Total de visualizações de página

terça-feira, 1 de agosto de 2017

RUA DO PASSEIO


 
A foto 1, do final dos anos 50, mostra uma aglomeração na Rua do Passeio, nas vizinhanças do prédio onde funcionou o Automóvel Clube do Brasil. Será que é devida a algo interessante colocado na calçada por algum camelô?
Nossos especialistas certamente identificarão os automóveis.
Ao fundo vemos o abrigo de bondes com seus conhecidos anúncios como o “DRAGO–sofá cama”, da “Loteria Federal”, de algo relacionado com “Museu de Cera”.
A foto 2,  de setembro de 1964, mostra a derrubada do abrigo para passageiros de bonde da Lapa. Um funcionário desce, com vontade, a marreta no que resta do abrigo (o anúncio da “Farmácia Phenix”, de que devolviam o dinheiro de quem achar mais barato em outro local, está por um fio. Esta farmácia ficava na esquina da Mem de Sá com Maranguape e seu telefone era 22-4927).

30 comentários:

  1. Peralta,o implicante1 de agosto de 2017 08:20

    Tia Nalu é cativa do Museu de Cera de Petropolis.Sei porque mas não conto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Levei Peralta, o implicante, ao Museu de Cera de Petrópolis e ele ficou encantado com o Super Homem! Foi um custo arrastar o moleque de lá.

      Excluir
  2. Bom dia a todos. Essa esquina desde que me entendo por gente sempre foi esculhambada, já fizeram inúmeras obras na Lapa, mas a situação só piora. Tem uma mariola para quem descobrir a marca dos colchões de molas do letreiro. Na rodinha, o camelô oferece um produto milagroso que retira o calo inteiro sem deixar raiz. Vemos também que o bode velho do desaparecido JBAN, já naquela época só vivia enguiçado. Tia Nalu e uma amiga, aguardam a desaparecida Tia Alcione (está fazendo muita falta no SDR) que está voltando para dizer o que estava acontecendo na rodinha. Até o Doutor parou o seu carrão para comprar o milagroso Tira Calos (o Biscoitomolhado vai informar a marca do carrão). E o marreteiro em cima da laje, reclama que poderia fazer o serviço mais rapidamente se o patrão comprasse uma motocicleta de Paraíba para quebrar a Laje. Já no letreiro da Farmácia onde diz drogas e medicamentos, quando o cliente entrava na farmácia o atendente logo dizia, remédios é aqui no balcão, drogas é nos fundos da loja, temos a melhor heroína da Lapa, a que é usada pela Madame Satã, Miguelzinho Camisa Presa e o Carlinhos Calça Larga.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia. Camelô no passado era tratado e combatido como marginal e a realidade atual mudou pouco. Normalmente desocupados, os camelôs do passado eram esporádicos e "se viravam" vendendo mercadorias diversas, sempre mais baratas. Se apanhados, muitos eram "enquadrados" no Artigo 59 da Lei das Contravenções Penais, mais conhecido como "vadiagem", cujo processo sumário se iniciava na própria delegacia e lhes rendia três meses de cadeia. Mas agora os "tempos são outros", já que o emprego formal é cada vez mais raro e o Artigo 59 da LCP nunca mais foi empregado, embora a LCP continue a viger. Atualmente a atividade é mais complexa, envolve crimes como receptação, crime contra a propriedade imaterial, mais conhecido como "Pirataria", crime contra a ordem tributária {sonegação fiscal} e "Associação criminosa"{formação de quadrilha}. Quanto à demolição do abrigo de bondes, apesar de ainda existirem trilhos e "andorinhas" na foto, os bondes naquela região já haviam sido desativados por ocasião de uma "grande reestruturação" no transito do Centro da cidade promovida pelo Coronel Américo Fontenelle em Julho de 1964.

    ResponderExcluir
  4. O carro em destaque na foto de cima é um Nash 1947. Já o que está atrás dele é um mistério para mim. Vamos ver se o Biscoito molhado identifica.

    ResponderExcluir
  5. Esse abrigo era útil para as pessoas que andavam pela rua.Destruíram a Lapa e o lugar parece um deserto.A Visconde de Maranguape tinha muitos estabelecimentos comerciais.A Lapa hoje é um deserto.

