Total de visualizações de página

quarta-feira, 26 de abril de 2017

CASA DE SAÚDE SÃO CLEMENTE


A foto de hoje mostra a Casa de Saúde São Clemente, que funcionou na Rua São Clemente nº 271, telefone 46-2828, esquina com a Rua Sorocaba.
 
Confesso ter poucas lembranças dela, embora deva ter passado centenas de vezes por ela, pois ficava bem perto do Colégio Santo Inácio.
 
O Jornal do Brasil de 23/01/1953 relata que Manoel Maria Tavares Pascoal, dono de um bar na Av. Ataulfo de Paiva 245 foi esfaqueado por um freguês que queria sair sem pagar a conta. Após os primeiros socorros no Hospital Miguel Couto, foi transferido para continuar o tratamento na Casa de Saúde São Clemente.
 
Outras notícias sobre esta Casa de Saúde dão conta de que era usada pelo Vasco da Gama na década de 60 e ali foram realizadas, em maio de 1964, as operações de amígdalas do Celio e do Saulzinho, atacantes do Vasco, pelo Dr. José Marcozzi.
 
Os profissionais do Jockey Club Brasileiro também eram operados nesta Casa de Saúde, como o treinador Antonio Pinto da Silva, de cálculos renais.
 
Em 1968 o Jornal do Brasil noticiava uma tentativa de assalto à Casa de Saúde, por parte de Plinio Cavalcanti Quinderê, que foi preso após alerta da Enfermeira-Chefe, Maria Aldegundes de Camargo. Este meliante foi posteriormente identificado como o autor do roubo da espada do Marechal Dutra em cerimônia no Itamaraty em 1948, quando se fantasiou de almirante para perpetrar o crime.
 
Já na década de 70 foi a vez do Fluminense utilizar esta Casa de Saúde: o craque Samarone esteve internado por crise renal e deixou seus companheiros desolados por desfalcar o time que era formado por Jorge Vitorio, Oliveira, Galhardo, Altair e Marco Antonio; Silveira e Denilson; Cafuringa, Flávio, Samarone e Lula.
 
Além dele, ali estiveram internados nesta década Galhardo, Toninho, Carlos Alberto, Dionísio, Manfrini, sob a supervisão do Dr. Durval Valente, com quem trabalhei no Hospital Souza Aguiar.
 
Na década de 80 já não há referências à Casa de Saúde e Maternidade São Clemente. Atualmente há um arranha-céu no local onde funcionou a Casa de Saúde.
 
PS: quem devia ser cliente desta Casa de Saúde era o saudoso e pranteado General Alípio Miranda, morador da Rua Sorocaba nº 90, junto com sua dileta esposa Alayde, a Didi.
 
O Ilustre General Miranda, oficial culto e exemplar - algo pouco comum no atual círculo militar (e que foi tão injustamente enclausurado no Forte de Copacabana), como bem recordam os antigos comentarista deste espaço, foi brutal e covardemente assassinado pelo torpe meliante Tutu La Minelli, ora homiziado naquela estranha cidade do Sudeste.
 
Como já registrou aqui o Historiador Militar, "o General Miranda se notabilizou, não só pela sua inteligência, mas pela extraordinária bravura: tomou parte na FEB que participou do assalto à Abadia de Monte Cassino (1944), enfrentando forças muito superiores àquelas que comandava. Ao longo de sua gloriosa carreira, exerceu os lugares de instrutor de esgrima, diretor das oficinas de reparação de automóveis do Exército, vogal do Conselho Central da Cruz Vermelha Brasileira e do Pró-Sanatório dos Sargentos Tuberculosos dos Exércitos de Terra e Mar. Fez parte do júri para as provas especiais de aptidão, para a promoção ao posto de major, dos capitães taifeiros. Em meados dos anos 50, combateu ardorosamente os insurretos do General Lott, o que lhe valeu uma curta detenção no Forte de Copacabana (Punição que se revelou, mais tarde, injusta). Entre outras condecorações, é Comendador da Ordem de S. Gregório Magno (classe militar) com que Sua Santidade João XXIII o agraciou.É autor de várias obras sobre assuntos bélicos, em que se destaca uma monografia muito interessante sobre o "Canhão Vickers de Seis Polegadas da Artilharia de Costa". Por seu elevado nível moral e intelectual, este distinto morador da Rua Sorocaba, deixou muitas saudades.”

