Total de visualizações de página

sexta-feira, 10 de março de 2017

EMBAIXADAS

Embaixada da França

Embaixada do Japão

Embaixada da Bolívia

Embaixada da Argentina



O prezado Mauricio Lobo, do Tempore Antiquus, publicou recentemente fotos de algumas embaixadas no Rio de Janeiro na década de 30. Eram mansões belíssimas que ocupavam, principalmente, os bairros do Flamengo e Botafogo. Nenhuma destas construções das fotos resistiu ao “progresso”.

 

As três primeiras fotos, da revista Illustração Brasileira, mostram as embaixadas da França, na Praia do Flamengo; do Japão, na Praia de Botafogo; da Bolívia, na Rua Senador Vergueiro. A quarta foto, que encontrei na Internet, é da Embaixada da Argentina, na Praia de Botafogo.

 

Outras embaixadas maravilhosas desta época eram as do Reino Unido e de Portugal, na Rua São Clemente.

 

O Rio de meados do século passado era uma atração e tanto para os estrangeiros, entre eles o Embaixador da França que assim comentou sobre sua embaixada:

 

“La nouvelle ambassade de France possède avant tout l´avantage d´occuper une situation merveilleuse dans la capitale brésilienne. Elle est devant la Baie de Guanabara; elle est sur la Praia do Flamengo, la partie la plus recherchée de la ville par sa beauté et par son élégance. D´un côté de l´ambassade les fenêtres sont tournées vers le panorama fameux de la baie, que l´on embrasse depuis l´entrée de la barre jusqu´à la Serra des Orgues. De l´autre côté, le regard voit se dresser des montagnes dont le cercle admirable, allant du Pain de Sucre au Corcovado et à Santa Thereza, serait à lui seul considéré comme grandiose, si l´on n´avait pas sur le devant le spectacle féerique de Guanabara. D´autre part l´ambassade est dans une position centrale entre le quartier des affaires et les plages de l´´Atlantique."

 

Já a Embaixada da Argentina, como vários dos palácios da cidade, foi construída pela família Guinle e até hoje seus restos podem ser vistos pela cidade, como a sua porta que acabou no apart-hotel Tiffany´s em Ipanema.

 

Na época da mudança da capital para Brasília, em 1960, os endereços das embaixadas eram os seguintes:

 



Embaixada da Alemanha – Rua Presidente Carlos de Campos nº 417

Embaixada da Argentina – Rua Farani nº 29

Embaixada da Austrália – Rua Barão do Flamengo nº 22

Embaixada da Áustria – Av. Atlântica nº 3804

Embaixada da Bélgica – Rua Barão de Icaraí nº 26

Embaixada da Bolívia – Av. Rui Barbosa nº 860

Embaixada do Canadá – Av. Presidente Wilson nº 165

Embaixada do Chile – Rua Senador Vergueiro nº 157

Embaixada da China – Rua São Clemente nº 379

Embaixada da Colômbia – Praia do Flamengo nº 82

Embaixada da Costa Rica – Rua Almirante Salgado nº 118

Embaixada de Cuba – Rua Djalma Ulrich nº 201

Embaixada de El Salvador – Rua Cosme Velho nº 123

Embaixada do Equador – Av. N.S. de Copacabana nº 174

Embaixada da Espanha – Rua Duvivier nº 43

Embaixada dos Estados Unidos – Av. Presidente Wilson nº 147

Embaixada da Finlândia – Av. General Justo nº 275

Embaixada da França – Av. Presidente Antonio Carlos nº 58

Embaixada da Grécia – Praia do Flamengo nº 382

Embaixada da Índia – Rua Barão do Flamengo nº 16

Embaixada de Israel – Rua Paissandu nº 134

Embaixada da Itália – Rua das Laranjeiras nº 154

Embaixada do Japão – Rua das Laranjeiras nº 192

Embaixada da Noruega – Rua da Glória nº 122

Embaixada dos Países Baixos – Rua Jornalista Orlando Dantas nº 68

Embaixada de Portugal – Praia do Flamengo nº 382

Embaixada da Dinamarca – Rua Barão do Flamengo nº 22

Embaixada da República Federal da Alemanha – Av. Rui Barbosa nº 624

Embaixada da Suécia – Praia do Flamengo nº 344

Embaixada da Suíça – Rua Candido Mendes nº 157

Embaixada do Uruguai – Rua Artur Bernardes nº 30

Embaixada do Reino Unido – Praia do Flamengo nº 284



27 comentários:

  1. Grande resgate destes prédios magníficos em que se alojam as embaixadas. De um modo geral ficam em bairros nobres e cada país parece que quer se mostrar superior aos outros se instalando em grandes mansões. Hoje em dia acho que a preocupação maior é com a segurança e estão optando por verdadeiros bunkers. Numa viagem à Itália aproveitei para visitar a embaixada brasileira em Roma, na famosa Piazza Navona. É um local caríssimo de Roma e o palácio Pamphili é deslumbrante. Acho que a manutenção deva ser exorbitante, mas quem paga somos nós.

