Total de visualizações de página

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

RUA FIGUEIREDO MAGALHÃES

 A foto de hoje, dos anos 50, mostra a Rua Figueiredo Magalhães, em Copacabana, em seu trecho entre a Rua Tonelero e o Túnel Velho. A primeira rua à esquerda é a Capelão Álvares da Silva e a próxima à direita a Joseph Bloch. O local onde estão as casas à direita é ocupado atualmente pelo Shopping Center Cidade de Copacabana, mais conhecido como Shopping dos Antiquários.
Aquele terreno com instalações da Light foi ocupado pelo Clube Paissandu de 1932 até 1952, antes de se mudar para as atuais instalações no Leblon. Fotos antigos mostram que o clube também ocupava a área da Rua Joseph Bloch, fazendo fronteira com as casas que existiam na Rua Ministro Alfredo Valadão (rua seguinte, à direita), que era uma continuação da Travessa Sta. Margarida, que liga a Siqueira Campos à Ladeira dos Tabajaras.
A Rua Figueiredo Magalhães, cujo nº 1 era a casa de meu tio-avô James Darcy, na esquina com Avenida Atlântica, somente em meados da década de 50 teve sua prolongamento completado até o Túnel Velho.
Impressionante como os arranha-céus já eram numerosos na Figueiredo Magalhães e na Siqueira Campos.


37 comentários:

  1. Transcrevo um “post” do Decourt sobre o desabamento do Ed. São Luiz Rei, logo ali adiante à esquerda, em 31/01/1958: “O edifício, de propriedade do Asilo São Luiz para a Velhice, estava sendo construído em um dos terrenos doados por Felisberto Peixoto na sua antiga chácara em Copacabana, e durante o início da construção, nas estruturas, no começo de 1958 tinha apresentado um desnível, a obra foi paralisada, mas o edifício se estabilizou, sendo então reiniciada, mas no dia 25 de Janeiro, a estrutura já em fase final de acabamento começo a estalar, apresentar rachaduras e o mais grave, se inclinar em direção a Rua Décio Villares e à Praça Edmundo Bittencourt. Apesar das tentativas da PDF no dia 30 pela manhã já era quase certo seu desabamento, os moradores dos pequenos prédios localizados na Rua Décio Vilares, bem como na casa normanda, única da praça, que era localizada no número 22, corriam para salvar seus pertences. Por volta das 20:00 o prédio caiu, após esmagar seu pilotis, destruindo 2 prédios, uma casa e danificando um terceiro prédio. No local do São Luiz Rei, foi construído no final dos anos 60 um grande edifício garagem, que está lá até hoje.”

    ResponderExcluir
  2. Como sempre se fala por aqui tem gente de mais. No lugar das casas onde moravam poucas pessoas há prédios altíssimos com centenas.
    Não sabia o nome das ruas transversais e ainda há outras por aí ligando a Figueiredo com o Bairro Peixoto e com a Siqueira Campos.
    Aquele trecho final da Figueiredo ficou mal resolvido até hoje.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não é que população está crescendo, na verdade a pop. do Brasil só cresce vegetativamente e vai começar a diminuir daqui a alguns anos. O problema é que áreas nobres como na Z.Sul e Barra cresceram sem controle.

      Excluir
  3. Bom dia. Nota-se a calma da região, bem diferente dos tempos atuais. O Shopping Center existente no local das casas em primeiro plano foi inaugurado em 1965 e além dos antiquários abriga um mercado e o 5º Juizado Especial Cível, mas a maioria das lojas é de padrão popular, composta de botequins e lojas de miudezas e quinquilharias. A favela dos Tabajaras já era "robusta" na época da foto. Ali atendia um "pai de santo" que incorporava o "vovô Tupiriá" e que também atendia na N.S de Copacabana. Várias vezes eu subi a ladeira com minha mãe. Nessa época o Túnel Velho ainda não tinha sido duplicado. O Metrô, a DEAPTI, e o batalhão da P.M ficariam à direita, fora da foto.

    ResponderExcluir
  4. Estive no local faz pouco tempo e jamais reconheceria ser o mesmo da foto.Imagino que estas casas ja estavam com seus dias contados.Ai deveria ser um local tranquilo ao contrario dos dias atuais com movimento da pesada.De fato,as lojas externas do shopping são como descritas pelo Joel.