27 comentários:

  1. Bom dia. Lembro-me muito vagamente dessa Casa de Saúde, que pertencia a um tempo em que tais casas de saúde primavam pela excelência. Era uma época em que a saúde pública era de bom nível e a particular praticava preços acessíveis ao público em geral. Diga-se de passagem que esse quadro começou a mudar nos anos 80, principalmente com a entrada no mercado de grandes operadoras de saúde, multinacionais que possuem o apadrinhamento e por que não dizer o conluios de políticos, que com sua nefasta autuação conseguiram destruir um sistema de saúde de bom padrão e que atendia ao público com alguma eficiência. Quanto à participação do General Miranda na Segunda Guerra Mundial, faço uma correção: A batalha de Monte Cassino, ocorrida entre Janeiro e Fevereiro de 1944, não teve a participação do Feb, já que o Brasil ainda não participava do conflito. Acredito que a gerencia tenha se referido à batalha de Monte Castelo, ocorrida entre Novembro de 1944 e Fevereiro de 1945 e que teve participação da Força Expedicionária Brasileira.

    ResponderExcluir
  2. Acho um absurdo o valor cobrado pelos Planos de Saúde individuais no Brasil. São precos muito mais altos do que os praticados na Europa, por exemplo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em Portugal praticamente não existem planos de saúde, apenas em algumas situações, e mesmo assim seus preços são viáveis.

      Excluir
  3. Gostei da cantilena referindo o roubo da espada.Ceará, indivíduo, deve saber melhor do caso.Pelo visto a casa de Saude era uma sucursal do campeonato carioca.Foi citado o Jorge Vitorio a quem conheci em 67.Recentemente vi uma foto com ele e outros amigos.Gente boa.Nunca mais tive noticias dele.
    Com relação a planos de saúde é muito complicado.Como o Estado não cumpre seus deveres,eles crescem.E tome Tarja Verde....

    ResponderExcluir
  4. Dessa clínica eu não lembro, só a do Dr. Pitanguy, na Rua Dona Mariana, onde passei algumas horas. Isso faz muito tempo, mas ainda tem um casarão lá que deve ser a clínica original. Se eu parar de trabalhar com certeza vou ter que aderir ao Plano SUS. E salve-se quem puder. Os oficiais do Exército Brasileiro podem ter comparecido ao Monte Cassino apenas como observadores, a título de experiência. Outros, até como soldados, podem ter combatido, mas alistados nas forças americanas ou inglesas, ou até mesmo do outro lado, entre alemães e italianos (os pró Mussolini), o que aconteceu entre brasileiros descendentes de "tedescos" e "carcamanos", como se dizia antigamente.

    ResponderExcluir
  5. Bom dia a todos. A Casa de Saúde não tenho recordações, já o texto no que se refere aos jogadores de futebol, tenho lembranças de todos. Quanto ao Gen. Miranda, quando comecei a frequentar diariamente o SDR, já havia sido assassinado. Já quanto aos planos de saúde infelizmente sou roubado mensalmente aqui em casa em quase 6 mil por mês, e vira e mexe eu sou surpreendido que um médico, exame ou hospital não está atendendo ao meu plano, que é aquele que financiava o Fluminense e futrica agora os seus associados. E o pior de tudo, depois de pagar imposto na fonte, gastar mais de 70 mil com saúde por ano, ainda tenho o desprazer de após fazer minha declaração ainda ter de pagar mais imposto. E ainda tem gente que acha que não devemos falar mal dos nossos corruptos e salafrários políticos. E todo mundo sendo roubado e enganado por essa corja, a população, as entidades civis e a mídia calada e conivente. Os políticos fazem reforma da Previdência, Trabalhista prejudica o trabalhador, e os sindicalistas calados sem se manifestarem, nem nas ruas, nem através de greves. Agora quando forem votar para acabar com a contribuição sindical vão fazer o maior banzé. No dia do depoimento do safado do Lula, vão fazer protesto no Paraná, com ônibus vindo de todo o Brasil, pagos com o dinheiro do trabalhador. Olha que não era a favor de uma intervenção militar, pois acreditava que a sociedade poderia reverter esta situação, porém hoje já tenho outra opinião.

