Total de visualizações de página

quinta-feira, 25 de maio de 2017

CENTRO




Hoje temos esta belíssima foto panorâmica enviada pelo Helio Ribeiro, a quem o “Saudades do Rio” agradece. Esta foto, com uma qualidade baixíssima, foi postada há mais de 10 anos no “Saudades do Rio”. Vale muito a pena vê-la com esta qualidade de hoje e com a possibilidade de apresentá-la em dois detalhes adicionais.
 
Vemos as imediações do Teatro Municipal com o reboque 1467 indo pela Rua Treze de Maio. À esquerda (e na foto mais abaixo, em detalhe) vemos a Igreja Anglicana, que foi levantada pela colônia inglesa do Rio, no século XIX, sendo a primeira deste culto na América do Sul. Lá longe o Convento de Santo Antonio.

A pedra fundamental da capela dos ingleses foi lançada em 1819, na entrada da Rua dos Barbonos (atual Rua Evaristo da Veiga), no pátio da casa que foi do Bispo José Joaquim Justiniano de Mascarenhas Castello Branco.

A construção deste primeiro templo protestante no Rio deve-se, conforme conta Dunlop, à permissão contida no Tratado de Amizade e Comércio, que no art. 12 preceituava:

"Sua Alteza Real o Príncipe Regente de Portugal declara e se obriga no seu próprio nome e no de seus herdeiros e sucessores a que os vassalos de Sua Majestade Britânica, residentes nos seus Territórios e Domínios, não serão perturbados, inquietados, perseguidos ou molestados por causa de sua Religião, mas antes terão perfeita liberdade de consciência e licença para assistirem e celebrarem o serviço divino em honra do Todo Poderoso Deus, quer seja dentro de suas casas particulares, quer nas particulares Igrejas e Capelas que Sua Alteza Real agora e para sempre graciosamente lhes concede a permissão de edificarem e manterem dentro de seus domínios e conquista, contanto que as sobreditas capelas sejam construídas de tal maneira que exteriormente se assemelhem a casas de habitação e também que o uso de sinos não lhes seja permitido".
 
O Gustavo lembra que, no bojo deste acordo, foi construído o Cemitério dos Ingleses na Gamboa. O paradoxo deste acordo é que ainda vigorava a Inquisição em Portugal, que só foi abolida em 1821. A proibição dos sinos provavelmente foi por pressão dos bispos católicos. Antes da construção do Cemitério dos Ingleses nenhum protestante poderia ter ser corpo enterrado em campo santo.

A capela foi remodelada no final do século XIX segundo planos do arquiteto Jannuzzi.

Na década de
1940 a igreja mudou-se para uma magnífica propriedade na Rua Real Grandeza, em Botafogo, sucumbindo à construção de arranha-céus no Centro.
 
Na foto em detalhe da Rua 13 de Maio podemos observar o reboque 1467 e um carro-pipa aparentemente enguiçado. E o famoso hábito do carioca de caminhar no meio da rua.
 
Segundo o Decourt, esta é a 13 de Maio de Pereira Passos, já com o seu primeiro alargamento. A via ganharia seu PA atual com o Plano Agache que praticamente duplicou a largura da via, à época vital na ligação Zona Sul-Centro pelo sistema de bondes. Vemos também os dois tipos de iluminação usadas na cidade em uma época de transição do sistema, com um poste em estilo NY com uma lâmpada de arco voltáico e um poste em estilo francês de tamanho médio com 3 combustores.
Ao fundo vemos o Teatro Lyrico.
 



 
 
 

27 comentários:

  1. Está região era belíssima. O progresso acabou com muita coisa bonita.

    ResponderExcluir
  2. Observador anglicano25 de maio de 2017 08:27

    Bom dia. Duvido que à época católicos eram tolerados no Reino Unido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Embora a convivência historicamente não seja muito pacífica, sempre houve católicos no Reino Unido, principalmente na Irlanda.

      Excluir
    2. Henrique VIII deu um basta nas absurdas pretensões da igreja católica na Inglaterra e rompeu com ela, fundando a Igreja Anglicana e auto proclamando-se seu chefe. Isso só foi possível após o advento de Martinho Lutero em Witenberg. Se isso não tivesse ocorrido, duvido que o "barba azul" tivesse coragem de romper com a "Santa Madre igreja"...

      Excluir
    3. Não foi bem assim Joel Almeida. Henrique VIII quis divorciar de Catarina de Aragão, filha dos reis católicos da Espanha e o papa negou. Ele também se aproveitou do Cisma de Lutero, como vc disse, e rompeu com o Vaticano. Após sua morte, sua filha Mary restaurou o catolicismo e criou enorme confusão no reino. Mas ela viveu pouco e os anglicanos voltaram, mas em diversas partes do reino o catolicismo continuou até hoje.