    ResponderExcluir
  2. Lamentavelmente aqui no Rio a mentalidade preservacionista com o tombamento de imóveis só chegou muitas décadas depois. Lembro de várias publicações sobre a embaixada da França no antigo fotolog.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia a todos.

    Algumas embaixadas viraram consulados, com ou sem mudança de endereço. A dos EUA, por exemplo, irá para a Cidade Nova. Acho que a de Portugal, se já não se mudou, o fará em breve... Na rua de trás da Praia de Botafogo via alguns consulados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Augusto,

      Parece só a parte dos passaportes!

      Excluir
  4. Bom dia a todos.
    Pelo texto desenvolvido hoje pelo Luiz, vai corroborar com comentários meus talvez de dois meses atrás já no novo endereço.
    Quando aqui falei de que todos os cariocas deveriam sentir verdadeira repulsa pela figura Juscelinesca, talvez conterrâneos do citado monstro não gostara nem um pouco disso, preferindo como sempre adular tal peça histórica de nossa História.
    Vejam vocês como era o Rio de Janeiro naquele tempo, poderoso, ainda um Estado de referência e não o que hoje como um mero apêndice de SP, dependendo da "estranha cidade do interior" para tudo.
    E isso sem falar nos males para o transporte. Não se esqueçam, para aqueles que admiram das ferrovias, de que foi aí que começou da derrota de tal sistema de transporte, dando ênfase plena ao rodoviarismo.
    Não sou contra aos automóveis, porém, poderia se dosar um pouco tudo isso.
    Por outro lado, concordo sim que o carioca foi um dos tributários para que o RJ hoje fosse relegado a uma mera sombra de seu passado de glória.
    Me perdoem se meu comentário hoje foi ácido, porém, fico indignado por ver o meu Estado da forma como se encontra.
    Eu não sabia de que o consulado americano estava de mudança.
    O consulado da Alemanha antes baseado na Rua Pinheiro Machado, que acredito que deveria ser avenida, já foi embora e suas instalações estão abandonadas, tendo um mendigo morando em sua sessão de registros de água.
    Luiz. Só faltou mencionar da Embaixada da Rússia. Onde ficava, você saberia me dizer?

    ResponderExcluir
  5. Lembro bem das embaixadas da Alemanha, cujo lindo prédio, infelizmente, está em estado de abandono como relatou Wolfgang.
    A embaixada da Itália ficava perto da minha rua, era linda e foi abaixo da noite para o dia, para evitar protestos e embargos. O porteiro era um senhor que envergava um bonito uniforme e era muito simpático com todos.
    A embaixada do Japão ficava na esquina da minha rua. Naquele tempo, muitos membros da colônia japonesa moravam em Laranjeiras, acho que pela proximidade com a sua embaixada. Até hoje, há uma loja de produtos japoneses, de aparência bem modesta, mas onde se encontra de tudo. Já no tempo em que a embaixada tornou-se consulado, eles faziam festa de São João nos jardins da mansão e era bonito vê-los fantasiados de caipira na maior alegria. Tudo isso acabou, sem dó nem piedade, e em seu lugar há um prédio enorme e feio como tantos outros condomínios que plantaram no meu bairro.

    ResponderExcluir
  6. Para esclarecer (a redação ficou confusa): Lembro bem da embaixada da Alemanha (...).
    A loja de produtos japoneses fica em outro quarteirão, mais ou menos próximo do endereço da antiga embaixada.

    ResponderExcluir
  7. Peralta, o implicante10 de março de 2017 11:05

    Voltei.Tia Nalu sabe tudo de embaixadas,especialmente aquela cheia de estrelas.

    ResponderExcluir
  8. Luiz. Eu posso estar ficando louco, mas acredito de que essa construção pertencente a antiga Embaixada da Bolívia ainda esteja de pé.
    E mais. O atual Consulado da China fica na rua atrás do Botafogo Praia Shopping.

    ResponderExcluir
  9. Ainda me lembro da demolição da Embaixada da Colômbia – Praia do Flamengo nº 82. Deve ter sido por volta de 1984. A casa era belíssima, apesar de estreita. Tinha, se não me engano, três andares e, no último andar, dois enormes gárgulas de mármore guarneciam a balaustrada da varanda. No primeiro andar, um vitral belíssimo escondia o interior dos olhares de quem passava. Curioso é que nunca vi fotos desta casa na internet.

    ResponderExcluir
  10. Respondendo ao Wolfgang, a embaixada da antiga URSS ficava na Rua Muniz Barreto em Botafogo, perto da minha casa.

    ResponderExcluir
  11. Vivem bem os diplomatas. Quando estive em Luanda, Angola, a península dos diplomatas só tinha casas maravilhosas. Bem diferente da então arrasada cidade de Luanda, com marcas de balas e ruínas por todos os lados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Rio e o Brasil não comportam mais casas desse padrão. Sem contar o altíssimo custo de sua manutenção, existe ainda a questão da segurança. Mas o principal é que pouquíssimas pessoas portam condições para adquiri-las: Políticos de alto escalão, empresários do padrão Odebrecht, juízes, desembargadores, e procuradores federais, enfim, a fina flor do "marajanato e do califado brasileiro.

