Total de visualizações de página

quarta-feira, 22 de março de 2017

CIRCUITO DA AMENDOEIRA




Hoje o assunto são as corridas de rua no Rio de antigamente. A foto 1 foi enviada pelo Gustavo Lemos e é do acervo do Fabio Crespi. Mostra a largada de uma das categorias na corrida de 02/09/1934.
As fotos 2 e 3 são do excelente livro “Circuitos de Rua”, de Paulo Scali.
O Circuito da Amendoeira era disputado nas vias públicas que circundam o Morro da Viúva: a reta da Av. Osvaldo Cruz (Av. de Ligação) e as curvas da Av. Rui Barbosa (Av. do Contorno). O nome do circuito derivava da enorme árvore amendoeira da curva próxima de uma das extremidades da Av. Osvaldo Cruz. Segundo Scali, a prova teve baterias diferentes para cada classe de cilindrada de carros de turismo e uma bateria para carros especiais de corrida. Foram 13 concorrentes e 11 marcas de carros.
Entre os pilotos havia nomes conhecidos como Primo Fioresi, José Santiago e João Júlio de Moraes. Entre os novatos havia um piloto que depois se destacaria nas pistas, Henrique Casini. O vencedor absoluto da prova foi “Juca Spinone”, pseudônimo de João Júlio Moraes, cujo carro de turismo obteve a maior velocidade média da prova, incluindo a categoria de corrida. A prova desenvolveu-se em 10 ou 20 voltas, conforme a cilindrada.
 
Na categoria Turismo até 1500 cc venceu Tavares Brandão num Fiat; Turismo entre 1501 e 3000 cc venceu Primo Fioresi com um Lancia; Turismo entre 3001 e 5000 cc venceu Juca Spinone num Ford V-8; e acima de 5000 cc venceu Henrique Casini com um Hudson.

29 comentários:

  1. Peralta, o implicante22 de março de 2017 07:50

    Na foto do meio tem o carro 13.É da Tia Nalu.Ela vive com o 13.

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia esse circuito. Naturalmente com pilotos abastados da época.

    ResponderExcluir
  3. Devia ser muito perigoso para corredores e assistentes mas emocionante para os espectadores. Só era possível naquele Rio de pouca gente.

    ResponderExcluir
  4. Para mim, essa poderia ser chamada de uma "simples e bucólica postagem". Mas nada mais é simples e bucólico na vida. Quantas esperanças, sonhos e até vidas se perderam até chegarmos a sofisticação de agora.
    Há muito tempo, em uma expo de fotos havia uma, apenas um tronco com pouco galhos secos sem vida. Inquiri minha amiga e uma senhora ao lado nos informou que era a árvore em que um frei, dito comunista, se enforcou. Todos sabemos que ele, entre outras, sofreu a maior das torturas, a intelectual. Sua fé, sua religião, seu sacerdócio, sua castidade, seus votos, tudo serviu de mote para o deboche. Ele poderia ser um "inocente" mas não era um delator.
    Grande foto aquela.
    Deveria ser inverno, todos agasalhados. Mãos no bolsos, um símbolo, inclusive no cinema americano, do resguardo da masculinidade.
    Seres humanos, gênero? Masculino.
    Belíssima foto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, era inverno. A corrida aconteceu no dia 2 de setembro de 1934.

      Excluir
    2. Gustavo,
      Não encontrando mais os fotolog's naveguei pelo que sabia existir. Um dos locais era o YouTube e a sua palestra sobre genealogia. Quase decorei. rs
      Lembro com saudade dos seus comentários. O quanto de filosofia aprendi com você!
      Que inverno!!!
      Grata.

      Excluir
  5. Na primeira foto, no meio, um Amilcar (o carro que enforcou a Isadora Duncan) e mais próximo, um Fiat 508 Balila (número 4). Na foto do meio, dois carros americanos (Ford) e na foto final, dois Balila e um sedãzinho estreito que não me atrevo identificar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembro do meu pai ter dito que os esportivos Amilcar não tinham caixa de satélites no diferencial. Em curvas fechadas era um problema, já que a rode dentro da curva pulava.

      Excluir
    2. Gustavo, nem todos aqui têm conhecimento técnico para saber o que é "caixa de satélites". Eu por acaso sei mas para explicar teria que escrever com maiores detalhes. Resumindo, seria um conjunto de engrenagens, normalmente acondicionado em uma embalagem de metal, em alguns casos com o formato da embalagem do queijo tipo reino palmira. A finalidade é alternar a tração das rodas motrizes, de uma para outra. Como a explicação não é tão simplória segue um link para quem se interessar. http://bestcars.uol.com.br/ct/difer.htm

      Excluir
    3. Quando o diferencial traciona um eixo rígido, as duas rodas giram sempre na mesma velocidade. Isso é um problema nas curvas, já que a roda de fora gira mais que a dentro. A caixa de satélites é um conjunto de engrenagens que corrige o problema.

      Excluir
  6. Bom dia a todos. As corridas de rua, foram sucessos na primeira metade do século passado, atraíam muitas pessoas que na sua maioria não entendiam nada de automobilismo, mas compareciam ao evento para verem a coragem e habilidade dos pilotos que dirigiam automóveis em altas velocidades. Atualmente a velocidade alcançada por aqueles automóveis, são muito inferiores aos carros de hoje em dia, e a segurança então nem se compara. Na foto conforme colei a marca e o modelo do mestre Roberto Dieckmann, o automóvel Amilcar mesmo passado quase um século, faria sucesso pelas ruas do Rio.

    ResponderExcluir
  7. Bom dia a todos.