      Excluir
    4. Quem assumiu depois do Henrique VIII foi o filho Eduardo, que ficou poucos anos no trono. Depois aconteceu a disputa entre a ("bloody") Mary e a Elisabeth, com vantagem para esta última, que foi a última representante dos Tudors.

      Excluir
    5. Observador anglicano25 de maio de 2017 15:38

      De qualquer forma D.João teve que ceder às pretensões britânicas.

      Excluir
    6. Eu não disse que Mary sucedeu Henrique VIII. Eu disse que após sua morte restaurou o catolicismo. Ela reinou de 1553 a 1588 após a morte do irmão Eduardo. Elisabeh a sucedeu.

      Excluir
    7. Gustavo, o Henrique VIII morreu em 1547, assumindo Eduardo VI, que ficou poucos anos, entã assumindo sua irmã Mary (católica). A Elizabeth assumiu o trono em 1558 e ficou no trono até 1603.

      Excluir
  3. Bom dia. Local totalmente modificado e inimaginável para os dias de hoje. Parte dessas construções era de residencias e de uso misto, o que fazia que o centro do Rio fosse muito mais habitado do que atualmente, visto que após às 18 horas se torna um quase cemitério. O texto revela a intransigência e a arrogância da "Santa Madre Igreja", que desde priscas eras procura impor suas regras e sua fé, muitas vezes através de atitudes como a descrita e até piores. Não é sem razão que o número de adeptos das igrejas pentecostais tenha crescido tanto...

    ResponderExcluir
  4. Muitas informações interessante.Igreja mudando de endereço deve ser estranho,mas como já vi buteco mudar de rua e levar clientela....****FF:Grande sufoco ontem contra o Atlético lá de Goiás.A cada dia vejo o time piorando.4 laterais em campo? E não sei se vai melhorar....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Observador Esportivo, o vetdadeiro25 de maio de 2017 10:00

      Belletti, o O.O. do Flamengo quer inventar com estes 4 laterais, insiste no Vaz que quase entregou ontem mais uma vez, deixa o Guerrero mais isolado que o Robinson Crusoe sem radinho de pilha e insiste no goleirinho mão de alface que quase tomou um frangaço. Levar sufoco do Atlético Goianiense já diz tudo.

      Excluir
    2. Observador verdadeiro,este goleiro vai matar a torcida rubro-negra e o pior é que não tem substituto.Péssimo em saída de gols e em reposição de bolas.Carreira curta no Mengão.Aí vejo o quanto era bom o goleiro aquela peste do Bruno.Mesmo o Paulo Vitor nos passava mais confiança.E este Zé Ricardo não consegue acertar o time.Elenco milionário e nada .É por isto que a Nalu quer um ataque dos sonhos,com Negueba,Obina e Val Baiano!!!

      Excluir
    3. Belletti, o técnico do Flamengo está lançando uma nova tácnica de ataque chamada overlaping.

      Excluir
  5. Bom dia a todos.

    Recomendo vasculhar o acervo da Brasiliana Fotográfica mostrando a mesma região alguns anos antes, durante a abertura da avenida e construção do Teatro Municipal e da BN.

    ResponderExcluir
  6. A 13 de Maio passou a ser avenida por conta da largura da via?
    Consta que arquitetura típica de igreja só foi liberada para os protestantes a partir da Proclamação da República. Acho que a diferença entre os anglicanos e os católicos está em quem comanda a Igreja.
    A Inquisição pode ter sido abolida em 1821, mas já tinha quase um século que existia só no papel.
    Esse carro pipa era para abastecer o sistema de refrigeração do Municipal? Com a palavra a Calango Air.