    ResponderExcluir
  6. Na primeira foto a aglomeração na esquina de r. do Passeio com Marrecas lembra o famoso golpe aplicado sobre a Mesbla em pleno sábado. Os detalhes foram contados em postagens anteriores. Quanto à segunda lembro de ter assistido parte da demolição do abrigo. Certa vez contei sobre um amigo que tinha o hábito de ir à lanchonete que havia nesse local e beber um refresco de abacaxi horroroso. Ele tinha a fama de ter um estômago de avestruz. Normalmente isso ocorria depois de uma passada nos bilhares Indígena ou na sinuca Palácio. Uma alternativa mais saudável era a Leiteria Bol ou no Hidrolitol, neste se fosse no final da tarde. A sorveteria Periquiti, junto ao Metro era um bom motivo para provar um sorvete de casquinha.

    ResponderExcluir
  7. Os camelôs chegavam a ser figuras folclóricas com seus produtos mágicos e grande lábia para valorizar as vendas.Depois do "made in Paraguai" a coisa ficou muito padronizada e piorou com os xing ling.Tudo igual.
    Lembro muito da venda de isqueiros e canetas,além das lanternas pelos ambulantes.Algumas novidades.A primeira vez que vi uma esferográfica foi numa banca de camelô e não devia ser a famosa Bic.

    ResponderExcluir
  8. Lino, um colchão muito famoso antigamente era o Anatom.
    Além de com certeza uma caixa d'água, o que mais será que tinha naquela torre do abrigo de bonde? Serviços administrativos da Light, por exemplo?

    ResponderExcluir
  9. O que se costuma dizer por aí é que, se alguém cuspir na calçada e ficar parado olhando o cuspe, imediatamente junta gente curiosa para ver do que se trata.
    Da mesma forma, se alguém parar na calçada e ficar olhando para o alto, dá-se o mesmo.
    Pois é...

    ResponderExcluir
  10. Paulo Roberto, o colchão Anatom surgiu tempos depois do desmonte desse abrigo. Foi um avanço comparado com os de mola e ortopédicos de crina. Nesse tempo eram conhecidas as marcas Drago, que também fabricava as famosas camas articuladas de lona Dragoflex, Epeda e Probel, dentre outras.

    ResponderExcluir
  11. O pilantra do Felipe Melo insinuando jogar no Flamengo após ter sido afastado do Palmeiras pelo Cuca.Só se o rubro-negro estiver queredo uma implosão para contratar este tresloucado,desagregador e péssimo elemento.Fez muito bem o Cuca e o Palmeiras deve estar arrependido de ter repatriado esta peça que se julga acima de todos.O Flamengo parece que já está com muitos problemas para administrar até mesmo pelo excesso de jogadores.Já no Vasco da Gama o técnico Milton Mendes disse ontem que o objetivo maior é ficar na primeira divisão.Sou um Velho Corneteiro mas confesso que não sei dizer se ele está certo ou errado.No começo do campeonato era este o objetivo, mas hoje não seria pouco?Cartas para a redação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felipe Melo é mais um da "banda podre do futebol" que será mais um "mano" a integrar a "nação rubro negra". Assim como Adriano, ele deve pertencentes a algum tipo de "comando". Só falta esperar uma "nova saída" de Bruno para " completar o time".

      Excluir
  12. Lembro-me das eternas lutas do "rapa" com os camelôs.

    Corneteiro, e esse caso do filho do Abel hein? Parece que não ficou bem esclarecido.

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde a todos.
    O RJ é uma terra que, assim como o restante do Brasil, talvez com exceção da "estranha cidade do sudeste", ficou parada no tempo e não cresceu decentemente e nem se modernizou.
    Essa área por aí ainda é uma bagunça só, com mendigos, bandidos, cachaceiros, botequins, e todo o tipo de louco que há.
    O RJ ficou durante tempos a fio dependendo de um Centro da Cidade enquanto o resto deixou muito a desejar, incluindo em se modernizar.
    E depois ainda há pessoas que reclamam da Barra, como se a região Central do RJ e a Zona Norte fossem áreas extremamente bem desenvolvidas e asseadas.
    É uma pena ver regiões do Centro que não foram para frente e até mesmo foram para trás, como na área da Rua do Riachuelo e entorno que mesmo aos sábados é uma orgia a céu aberto.
    Em relação aos camelôs, isso é uma maldição que não é exclusivo do Brasil, porém, em nações de 3º e 4º mundo isso é pior.
    Todo mundo aqui tem idade para saber de que antigamente camelô ou ambulante, era bem diferente do que é hoje.
    Lembro dos meus dias de criança que essa gente vendia doces, pipocas, sorvetes, sanduíches, frutas, e verduras, além de algumas outras coisas sem importância se comparados aos dos dias atuais.
    Hoje vende-se até a mãe nessas barracas e, claro, não poderíamos deixar de fora o assim chamado FAVELÓDROMO que deixou feia aquela área da Uruguaiana e um pedaço da SAARA.
    Já viram quantos venezuelanos, africanos, peruanos, estão trabalhando atualmente como camelô, espalhados nas ruas do RJ?
    É. Verdade seja dita. Por mais que não goste de tocar no assunto mas, a dobradinha Monarquia Portuguesa e Igreja Católica foram dois cânceres que esse país teve e nos afeta até hoje.
    Eita herança maldita!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wolfgang, é perfeito o seu conceito. Sou neto de portugueses, mas tenho que concordar que a colonização portuguesa foi catastrófica para o Brasil. Quanto à igreja católica, percebe-se que todo país americano cuja religião é a católica e que teve colonização portuguesa ou espanhola é subdesenvolvido e tem problemas de ordem social e moral. Contra fatos não há argumentos...