    ResponderExcluir
  5. Quando li o texto do Luiz pensei imediatamente em duas coisas: no desabamento do Edifício São Luiz Rei e no profundo conhecimento do Decourt sobre a região. Abri os comentários e lá estava o Luiz falando sobre o desabamento, baseado justamente em depoimento do Decourt!
    A TV Rio mostrou ao vivo o momento exato do desabamento. Acho que na casa normanda citada pelo André morava o piloto George Bungner, que conduziu pelas asas da Panair as seleções brasileiras de 1958 e 1962.
    Joel, acho que o Metrô, a DEAPTI, e o batalhão da PM, muito bem observado por você como parte da história da região, ficariam à esquerda e não à direita, fora da foto.

    ResponderExcluir
  6. Correção: O Joel está certo, à direita da foto e não à esquerda.

    ResponderExcluir
  7. De maneira inusitada, no alto do shopping tem, em estilo bem moderno a Igreja de Santa Cruz, onde minha sobrinha foi batizada. Mas aí lá se vão 35 anos, pois no mais só passei de passagem por essas ruas, porém consta que é um trecho de Copa bem menos agitado do que o restante do bairro.

    ResponderExcluir
  8. E a Figueiredo Magalhães ainda é muito do que a Siqueira Campos, que ainda tem várias oficinas de carros e dá acesso à favela. Eu diria que a parte de cima da Siqueira Campos é um dos piores trechos de Copacabana, com seus prédios antigos e bem degradados. No tempo dos Trolley-Bus era bem melhor...

    ResponderExcluir
  9. Bom Dia ! Como não gosto de estacionar em vaga de rua, este teatro está na medida certa. Sair do Metrô,atravessar a rua e entrar no Shopping.Estou sempre indo lá. No dia em que o Belletti disse ter estado lá, também eu lá estive.Gostei muito daquele musical.

    ResponderExcluir
  10. Bom dia a todos. Uma parte de Copacabana que a cada dia mais se parece com as ruas próximas das favelas da zona norte e oeste, totalmente degradada, tato como área residencial, como comercial. A última vez que estive no shopping dos antiquários foi para assistir ao musical do Tim Maia, antes estive também para assistir a uma peça de teatro que agora não me recordo o nome, em ambas o fedor no interior deste shopping era insuportável.
    Como bem relatou o Joel, a Tabajara já tocava alto morro acima nesta época. Espero não estar mais por aqui quanto esta cidade se tornar um só complexo, que sugiro se chamar complexo da Guanabara ou Cidade Maravilhosa.
    A cada dia que ouço os escândalos de roubo, corrupção e tramoias de bastidores, promovidos por empresários, políticos, governo e poder judiciário, mais tenho vontade de sair deste País, difícil é convencer a minha mulher.

    ResponderExcluir
  11. De fato Xará peça interessante ,só nao gostei da desorganização...

    ResponderExcluir
  12. Lembro de ter acompanhado pela televisão o desabamento do edf. São Luiz Rei, episódio que as novas gerações nem ouviram falar.

    Essa talvez seja uma das ruas de Copacabana que mais frequentei sem nunca ter morado. Onde hoje é o Copa D'Or, e antes foi um supermercado, em meados dos anos '60 era o Boliche Copacabana. Essa atividade estava em seu auge no Rio e eu era um praticante regular. Nesse boliche algumas partidas eram "a vera", isto. é, as apostas eram em dinheiro, com uma certa discrição porque esse tipo de aposta era considerada contravenção. Foi a época do racionamento de energia e as partidas eram interrompidas por meia hora. Para entreter os jogadores a casa contratou um violonista que ficava tentando amenizar a enervante passagem do tempo com sucessos da época.

    Além de um parente que morou nessa rua e que vez por outra visitava, tinha amigos nesse trecho. Tanto frequentava que acabei alugando uma vaga no edifício garagem erguido nesse trecho. Como curiosidade do local foi no teatro Teresa Raquel a estreia da peça "Corus Line", produzida pelo executivo de televisão Walter Clark, um fracasso de público e crítica da época que acabou de enterrar as finanças do produtor. Além de reproduzir essa desastrada iniciativa em seu livro "O Campeão de Audiência" Walter menciona a estreia no teatro nacional da atriz Claudia Raia que, por ser amiga de Mme. Docastelo, veio a ser madrinha artística da minha filha mais nova.

