Total de visualizações de página

segunda-feira, 10 de julho de 2017

ATERRO - MONUMENTO AOS MORTOS


 
Hoje temos duas fotos do Aterro do Flamengo, nas imediações do Monumento aos Mortos. A primeira é dos anos 50, com o monumento ainda em construção e a segunda é de 1962.
O Aterro, iniciado em 1950 com o desmonte do Morro de Santo Antonio, de onde vieram as rochas do enrocamento e os aterros, só foi concluído em 1982, com as últimas construções.
A idéia do parque é atribuída à poetisa Maria Carlota de Macedo Soares, com aval de Carlos Lacerda. Ela conseguiu a promessa de Lacerda de que a área não seria apenas para os automóveis, mas uma grande praça para uso da população carioca.
 Em 1961 o Grupo de Trabalho integrado por Reidy, Jorge Machado Moreira, Helio Mamede, Luiz Emigdio de Mello Filho, Bertha Leitchic e Burle Marx, presidido por D. Lota, deu formas definitivas para o uso do terreno aterrado.
Os planos originais para o Aterro, eram muito, mas muito piores do que temos hoje em dia. Affonso Eduardo Reidy ao longo dos anos, numa turbulenta briga entre o humanismo e especulação imobiliária/politicagem, conseguiu criar algo belo e sem prédios.
Entre as brigas de Reidy houve uma com a Mitra que queria construir a Catedral de São Sebastião no terreno onde funcionou o Congresso Eucarístico. Ele destinara o local para a construção do MAM e, com a ajuda de Carmem Portinho, venceu a luta.
O Monumento aos Mortos da 2ª Guerra Mundial foi inaugurado em 1960. É construído em três planos: sub-solo (onde estão o Mausoléu, a Administração e o Alojamento da Guarda), patamar (onde estão o Museu, o Jardim, o Lago, o conjunto de mastros e painéis de cerâmica) e plataforma, acessada por uma grande escadaria (neste plano estão o pórtico, o painel metálico, o túmulo do Soldado Desconhecido com a pira, a pirâmide e o grupo escultórico, feito por Bruno Georgi, homenageando as três Forças Armadas). Venceram o concurso público para a construção deste monumento os arquitetos Helio Ribas Marinho e Marcos Konder Netto.

27 comentários:

  1. Creio que foi a alteração da cidade mais significativa que assisti na minha vida. Nem túnel se compara, nem mesmo a terrível maldade perpetrada contra o Rio Comprido. Na primeira foto, tem dois aindas: um, era chamado de Aterro da Glória e o outro ainda, os carros, na vinda para a cidade, passavam atrás do Monumento. Excelentes fotos.

    ResponderExcluir
  2. Sempre considero tarefa dificílima analisar o antes e o depois desta região. Antes era muito bonito e depois da obra um trabalho de tirar o chapéu. O que sinto hoje em é uma sensação de insegurança nesta área, mas este sentimento ocorre em vários pontos. Como dizia um sumido comentarista, gente demais...
    Esta foto de 62 é espetacular.

    ResponderExcluir
  3. Bom Dia! Das 10 maquinas a vapor (Maria-Fumaça) que foram usadas na remoção do Morro do Castelo,apenas duas ainda estão vivas. Uma está no Museu do Eng.de Dentro e outra, a numero 5,ainda em operando traciona um trem turístico em São Paulo.

    ResponderExcluir
  4. Bom dia a todos.

    Nunca entrei no monumento aos mortos. O filme "Flores Raras", com a Glória Pires, fala um pouco da construção do Parque do Flamengo.