    ResponderExcluir
  6. Bom dia a todos.
    Essas Casas de Saúde fazem falta e penso de que deveriam voltar a tê-las espalhadas pela cidade.
    Não entendo sobre o assunto, porém penso de que era uma forma de até desafogar os hospitais pois nos dias atuais mesmo você pagando plano de saúde que de barato nada tem, principalmente quando ficamos mais velhos, há agora de filas e mais filas para ir ao médico ou se fazer um exame. Penso que talvez fosse bom a volta delas.
    Aí perto só que na Rua Paulo Barreto fica a Clínica Santa Bárbara.
    Agora, interessante ver pela descrição do Luiz, de como a violência no Rio de Janeiro é algo antigo.
    Quer dizer que o "ilustre Presidente" trocara o Coríntians pelo Fluminense? Interessante. Essa entra para os causos do Blog.

    ResponderExcluir
  7. Bom dia a todos.

    Passei várias vezes pela esquina, mas já ocupada pelo prédio atual. Não tive a oportunidade de ver "ao vivo" o prédio da clínica.

    ResponderExcluir
  8. Luiz, flamenguista convicto, escalando o time do Fluminense, me fez lembrar de uma época em que não havia esse tipo de rivalidade clubística como hoje, cujos debates beiram o ódio. Lembro de muitos torcedores indo ao maracanã assistir a jogos de times aos quais não torciam. O que valia era o prazer de assistir a bons e emocionantes jogos...

    ResponderExcluir
  9. Lino passando a bola e Joel fulminando...É mais ou menos por aí.Também sou um descrente com esta turma que aí está,com o conluio entre os poderes.Já falei aqui que é um só jogo de interesses.Todos em torno de "mais brasa para minha sardinha"...Lino,é duro ainda ter quer pagar,além do que já deixou na fonte.Como sou pastor pessoa física,estou no balaio.Grande espanto!!!!!

    ResponderExcluir
  10. Lembro deste casarão onde funcionou a Casa de Saúde e de outros muito bonitos da rua Sorocaba. No local da residência do general Miranda funciona hoje um colégio com um muro horroroso mas ainda dá para se ver que era uma mansão como aquelas de Botafogo de antigamente. Quanto ao meu xará não posso deixar de registrar que era criativo pois se fantasiar de almirante e roupar a espada do Marechal não é para qualquer um. Além disso se manteve no crime como comprova o assalto à Casa de Saúde.

    ResponderExcluir
  11. Passo mensalmente pela Rua São Clemente. Fico procurando vilas, casarões antigos, como o da família Calmon. Vestígios da infância, que me fazem relembrar velhas histórias em família. Mais raras são as lembranças, mais triste a contatação. Só agora, vendo a foto, lembrei. Tamanha são as perdas, impossível registrar todas.

    ResponderExcluir
  12. Peralta,o implicante26 de abril de 2017 12:07

    Vi o IR da Tia Nalu.Ela declarou que tem um sítio!

    ResponderExcluir
  13. Contabilista do Blog26 de abril de 2017 12:13

    O sr. Lino pagou mais de 70 mil só de plano de saúde donde se conclui que o sr. Conde tá ferrado com aquela aposentadoria de 4 paus.

    ResponderExcluir
  14. Nas décadas de 60/70 essas Casas de Saúde proliferaram graças ao extinto INPS (antecessor do INAMPS) que funcionava como um plano plano de saúde, que as credenciava. Quando do atendimento em algum hospital público, o paciente recebia a visita de uma assistente social e, se fosse constatado que o mesmo era um trabalhador com "carteira assinada", era providenciada a sua transferência para uma casa de saúde ou hospital da rede do INAMPS, aliviando assim os hospitais públicos. A baixa remuneração por esse convênio era compensada pelo grande volume.

