Quando muito,observava. ## FF. Até para ser fanático,não basta ter sido doutrinado por algum professor esquerdopata,tem que ter vocação. Para esses não adianta esfregar os fatos na cara deles. Eles tem a "cachimônia" de torcer as coisas de forma a coloca-las de jeito que justifique suas posições.

    ResponderExcluir
  8. A última vez que vi um boneco de Judas foi em um município do interior fluminense.
    A associação de moradores de um loteamento afastado do centro da cidade tinha muito a agradecer a um certo deputado, principal adversário do governo municipal e, claro, mesmo sem falar nada contra o prefeito, o bairro e seus moradores sofreram retaliação e, com exceção da coleta de lixo, não conseguiram mais nada da prefeitura.
    Não deu outra, um boneco representando o prefeito foi parar no alto de um poste.

    ResponderExcluir
  9. A primeira foto retrata uma rua em Cordovil. No Ceará Judas é o Pai véio. Via de regra a data sempre acaba em briga ou bebedeira. Isso nos anos 50. Agora é diferente. O judas vem da internet e a malhação é virtual. Aliás no presente momento,judas e malhado com panelas. FF: Continuo com uma duvida no IR. A quem devo pedir auxilio?

    ResponderExcluir
  10. Ceará, o pastor jamais vai resolver seu problema.Sugiro recorrer ao Bispo....

    ResponderExcluir
  11. Diante de uma pandemia, a atitude irresponsável de ter contatos com pessoas, ajudando a disseminar ainda mais o vírus, e negar o "bom exemplo" esperado de um presidente, elejo o Bolsonaro como o judas de hoje.

    O que refuta a ciência é uma ciência melhor. O que não refuta a ciência é a sua religião, as suas convicções e o seu político favorito.

    ResponderExcluir
  12. Os de sempre agora sendo malabaristas para livrar a cara do seu político de estimação. Continuam com seus discursos de ódio para desviar o foco das bolsonarices do nosso Jim Jones tupiniquim, segundo o esquerdopata Merval Pereira...

    ResponderExcluir
  13. Que saudades do tempo da malhação de Judas. Os síndicos do prédio onde morei sofriam! rsrsr

    Joel, obrigado pelos esclarecimentos do filme!

    ResponderExcluir
  14. Coisa rara por aqui, ninguém ter se prontificado a identificar as ruas das fotos....

    ResponderExcluir