    ResponderExcluir
  5. Bom dia a todos. O aterro foi uma das poucas obras urbanas que privilegiou a população da cidade, agora no governo passado foi construído o parque de Madureira, que também é uma área que privilegia a população de Madureira e imediações. Mas temos outras áreas da cidade que já existiam muito antes destas que citei e que estão abandonadas e mereciam ser restauradas. Criar uma infraestrutura para atrair a população a utilizarem, como a Quinta da Boa Vista, o Campo de Santana e o Passeio Público. O aterro também precisa de uma manutenção em alguns pontos, e o Monumento dos Pracinhas, também está precisando de uma boa manutenção. Uma coisa que hoje não vemos mais são jardins públicos floridos, aliás até os gramados foram abolidos na administração do Paespalho, na Praça Tiradentes, os canteiros que antigamente tinha uma folhagem, foram deixados só com terra batida. Não sei se não plantaram o que estava previsto no projeto e embolsaram a grana ou era para ser deixado só com terra conforme está. Tenho uma filosofia sobre o que se vê em uma casa ou cidade, Uma casa ou uma cidade tem a cara de quem a habita.

    ResponderExcluir
  6. Lembro que visitei esse monumento logo que me mudei para a região. Ao entrar no local onde havia um pequeno museu com peças do uniforme usado pela FEB fiquei surpreso com a precariedade do material. Naqueles que deveriam ser usados em baixas temperaturas as peças estavam forradas por material semelhante a toalhas, totalmente impróprio para o inverno europeu. Em nova visita verifiquei que haviam retirado as referidas peças, talvez pela repercussão negativa da mostra. Anos depois esse acervo foi exibido no Museu da FEB, na r. das Marrecas.

    Quanto à concepção do monumento na ocasião fui informado que a ideia das colunas sustentando uma plataforma representa a ideia de mãos espalmadas para os céus em um pedido de clemência e bênçãos para os mortos em combate.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Docastelo.
      Pode se falar mal dos alemães por causa do que aconteceu, mas ninguém pode deixar de reconhecer que o Exército mais bem preparado da Terra na época com certeza era o Exército alemão.
      Os norte americanos bancaram a FEB com muito equipamento, principalmente farda pois aqui não tinha estrutura para nada.

      Excluir
    2. Como sempre, a natural mediocridade do governo brasileiro aparece. Não bastasse expor os expedicionários com material de péssima qualidade, ainda tenta esconder o "malfeito". Faz sentido, é bem a cara do Brasil....

      Excluir
  7. Bom dia. Uma obra necessária realizada pelo governo federal sem empreiteiras milionárias, caixa dois, comissões, etc. Custou muito menos do que custaria hoje em dia. E não foi uma obra pequena...

    ResponderExcluir
  8. A foto já com o monumento pronto é espetacular. Acho curioso isto de entregar as obras aos poucos, sem estar concluídas. Lembro que havia pistas provisórias para o tráfego de veículos muito antes da ligação Centro-Botafogo estar concluída. E a partes dos campos de esportes, jardins, etc, só ficaram prontas muito tempo depois.

    ResponderExcluir
  9. Um aterro ainda sem árvores e sem os postes-paliteiros, que foram instalados em 1965.

    ResponderExcluir
  10. Dos países da América Latina apenas o Brasil e o México participaram da segunda guerra. O motivo de o Brasil entrar foi devido aos casos dos navios afundados, que até hoje é contestado por alguns. Muitos argentinos dizem que a partir da segunda guerra o Brasil passou a ser favorecido em muitas questões de negócios em nossa região, tornando-se a maior economia da AL em meados da década de sessenta, posto que era ocupado pela Argentina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Brasil (Gegê) estava que nem tucano, em cima do muro, "adorando" a dois deuses, Eixo e Aliados.

      Aí veio até o Roosevelt fazer uma forcinha por parte dos Aliados, incluindo na conversa a CSN.

      Os argentinos ficaram com a pecha de aliados de nazistas, assim como os brasileiros, estes em uma escala menor...

      Excluir
  11. Com relação ao comentário de 08:55, seria louvável a iniciativa, mas a permanência em parques públicos no Rio de Janeiro torna-se altamente temerária. A incidência de crimes no Aterro é grande e só diminuiu graças ao "Aterro Presente". No Parque de Madureira, traficantes das incontáveis favelas da região já ocuparam espaço sem que a guarda municipal possa fazer alguma coisa. Também no Parque da Tijuca as coisas chegaram a tal ponto que a polícia sugeriu que suas trilhas fossem fechadas. Aliás essa inoperância das forças de segurança no Brasil se deve a um absurdo "fatiamento de atribuições", o qual abordarei oportunamente.