      Excluir
  12. Aos interessados: Endereço da Embaixada dos Estados Unidos de Limoeiro do Norte-CE: Campo de São Cristovão

    ResponderExcluir
  13. As embaixadas do Japão e Itália faziam parte da minha trajetória diária nos anos 60, moradora que era da Rua Ipiranga e estudante do Col José de Alencar, na Rua das Laranjeiras. Conforme palavras supra da Nalu, tirar do cenário belos casarões e colocar construções de gosto duvidoso é querer enfeiar e deprimir a cidade, seus moradores e visitantes! Só mesmo com Rivotril em infusão contínua para tanto desmando e descomando. Qual compêndio psiquiátrico explicaria isso? O prazer em tornar a cidade feia?! Derrubar a beleza?! Alô, Belletti!

    E o que será ocupado no local do Consulado dos USA? Mc Donald's ou Big burguer? Ou talvez o insípido, impessoal, hiponatrêmico,confuso, caro,impessoal,cinzento, e sem charme Starbuck's (Já houve uma enorme perda em acabar com o charmoso bistrô do Cinema Odeon, durante muitos anos ali, para instalar uma unidade sem graça alguma do Starbuck!)?

    Se a questão da mudança do consulado é segurança, em tese a Cidade Nova estaria mais segura do que a Rua México?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Evelyn. Boa tarde.
      Essa do consulado americano foi novidade para mim, porém, não me causou espanto.
      Muitos não sabem, mas do objetivo mesmo é esvaziar o Centro da Cidade e deixa-lo como área turística e de moradia.
      A Assembleia Legislativa e o Ministério da Educação irão deixar a região Central. No caso do MEC, acho que começou na segunda feira dessa semana a se mudar para o Teleporto.
      Fiquei sabendo também de que a Junta Comercial está para ir embora do Centro, porém, esse eu não tenho da certeza.

      Excluir
    2. Evelyn,

      Respondi acima. O que fiquei sabendo na prefeitura é que somente o setor de passaportes irá para a Cidade Nova.

      Excluir
  14. Evelyn,ao que sei não está em nenhum compêndio.O ser humano com o passar do tempo passou a desenvolver a egocentria como uma referencia do prazer,voltando-se cada vez mais para dentro de si e seu mundo,deixando o verdeiro bem estar e a verdadeira beleza ensacolados e destinados ao lixo.Hoje o homem,e o brasileiro aprendeu muito depressa,volta-se para o próprio umbigo e dane-se a coletividade.Com a casta de políticos que temos,criou-se e editou-se o bem estar e a vantagem pessoal.Então em uma ação que possa parecer muito simples,a carga de egocentrismo é cruel e de forma geral acaba prevalecendo.Virou identidade.Lamentável.

    ResponderExcluir
  15. Peralta, ó sideral e implicante moleque, quer conhecer a embaixada das estrelas ao meio dia?

    ResponderExcluir
  16. Voltando a postagem de ontem,materia do O Globo sobre Santa Tersa e a violência no bairro.Detalhes interessantes.Parece que no ano passado ocorreram mais de 800 roubos no local.E tem gente que fica zangada com Joel...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque já basta toda a mídia para veicular as notícias de violência em qualquer lugar, inclusive no seu estado. Não é necessário ficar se repetindo. No caso desse comentarista é quase uma fixação.

      Excluir
  17. Boa noite a todos. Infelizmente só agora tive disponibilidade de tempo para acessar o SDR.
    Que belas fotos, que saudades do meu Rio de outrora. Concordo plenamente com o Wolfgang sobre o JK, conseguiu em 5 anos destruir com a cidade do Rio de Janeiro pelos próximos 500 anos posteriores ao seu governo.

    ResponderExcluir
  18. É isso aí, Belletti e Wolfgang! O papo que rolava é que o Consulado Americano iria para a...Barra! E o MEC vai sair dali?! A Cam dos Vereadores também parece que sairá do Palácio Pedro Ernesto! Ficará estranho esse esvaziamento do Centro...E passar por ali e não ouvir mais a famosa melodia que durante tantos anos ecoava por ali:"Olha a hora, olha a hora, olha a hora, olha a hora...!"

    ResponderExcluir
  19. Certamente muitas cafeterias serão abertas.Muitos docinhos caramelados irão fazer com que certas damas "percam as medidas.

    ResponderExcluir
  20. Caro comentarista sem nome:

    No que tange a mim, dispenso caramelados, acho-os enjoativos e opto por adquirir calorias com guloseimas de outra espécie( bife à milanesa, batata frita), e no quesito doces, os menos doces! Doce muito doce deixa de ser doce, a qualidade de um doce de qualidade está exatamente em não ser doce demais! Se salgado não é para ser muito salgado, por que quando é doce acham que tem que ser muito doce? Contradição total!

    ResponderExcluir
  21. A Embaixada da Bélgica ficava no Leblon e ocupava metade do quarteirão situado na última quadra da Rua General Artigas, Avenida Visconde de Albuquerque e Rua Rainha Guilhermina.

    ResponderExcluir