    Tenho o livro descrito pelo Dr. D' no texto do post. A prefeitura finalmente começou as tratativas para a construção do novo autódromo na região de Deodoro. Só falta combinar com o pessoal do Chapadão...

    ResponderExcluir
  8. Bom dia a todos.
    Cansei de passar por aí, pois morei bem perto mesmo, porém confesso de que jamais poderia imaginar de que servira para circuito de corrida.
    Só mesmo o Saudades do Rio para ensinar peculiaridades da História da Cidade Maravilhosa.
    Uma dúvida.
    Luiz, você saberia me dizer onde ficava esse tal do Amendoeira? Já ouvi dizer de que era aí perto, porém, outros, no seu antigo fotolog, diziam de que era em Botafogo na rua do cemitério.
    A rua na primeira foto, lembra muito a Oswaldo Cruz próximo a Honório de Barros.

    ResponderExcluir
  9. A Amendoeira, que deu também o nome a uma concessionária de automóveis, era (ou é, não sei) na esquina da Praia do Flamengo com Osvaldo Cruz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela informação Luiz.

      Excluir
  10. Bom dia. O circuito de rua é algo impensável para o Brasil por diversos fatores, principalmente a falta de educação da população. Quanto ao autódromo em Deodoro, acho a ideia risível. Qualquer complexo automobilístico norte americano ou europeu dispões de uma infraestrutura adequada e que visa,a segurança dos usuários. Quanto à sugestão do Augusto de se perguntar ao pessoal do "Chapadão", seria mais objetivo solicitar "autorização" à uma certa família de políticos. Afinal são eles que dão as "ordens" naquele complexo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joel,
      Deodoro, quando utilizei para chegar à Base Aérea dos Afonsos me pareceu tranquilo. Vivia me perdendo, sair da Ilha para subúrbio era complicado.
      Estive recentemente no Jardim Sulacap no Conjunto da Aeronáutica visitando uma colega de FAB e amei.
      Como a visita a Deodoro foi a cinco anos e a cada dia a coisa piora...

      Excluir
  11. O Fabio Crespi disse-me há pouco que o Ford 13 da foto do meio é o seu pai Luciano Crespi.

    ResponderExcluir
  12. Antigamente qualquer projeto para a cidade que fosse planejado fora da Zona Sul, Zona Norte ou Centro era criticado por ser "longe". Foi assim quando pensaram no estádio da copa de 50, que inicialmente seria em Jacarepaguá e acabou sendo no Maracanã. Quando fizeram o RioCentro no final dos Até os primeiros Rock in Rio foram criticados devido à distância.

    Hoje a crítica que fazem a qualquer projeto para a Zona Oeste é devido à insegurança e proximidade com comunidades, como se tantos outros existentes, sejam em qualquer parte da cidade, não padecessem do mesmo problema...

    ResponderExcluir
  13. Dirigir um Ford 1934 já era uma aventura... Em uma corrida era pura ousadia! . A amendoeira ainda está lá, com uma placa comemorativa ao seu lado ( pelo menos até o domingo passado...). Na Ilha do Governador a primeira prova automobilística ocorreu em 1934, quando a Dona Venina Piquet ( Dona Nina, para os moradores), dirigindo m Ford 1934 ganhou a corrida.
    Jaime Moraes

    ResponderExcluir
  14. Gustavo lembrou bem. Vários carros europeus de baixo custo não possuíam a caixa de satélite, tal como o Amilcar, o Sara e o Superior. Nas curvas sempre davam alguns pequenos saltos...
    Jaime Moraes

    ResponderExcluir
  15. Não falo de ninguém e meus comentários são deletados e não sei porque.Hoje eu só gostaria de saber que estátua é aquela que está na segunda foto mais ou menos entre os dois carros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chama-se Monumento a Cuauhtémoc está localizada na Praia do Flamengo: Av Oswaldo com Av. Rui Barbosa,lugar conhecido antigamente como Curva da Amendoeira e foi presenteada ao RJ em 1922 pelo governo mexicano.
      Tente: wwwpraiadoflamengocuauhtemoc

      Excluir
    2. Corrigindo
      Oswaldo Cruz.

      Excluir
  16. Só uma nota.
    O casarão na segunda fotografia ainda está de pé.
    Lembro em certa ocasião no já falecido FOI UM RIO QUE PASSOU do André Decourt, citar até o nome dos construtores de tal residência. Pois bem. Na parede que dá para a Avenida Oswaldo Cruz, está lá no nome dos distintos.

    ResponderExcluir
  17. O casarão da segunda foto é a casa de Arte e Cultura Julieta de Serpa, palacete construído em 1920.
    https://www.julietadeserpa.com.br/
    Há braços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Zierer. Tem sim. É só olhar aquele mais a esquerda da fotografia.
      Esse casarão ainda está de pé e é na esquina da Praia do Flamengo com a Avenida Oswaldo Cruz.

      Excluir
  18. Pode-se dizer que era um circuito oval. Hoje os organizadores seriam obrigados a pedir permissão ao francês, atual guardião dos últimos metros quadrados que restaram do território da França Antártica na Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro.
    Em tempo: o blog "Foi Um Rio que Passou" está mantido em estado de congelamento:
    www.rioquepassou.com.br
    Está a espera da cura do desânimo de seu administrador.

    ResponderExcluir
  19. O site abaixo trás informações de todos locais onde se realizaram as corridas de rua na cidade do Rio de Janeiro, vale a pena dar uma olhadinha.
    https://cidadesportiva.wordpress.com/tag/circuito-da-amendoeira/

    ResponderExcluir