    E por último, mas não menos importante, é a rua onde até hoje mora minha primeira amiga no Castelo que nasceu quando seus pais moravam na Av. Calógeras. No lançamento da série de livros "Cantos do Rio" a convidei para conhecer o escritor encarregado de escrever os aspectos do Centro do Rio, então um dos frequentadores do bar Bico do Doce, o hoje membro da ABL, Antônio Torres, que ficou encantado em conhece-la. Sem dúvida tenho ligações sentimentais com essa rua.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Antônio Torres. Tínhamos uma grande amigo em comum e várias vezes conversamos na casa dele.
      Uma pequena correção por erro de datilografia: "Chorus Line".

      Excluir
  13. Anônimo,o autêntico27 de janeiro de 2017 10:26

    Bom dia.Começou no jornal O Globo uma sórdida campanha contra o Vice Prefeito para denegrir a excelente gestão do prefeito Crivella.Não digo o perdão mas um parcelamento da divisa em 80 meses sem juros seria justo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Observador de Caloteiros27 de janeiro de 2017 11:29

      http://oglobo.globo.com/rio/empresa-de-vice-prefeito-deve-1372-mil-uniao-20832492

      Excluir
  14. Caramba, lembrei bastante de todos os colegas do blog ontem à noite, assistindo à sequência inicial do filme "A Música Segundo Tom Jobim", do Nelson Pereira dos Santos. Começa com um constelation da Pan Air sobrevoando a Guanabara, corta para cenas do Centro, Glória e Aterro sendo construído. Tem uma parte que parece que alguém colocou uma GoPro num lotação (rs, rs, rs...), que filma o trânsito no túnel Novo, na Barata Ribeiro, é muito bacana! As cenas mostram coisas que adoramos comentar aqui, como bondes, lotações, carros, obras, edifícios em construção. Parece que o diretor colocou aquelas tomadas ali para homenagear o blog, rs, rs...

    ResponderExcluir
  15. Luiz Antônio,se o diretor tivesse acrescentado locações de Niterói,garanto que o sucesso seria muito maior.Se você não sabe,Niterói tem a melhor qualidade de vida do estado.A mídia é injusta,pois privilegia o Rio devido a interesses menores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô, Jorge. Tô atento a Nikiti sim, rapaz. Até há pouco tempo, a cidade era a quarta em qualidade de vida no Brasil, se não me engano. Em que nível do ranking está hoje? Abçs.

      Luiz

      Excluir
  16. Sr Ucraniano, aqui no Rio também temos Niterói. A Visconde de Niterói, com sua vista maravilhosa. Linha de trem de um lado e um monte de fábricas abandonadas do outro.

    ResponderExcluir
  17. O adensamento de prédios já era um fato consumado. Ao lado esquerdo hoje existe aquele Shoping que tem diversas lojas de antiquários bem como de LPs, Casa do Gaúcho, Casa dos Nordestinos, Um Teatro, várias lojas de venda de comidas, bares e...no terceiro piso a parte Administrativa do novíssimo Hospital Copa Star que comprou tudo aquilo para dar apoio ao sua sua nova unidade de alta tecnologia a começar pelo AC. Agora o que me faz estranhar é que o Pastor perambulou por lá e não foi recolhido como móveis e utensílios a uma casa de antiguidade qualquer. Um espanto!
    Em tempo: tem uma loja bem curiosa que é a de venda de louças brancas onde vc.pode encontrar peças interessantes como as antigas sopeiras já em desuso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Shopping é à direita e não à esquerda.

      Excluir
  18. Muitos cinegrafistas e fotógrafos já estiveram em Niterói, para que de lá possam ter um bom ângulo e filmar e fotografar a linda paisagem da Cidade Maravilhosa.