    ResponderExcluir
  7. Bom dia a todos.
    É da primeira vez que vejo essas fotos, apesar de frequentar o SAUDADES DO RIO há muito tempo, há mais de 10 anos.
    Gostei delas. Muito nítida, mostrando com detalhes dessa parte da Rua 13 de Maio.
    Não conhecia sobre esse templo anglicano.
    No fim de semana, conversava justamente com um amigo que nasceu e mora naquela área da cidade até hoje, que concerne a região portuária, ele havia me dito de que ao lado do Cemitério dos Ingleses havia um colégio erguido mais ou menos nessa época que também era pertencente aos ingleses.
    Da ultima vez que trafeguei por aquela rua, muito antes das reformas do Porto, não me lembro de ainda estar de pé por ali algum colégio que pertencera aos ingleses. Mas acredito que se existiu, já fora para o chão faz tempo.
    Não entrando no mérito dogmático, porém, acho interessante e já disse isso aqui, as riquezas arquitetônicas das igrejas são muito bonitas. Tanto católicas quanto as de outros segmentos.
    É claro que não falo sobre esse chamado neo pentecostal de hoje. Esses são horrorosos em tudo.
    Mas já que o assunto por mim descambou para igrejas, gostaria de deixar uma pergunta e se alguém souber alguma informação e quiser passa-la, fico grato:
    Aquela igreja na Rua Uruguaiana, entre a antiga Slooper e o favelódromo ainda funciona? Lembro de que ela estava para ser abandonada pois a Arquidiocese do Rio não quis.
    Isso de fato aconteceu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wolfgang você está falando da igreja de São Benedito?
      Ela pegou fogo acho que nos anos 80 e foi reconstruída, porém com arquitetura moderna.

      Excluir
  8. Bom dia a todos. As duas fotos que mostram a Igreja Anglicana, ficaram extraordinárias com a rejuvenescimento realizado. Deuses e Religiões ainda um dia teremos a verdadeira explicação das suas origens, pode até não ser em nossas vidas, mas teremos. Já a foto da Av. 13 de Maio também ficou espetacular, porém nela podemos ver detalhes de construções importantes que foram ao chão nas décadas de 40 e 50 e substituídas pelos atuais arranha céus que lá estão. A vista ao fundo do Convento de Santo Antonio, dá um realce espetacular a foto.

    ResponderExcluir
  9. Fotos muito boas. O zoom na segunda foto ficou incrível.

    Adoro ver igrejas, sobretudo as antigas. Mas quanto à crenças, dogmas, liturgias e tudo mais que é ligado a qualquer religião, estou fora. Com certeza se não tivéssemos a certeza que vamos morrer, como os animais, não haveria religião. A história nos mostra categoricamente isso. E o mais triste é constatar que um montão de espertalhões, de todas as matizes de crenças, se aproveita dessa lacuna e necessidade das pessoas por uma religião, para encher os seus egos e bolsos.

    Fico a pensar: um país onde uma pessoa que faz mandinga, trabalhos, pajelança, vende óleo ungido e tudo mais que é ligado a qualquer religião e possuir uma renda maior que um professor de boa formação, é um país doente...

    ResponderExcluir
  10. Peralta,o implicante25 de maio de 2017 12:56

    Tia Nalu me disse que hoje em dia,milagre só com um terço!

    ResponderExcluir
  11. Sempre me intrigaram as mensagens de diversos comentaristas sobre escrever um comentário e este "sumir", não sendo publicado. Pois hoje, por acaso, descobri que o blog tem uma caixa de "spam". Não sei os critérios que determinam a ida de um comentário para esta pasta. Quando abri a pasta vi que ali estavam comentários de semanas passadas, de vários comentaristas, sem justificativa aparente. Vou tentar descobrir como desabilitar esta função.

    ResponderExcluir
  12. Moleque Travesso25 de maio de 2017 15:54

    Fácil de explicar. É a caixa preta do SDR!

    ResponderExcluir
  13. Wolfgang, a igreja que parecia desativada é a Santa Ephigenia e Santo Eslebão, esquina da Rua da Alfândega, não sei como está atualmente. Impactou-me ver como estava...o que é aquilo?!

    Você estaria referindo-se a ela ou à do Rosário e Nossa Senhora dos Homens Pretos? Essa acho que está na ativa!

    Wagner, também adoro conhecer igrejas, ver sua arquitetura, conhecer sua história, ver o mobiliário! Conforme ouvi de uma guia na Itália, todos deveriam ter interesse em conhecer igrejas, independente de suas religiões, pelo interesse pela arquitetura!

    E não era o Tim Maia que dizia que a fé não tem endereço, ao receber uma tarefa da cantora Ãngela Maria( parece que ele era motorista dela, salvo engano), que o designou a levar algo para algum templo ou igreja, e ele, saiu-se com essa, deixando a encomenda em um local muito mais simples! Coisas do Tim...

    ResponderExcluir
  14. Sindicato dos Motoristas25 de maio de 2017 21:48

    O motorista da Angela Maria era o Agnaldo Timóteo.

    ResponderExcluir
  15. Não era o Tim Maia?? Humm, será então que não era a Angela Maria e sim a Dalva de Oliveira? rs

    Então fiz confusão, até porque as coisas enrolaram para mim ontem e hoje!

    Agradeço o esclarecimento!

    ResponderExcluir