Total de visualizações de página

sexta-feira, 21 de julho de 2017

VIADUCTO DE SÃO DIOGO



Mais uma colorização do Reinaldo Elias, do “Colorizando o Passado”.
Vemos o Viaducto de São  Diogo - Ponte dos Marinheiros.
O texto referente à primeira foto, de Heliete Fonseca, fala da primitiva Aguada dos Marinheiros, onde os navios entravam pelo mangal de São Diogo a fim de se reabastecer das águas até então límpidas do Rio Comprido. que desciam pelas fraldas do Maciço da Tijuca, sendo irmãs das do Rio carioca.
Com o progresso e a expansão da cidade para São Cristóvão, foi construída na região uma ponte ultrapassando o rio na altura de uma das pistas da atual Av. Pres. Vargas (pista sentido Zona Norte), no leito da antiga Rua Senador Euzébio.

A primeira versão da ponte foi construída pelo grande Marquês do Lavradio e reformada e ampliada por D. João VI. Nos seus primórdios contava com um posto da guarda que, com cancelas, fechava aquela entrada da cidade. Foi por ela que os corsários de Duclerc invadiram a cidade vindo de Guaratiba.
A segunda e a terceira foto mostram uma panorâmica da área, já com parte do Viaduto dos Marinheiros construído.

20 comentários:

  1. Então a Ponte era dos Marinheiros devido às embarcações que vinham abastecer de águas límpidas. Me tira o tubo.

    ResponderExcluir
  2. Fui dar uma pesquisada, coisa que já deveria ter feito, e encontrei este post do Decourt: http://www.rioquepassou.com.br/2004/08/18/viaduto-dos-marinheiros-primeira-metade-dos-anos-60/
    Será que D. Heliete copiou de lá?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Copiou sim. É fato comum na Internet se apropriar de coisas dos outros sem citar as fontes. Inclusive há gente que coloca marcas d´água em fotos do Malta, como se fossem próprias.

      Excluir
    2. Há uma página no FB bem conhecida pelo Ctrl-C e Ctrl-V, inclusive das incorreções que eventualmente ocorrem. Cansou de "chupar" fotos postadas por mim, inclusive de acervo particular, sem dar o devido crédito. E ainda me bloqueou quando divergi sobre uma informação errada de legenda.

      Excluir
    3. Está página lembra nossos políticos.

      Excluir
  3. A região é lembrança como passagem para as idas ao Maracanã e a Rodoviária Novo Rio.
    Para quem era adulto e até adolescente nos anos 60, passagem também para aventuras na Cidade Nova.
    Só uma construção restou no trecho entre o viaduto e a linha férrea, que aparece parcialmente à direita das fotos 2 e 3. Uma região arrasada. Mas dizem que o empresário Donald Trump tinha planos de construir espigões na Francisco Bicalho. Se verdade, poderia recuperar e reativar a Estação Barão de Mauá como contrapartida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Observador de saliências21 de julho de 2017 09:23

      Quer dizer que o comentarista gostava de "aventuras" na cidade nova? Corajoso, hein? Naquele tempo o tratamento era doloroso, é um sobrevivente!

      Excluir
  4. Fotos muito interessantes mostrando as mudanças no local outrora lindo e despoluído . Que decadência.

    ResponderExcluir
  5. Bom dia. Na primeira foto vemos a "desaparecida" rua Elpídio Boamorte; depois das árvores ao fundo à direita, está a rua Figueira de Melo. A segunda e a terceira foto são do segundo semestre de 1964, quando da inauguração do primeiro viaduto e os bondes já não circulavam ali. Na segunda foto percebe-se os pátios ferroviários das estações Alfredo Maia, Barão de Mauá e Praia Formosa. A rua da Elpídio Boamorte que tinha um certo comércio de calçados e residencias, literalmente desapareceu, assim como parte da Joaquim Palhares, fazendo com que a praça perdesse o seu núcleo. Eu tenho uma série de fotos que mostram a construção desses viadutos, com bondes e veículos em meio às obras e a devastação foi total.

    ResponderExcluir
  6. Bom dia a todos.

    O "viaducto" da foto é a ponte de metal usada pelo trem? Não ficou claro para mim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você observar, vai ver uma locomotiva sobre o viaduto. À direita em primeiro plano está a Francisco Bicalho.

      Excluir
    2. Isso eu reparei. Só que viaduto normalmente é usado para automóveis.

      Excluir
  7. Bom dia a todos. Lindas fotografias, mostrando as modificações ocorridas ao longo dos anos desta área da cidade, uma foto atual do local mostrará ainda mais modificações ocorridas no local, como a construção da ponte com a linha do metro que se estende até a a estação cidade nova. Talvez juntamente com o Largo da Carioca, esta seja uma das regiões que mais sofreram modificações ao longo dos anos. Na foto 2 ainda vemos a fábrica do açucar Pérola em pleno funcionamento.

    ResponderExcluir
  8. Quando ia de auto ao Rio ficava sempre alerta nesta região que sempre considerei confusa.Uma vez entrei em rua errada e foi um nó. Nos ultimos tempos filha ou genro dirigem e a atenção é mais com a segurança. Boas fotos.

    ResponderExcluir
  9. Atlético Mineiro mandou andar o Roger e contratou o Rogério Micale.Pelo que se sabe emenda pior que o soneto.Não deve emplacar até o fim do Brasileirão.

    ResponderExcluir
  10. E o que mais é o chamado progresso senão uma decadência constante do meio ambiental, Marco ?

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde a todos.
    Essa área assim como outras, tem os seus mistérios.
    Por essa eu não sabia. Foi novidade para mim. Não sabia de que Duclerc e seus piratas haviam chegado por aí. Sempre pensei que tivesse tomado de frente mesmo, com coragem na Baía de Guanabara.
    Por mais que não se queira falar nisso, mas é impossível deixar passar sem comentar.
    Olhando as fotos, vê-se como a cidade naqueles dias era mais organizada.
    E eu não estou aqui criticando os edifícios, até porque acho mais viáveis edifícios do que casas, chácaras, fazendas, e outras coisas do gênero. Quem quer crescer não pode ficar com aquela velha mentalidade lusitana voltada para a terra. Mas ao olhar essas fotos vê-se que havia mais organização do que hoje em dia.
    É uma pena que o Rio de hoje virou um Rio de favelas. Mudou para pior sem dúvidas.
    Quanto ao comentário do Paulo Roberto, realmente o Trump tinha do intuito de levantar 4 ou 5 espigões na área. Inclusive, o neto do general Figueiredo parece de que estava por trás disso em trazer essas torres Trumps para essa região. Mas como o RJ virou o Front brasileiro, ou seja, estamos em guerra, e em período assim, tudo é diferente.
    A ultima informação de que eu recebi sobre isso foi de que parece de que "babou" da iniciativa.
    Enfim... Como sempre digo: A única coisa que cresceu nessa cidade de 1983 para cá foram favelas e o banditismo, seja o institucional ou o privado. Só isso e mais nada.

    ResponderExcluir
  12. Boa Noite! Joel de Almeida: Eu vi dois trens. Um TUE descendo na linha dois, deve ser um serie 100 e também descendo na linha quatro,um cargueiro que parece tracionado por uma Cotó.

    ResponderExcluir
  13. Mauro xará, na foto colorida só existe um...

    ResponderExcluir
  14. Além do Roger Machado foram rifados o Pachequinho e o Gallo na dança dos treinadores no Brasileirão.Quem continua surpreendendo é o Zé Ricardo no Flamengo,mas qualquer resultado ruim neste sábado deve representar a degola do técnico.

    ResponderExcluir