Total de visualizações de página

sexta-feira, 28 de julho de 2017

PRAÇA GENERAL TIBURCIO




 
Hoje temos três fotos da Praça General Tibúrcio, na Praia Vermelha. Esta praça já foi chamada de Praça Major Ribeiro Pinheiro e Praça Adalberto Ferreira, tendo recebido a denominação atual em 1938.

A primeira, de Aristogiton Malta, foi estupendamente colorizada pelo Nickolas Nogueira e é justamente do ano de 1938. Nela vemos o prédio em construção onde se instalaria em 1942 a Escola Técnica do Exército que até então funcionava em outro local. Já sob a influência norte-americana, foi criado o Instituto Militar de Tecnologia (1949). Iniciavam-se, então, programas de estudo, pesquisa e controle de materiais para a indústria. Da fusão da Escola Técnica do Exército com o Instituto Militar de Tecnologia, em 1959, nasceu o atual Instituto Militar de Engenharia (IME). Atualmente o IME é reconhecido como um centro de excelência no ensino da Engenharia.

Esse monumento no centro da Praça é a Cripta em homenagem aos heróis de Laguna e Dourados - dois episódios da Guerra do Paraguai.

Segundo conta o Gustavo Lemos, até 1874 quando foi criada a Escola Politécnica, quem quisesse estudar Engenharia tinha que entrar para o Exército. O IME é herdeiro da Real Academia de Artilharia, Fortificação e Desenho, criada em 1792 e considerada a primeira escola de Engenharia das Américas e a sétima do mundo. Os engenheiros formados pela politécnica eram chamados de engenheiros civis, denominação que persiste até hoje para os engenheiros de construção, único curso dos primeiros tempos.

A segunda fotografia, garimpada pelo Nickolas, mostra a praça no final dos anos 50, já com o prédio do IME concluído.

A terceira fotografia, outro garimpo do Nickolas, é do americano Mark Ackley, que morou no Rio nos anos 50 e nos deixou ótimas fotos. Mostra a estação do bondinho do Pão de Açúcar.  A concessão para construir e explorar o caminho aéreo entre a Praia Vermelha e o alto do Morro da Urca, com ramais para o pico do Pão de Açúcar e a chapada do Morro da Babilônia, foi outorgada em 1909. Em 1912 foi inaugurado o primeiro trecho do projeto e em 1913 o trecho final até ao pico do Pão de Açúcar, num percurso de 800 metros. As cabines do primeiro teleférico eram de madeira e comportavam 15 pessoas. A viagem levava, no total, nove minutos.

15 comentários:

  1. Ótimas fotos e mais uma bela colorização do Nickolas. Queria saber onde ele encontra estas fotos na internet.

    ResponderExcluir
  2. Bom Dia! Já estou sentado para assistir a aula.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia. A engenharia desde a antiguidade era de natureza castrense. Apenas no Século XIX a atividade passou a ser exclusivamente técnico. A intentona comunista de 1935 foi um fator determinante para a demolição da Escola Militar que existia na Praia Vermelha. Era natural que algum prédio militar fosse construído como compensação. FF Ficou faltando divulgar o resultado do "onde é" do início da semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joel, parece que uma das fotos é na Av. Rio Branco. A outra não se sabe ao certo. Houve muitos palpites.

      Excluir
    2. Parece muito com a antiga Rua da Misericórdia, principalmente pelos trilhos do bonde, da qual nos anos 50 ainda sobrava um restinho que vi desaparecer.

      Excluir
    3. Ainda tenho minhas reservas quanto a uma das fotos ser na Rio Branco. Simplesmente por não ver muitos prédios no entorno. Mas, se a maioria acha que é, vida que segue...

      Excluir
  4. Boas fotos.Local sempre interessante.Não sabia o nome da praça e fica a curiosidade de saber porque os nomes anteriores foram trocados.Não seria um espanto?***Dizem que os governos petistas gostariam de trocar o nome de locais públicos com nome dos generais da ditadura.

    ResponderExcluir
  5. Peralta,o implicante28 de julho de 2017 10:58

    Tia Nalu mora perto da praça.Quer trocar o nome da mesma para Lulla da Silva.

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde a todos.

    As fotos e a colorização são incríveis. Tenho fotos (que já foram postadas) da série sobre o garoto Luiz Alberto (Betinho) tiradas nesse local, entre 1942 e 1949.

    FF: morreu hoje o radialista Luiz de França, aos 71 anos. Ontem foi o Perivaldo, ex-lateral do Botafogo, entre outros clubes.

    ResponderExcluir
  7. Bom dia a todos.
    Como sempre, as fotos expostas aqui são um espetáculo!
    Sobre o comentário do Belletti das 10:57, a resposta é sim.
    Quando o PT estava no poder, várias escolas públicas ou então ruas espalhadas pelo Brasil mudaram de nome.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mao Tsé Tung, Stálin, e Ho Chi Min, gostavam de apagar a história e personagens com ações semelhantes. Em se tratando de P.T faz sentido. A ditadura militar nunca irá se repetir da forma como ocorreu. Há uma diferença entre ditadura militar e intervenção militar. Esta se resumiria em depor o presidente, fechar o congresso nacional, para em seguida convocar novas eleições e promover uma reforma política. Essa possibilidade é temida pelos políticos atuais mas não é de todo improvável, pois a maioria da população esclarecida a deseja.

      Excluir
    2. Observador de comentários29 de julho de 2017 07:00

      Quem é de fato esclarecido não deseja intervenções militares. Isso é falácia de gente com mentalidade fascista. É só atentar para as declarações dos atuais chefes militares, seja do Exército ou da Marinha. http://odia.ig.com.br/brasil/2017-07-23/comandante-chama-tropa-a-disciplina.html

      Excluir
  8. É interessante ressaltar aqui da história sobre a Real Academia de Artilharia, Fortificação e Desenho criada em 1792.
    Muito interessante saber de que foi a primeira das Américas, nem os Estados Unidos tinham, e foi inaugurada dois anos depois da Academia de Lisboa (1790), sendo a do Brasil a sétima entre as primeiras no mundo.
    O Brasil é um país que surpreende as vezes.
    Infelizmente não sabemos aproveitar dos bons exemplos.

    ResponderExcluir
  9. Boa tarde a todos. Que belas fotografias e suas respectivas colorizações efetuadas pelo mestre Nickolas. Nota-se na 3ª foto, que embora ampliada a estação ainda hoje mantém a sua estrutura original do ponto de partida dos bondinhos. Já o IME que foi o Centro de Excelência das Universidades de Engenharia do Brasil, já não se mantém no primeiro lugar. Hoje algumas Universidades pelo Brasil a fora suplantaram o IME, principalmente no desenvolvimento de pesquisas e até mesmo no ensino.
    Já os bondinhos poderiam explorar melhor o local com uma infraestrutura comercial que oferecesse algo mais do que a vista do alto dos morros, e até mesmo o restaurante ao lado da estação de embarque poderia se aproveitar deste movimento. Mas em termos de turismo o Brasil é igual a um cego querendo enxergar.

    ResponderExcluir
  10. Perivaldo era aquele um tanto imprevisível dentro e fora de campo que também fazia a alegria da mídia com suas atrapalhadas.Era um lateral mediano mas teve boas oportunidades. Parece nao ter aproveitado pois chegou a ser morador de rua em Portugal.Fica a lembrança até mais como folclore.

    ResponderExcluir