    ResponderExcluir
  12. Peralta,o implicante10 de julho de 2017 10:37

    Tia Nalu sempre brigou por um Monumento aos Vivos.De Brasilia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Peralta, seu tolinho implicante, o monumento aos Vivos de Brasília será uma gigantesca jaula, em local ainda a ser definido.

      Excluir
  13. Velhote do Parque10 de julho de 2017 11:12

    Nesta segunda feira vou mandar um fora de foco para os comentaristas que gostam de futebol aqui do blog:ninguém vai falar do Corintians?O Timão está mandando bala e todos ficam quietinhos.Doze jogos com 10 vitória e 2 empates e liderança absoluta deixando a urubuzada na fumaça.Tem um comentarista chamado Lino que gosta de dar pitacos,mas está fazendo greve de comentários.O outro rubro-negro só fala do Zé Ricardo e o vascaíno chamado Augusto deve estar fazendo campanha para Eurico Miranda.Os integrantes da arco íris nem aparecem mais.O Timão vai ser campeão com umas 5 rodadas de antecedência e este será o campeonato mais fácil de sua história.E depois vai aparecer algum cara dura dizendo que é carta marcada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Observador Esportivo, o verdadeiro10 de julho de 2017 12:28

      O Corinthians está fazendo uma campanha espetacular com aproveitamento de campeão. Mas não era isto que se esperava no início do campeonato. Será um cavalo paraguaio? Quanto aos outros comentaristas o Lino está esperando o O.O., o bom moço, assumir em algum time para comentar. O outro rubro-negro tem razão em tascar o Zé Ricardo. E o Augusto, ao que consta, não é vascaíno.

      Excluir
    2. Velhote do Parque, o Corinthians está disputando uma competição somente, vem fazendo uma boa campanha, acho que vai abrir uma grande margem de pontos, que lhe garantirá o campeonato por antecipação. Mas não se iluda, é um timeco como todos os demais hoje em dia do futebol brasileiro. Se duvida do que falo, me diga somente um craque que jogue no futebol Brasileiro. Por favor me poupe, não me fale em jogadores aposentados em atividade.

      Excluir
  14. Bom dia a todos.
    É um espaço bem agradável, porém, como tudo nessa cidade e nesse país, tem muito a melhorar.
    Antigamente eu corria ou caminhava indo do Flamengo até o MAM.
    Com a violência instalada, deixei de fazer isso e há muito que não vou ao Aterro.
    Pelo que sei, recebe policiamento constante devido ao ATERRO PRESENTE. Isso inibiu e muito a violência assim como aconteceu na região central como a Avenida Rio Branco, Pça XV, e Pça Mauá.

    ResponderExcluir
  15. Treze jogos após assumir Eduardo Batista foi demitido pelo CAP.Em face do ocorrido o gerente Autuori também deixou o clube paranaense e assim vai ganhando forma a gangorra do Campeonato Nacional.

    ResponderExcluir
  16. O povo carioca, que naquele tempo era famoso por seu humor, apelidou esse monumento de Muleta do Gigante.

    ResponderExcluir
  17. Observador Esportivo, o verdadeiro10 de julho de 2017 16:34

    Nadal e Müller em Wimbledon jogaram quase cinco horas num jogo disputadíssimo. Correram até o final.
    No futebol quando há uma prorrogação os jogadores caem mortos jogando duas horas.

    ResponderExcluir
  18. Não foi sem razão que a Argentina se transformou no "paraíso dos nazistas". Há muita coisa escondida sob o véu da história. O "apoio" à Roosevelt foi muito bem remunerado, como já foi mencionado por outros comentaristas. Como "de praxe", no Brasil tudo tem um preço. Simon Wiesenthal, caso fosse vivo, muito teria a contar sobre esse período.

    ResponderExcluir
  19. Boa noite ! Eu conheço o monumento como a Muleta do Brasil...

    ResponderExcluir
  20. O Vasco está contratando um atacante argentino chamado Andre Rios,mas o seu zagueiro continua sendo Paulão. Viva Eurico Miranda.

    ResponderExcluir