    ResponderExcluir
  15. Caro Luiz, permita-me um comentário um tanto sarcástico mas se esse Sr. Pascoal tivesse sido esfaqueado alguns anos mais tarde, seu destino seria outro santo: o São Miguel.

    ResponderExcluir
  16. Observador de Textos26 de abril de 2017 14:31

    Meliante?Quem gosta do termo são os homens da PM mas deveria ser usado por jornalistas nas notícias sobre políticos.

    ResponderExcluir
  17. Ontem foi o goleiro Bruno e hoje a sra.Cabral.Retorno ao xilindró.

    ResponderExcluir
  18. Faleceu o jornalista Carlos Chagas.

    ResponderExcluir
  19. O hospital São Francisco de Assis na cidade nova era referência no antigo Distrito Federal. Minhas irmão nasceram nele e minha mão também fazia tratamento contra asma. Ainda existiam o Hospital da Ordem do Carmo, na rua do Riachuelo e a Casa de Saúde São Sebastião na rua Bento Lisboa.

    ResponderExcluir
  20. Reporter Esportivo26 de abril de 2017 16:37

    Este Samarone da crise renal jogou também no Corintians e Flamengo,mas começou na Portuguesa Santista.Na época estudava engenharia e depois que parou com a bola foi trabalhar no antigo DNER.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Observador de colaboradores26 de abril de 2017 18:19

      Jorge Vitorio,Oliveira,Valtinho,Altair,e Bauer;Denilson e Suingue;Wilton,Claudio,Samarone e Rinaldo.Ano de 1967.

      Excluir
  21. Carcereiro noturno26 de abril de 2017 21:11

    Decisão alterada.Só o Bruno vai voltar ao xilindró.

    ResponderExcluir
  22. Coincidências da vida, ontem deixou o comando da AMAN (não é irmã do JBAN e sim Academia Militar das Agulhas Negras) um general de sobrenome Miranda.

    ResponderExcluir
  23. Deve ter sido interessante este casarão na época, não somente pela função que exercia, mas também por sua arquitetura. Póderiam ter preservado, ainda que sua ocupação fosse outra depois!

    D'Palácio, imagino que suas irmãs sejam "Palaceta" e "palacinha" rs

    Não sabia que o Hospital São Francisco de Assis tinha serviço de Maternidade, lamentavelmente onde encontra-se com janelas quebradas, pichado, rabiscado e outros ados...Pertence à UFRJ! Como uma cidade turística, olímpica, deixa isso acontecer?

    A Casa de Saúde São Sebastião já teve seus dias de glória, nos anos 60, local de nascimento de grandes personalidades, coincidentemente essa que vos fala...

    Depois caiu em ostracismo, até fechar nos últimos anos, vindo a funcionar no local uma clínica oncológica. Agora parece que é um...estacionamento!

    O Hospital da Ordem do Carmo fechou? Já não lembrava( ou não sabia...), é um tal de "abre-fecha".

    Dos públicos, perdemos muitos: Hospital São Sebastião, no Caju, referência para doenças infecciosas! Hospital IASERJ, na Henrique Valadares;. Mat. Pça XV, com a demolição da Perimetral, além das ameaças do Pedro Ernesto, da demolição de parte do HU, etc e etc.

    Aí faço a pergunta de sempre: A quem ou "a quens" interessa isso?! Pois é...

    ResponderExcluir
  24. Capitão taifeiro. Está aí algo que nunca ouvi falar. E promoção a major... taifeiro? Samarone foi batizado como Wilson, conta meu amigo Max, agora e desde sempre completamente por fora do futebol. Tiveram um contato frequente e o Max o tempo todo o chamando pelo nome de batismo. Até que um dia o Samarone, irritado com aquele tratamento, recolocou os pontos nos is.

    ResponderExcluir