    ResponderExcluir
  19. Em meados dos anos 60, Pe. Ítalo Augusto Coelho, nascido em Mouriti no Ceará no dia 6 de fevereiro de 1924, foi convidado pelo então cardeal Dom Jaime de Barros Câmara para visitar uma Igreja em construção em Copacabana. Ele não disse tudo, mas depois deste encontro o Pe. Ítalo, gente finíssima, começou a se interessar cada vez mais pelo inusitado templo que estava sendo construído no Shopping Center Cidade de Copacabana. Ele aceitou ser pároco.
    Na meia-noite do dia 24 de dezembro de 1960 celebrou-se com um pequeno grupo de fiéis a primeira Santa Missa na Igreja Santa Cruz de Copacabana.
    No dia 3 de maio de 1961 na festa litúrgica da "exaltação da Santa Cruz" foi inaugurada a Igreja Santa Cruz de Copacabana, conforme consta no livro de Tombo: "aos três dias do mês de maio do ano do Senhor de 1961, as 20h, na Igreja ainda em construção, no Edifício do Super Shopping Center realizou-se a cerimônia de instalação da Paróquia de Santa Cruz de Copacabana. O ato foi presidido pelo excelentíssimo senhor cardeal Dom Jaime de Barros Câmara. Inicialmente sua eminência, ordenou a leitura do Decreto de criação da Paróquia, cuja integra encontra-se a folha 1 deste livro de Tombo. Foi lido a seguir, a provisão do primeiro pároco da Igreja e a solenidade foi concluída com a celebração da Santa Missa".

    ResponderExcluir
  20. A Figueiredo é a mais larga rua de Copa.
    O bairro era muito diferente.
    Existe um estacionamento ao lado do shopping,onde eu estacionava no fim de ano para visitar minha irmã.Muito caro mas...

    ResponderExcluir
  21. Se a Figueiredo é a mais larga rua de Copa por que não é chamada de avenida?

    ResponderExcluir
  22. Já fui madrinha de um casamento na Paróquia de Santa Cruz de Copacabana. É (ou era) uma igreja muito agradável, aberta, e clara. Esse shopping merece um passeio turístico.

    Já morei, por uns 2 ou 3 anos, na Siqueira Campos. Não foi uma experiência que tenha deixado saudades. Mas como o tema é a Figueiredo, lembro que havia uma filial da Lojas Americanas lá (ainda existe?) no tempo em que a loja tinha lanchonete. O cachorro-quente de lá era incrível. O cheiro do molho já pegava a gente na calçada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existe, sim, Nalu. Mas não sei como anda a lanchonete. Rivalizava com a lanchonete das Lojas Brasileiras.

      Excluir
  23. Essa região de Copacabana já foi alvo de comentários, precisa ser revitalizada urgentemente e a inauguração da estação Siqueira Campos evidenciou isso. Está mais deplorável ainda do que o Catete. As estatísticas da 12 D.P não mentem. Roubo, lesão corporal, estelionato, e tráfico de Drogas são as campeãs. A sujeira e a desordem urbana são flagrantes. Quem circula pelo local sabe disso.

    ResponderExcluir
  24. A Siqueira é um pouco melhor mais perto da praia,mesmo assim...
    Minha mãe morou em frente aquela rua que vai dar no terreno da Light.
    Não me lembro o nome.

    ResponderExcluir
  25. Anônimo,o autêntico27 de janeiro de 2017 17:00

    Se Copacabana tivesse mais templos de fé teria menos desamor no coração.O prefeito Crivella vai promover caravanas de fé em toda a orla
    A intenção é evangelizar locais tão pobres de moral.Famílias de bem não podem freqüentar Copacabana de noite sem esbarrar com maconheiros,pivetes,invertidos,viciados,e macumbeiros na areia.O bispo vai dar jeito nisso.

    ResponderExcluir
  26. Boa tarde a todos.
    Não sou muito de passar nesse pedaço de Copacabana. Na verdade poucas e vezes assim como poucas vezes fui a esse Shopping de Antiquário. Claro, tudo muito caro pra burro!

    ResponderExcluir
  27. O Anônimo ,o autentico deveria ser banido desse blog.

    ResponderExcluir
  28. Morei na Siqueira Campos muitos anos e ia à igreja do shopping todo domingo. Até me mudar, ela nao tinha vidro nas laterais. No inverno era difícil, principalmente quando ventava.

    ResponderExcluir