      Excluir
    2. O problema então seria os ibéricos. Itália, França, Irlanda são catolicos e desenvolvidos.

      Excluir
    3. Não conheço nação americana que tenha sido colonizada pela Irlanda ou pela Itália. Quanto à França, poderia ter dado certo no Haiti, de onde os franceses foram expulsos em 1804, quando desde então o país foi "administrado" por " nobre etnia" que fez do vodu e da feitiçaria a religião oficial. Se a "França Antarctica" daria certo, fica na imaginação de cada um...

      Excluir
    4. A França colonizou partes dos EUA, Canadá e também Guiana (que é parte da França ainda nos dias atuais). Há muitos italianos no sul da América do Sul(Brasil incluído). Como vê, para a colônia prosperar há também que se observar a qualidade do povo colonizado.

      Excluir
  14. Só vi uma partida do Felipe Melo pelo Palmeiras. Foi contra a Ponte Preta, que deu uma baile e ganhou por 3 x 0, pelo Campeonato Paulista. Parecia que o treinador, de repente privado de um de seus volantes, teve que apelar para um jogador do time de masters e o escolheu. Não viu a bola durante os 90 minutos e conseguiu, mesmo assim, a proeza de ganhar um cartão amarelo.

    ResponderExcluir
  15. Mendigos,bandidos,cachaceiros,botequins e todo tipo de louco foi isso que escreveu o comentarista Wolfgang a respeito da região do centro focada nas postagens. É de fazer inveja ao amaldiçoado Morro do Castelo que felizmente não mais existe e como não quero perder meu emprego sugiro ao prezado que contrate algum descendente do Sampaio para aniquilar a citada região.Estou desconfiado que o prezado comentarista está atualizando meus comentários para os dias atuais.Só fico em duvida se ele é a favor,pois continuo sendo Do Contra.

    ResponderExcluir
  16. O carro atrás do Nash, estacionado, é um Cadillac 46-47. Na meio da rua, passa um Hudson, também da mesma safra. Mais atrás, difícil, parece ser um Ford 37, pelos limpadores e pela vigia traseira, mas pode ser Mopar. GM, com certeza, não é.

    ResponderExcluir
  17. Fora de foco### A Casa do Mago,tradicional casa voltada para atividades esotéricas,foi alvo de um atentado de cunho de intolerância religiosa esta noite.Foram jogados artefatos incendiários.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suspeita-se que trata-se de uma agressão por parte de evangélicos. Muitos são tão xiitas quanto os islâmicos. Essa gente tem um projeto de poder tão pernicioso quanto radical. Se quer um exemplo de quanto são perigosos, veja o "julgamento do macaco", fato ocorrido nos EUA na década de 20. Baseado nesses fatos, existe o filme "O Vento será tua Herança", com Spencer Tracy e Gene Kelly. Verá o quanto essa gente é perniciosa.

      Excluir
  18. A Dra Evelyn desapareceu.Tenho certeza que está em abstinência de chá, café e mil folhas.Estaria funcionando o Zetron XR?

    ResponderExcluir
  19. Lembrando bem tem uma outra foto postada aqui tempos atrás, que mostra um Dodge (?) (na época um bode nem tão velho assim) igual àquele de "boca aberta", porém em ângulo inverso, ou seja, o fotógrafo deve ter mostrado o frente e verso da demolição.

    ResponderExcluir
  20. Boa noite a todos.

    Posso estar errado, mas a primeira foto parece inédita para mim. A segunda já tinha visto pela rede.

    Sobre o comentário de 18:52, não poderia ser uma especulação imobiliária disfarçada de ataque religioso?

    FF: há 50 anos eram descobertos os corpos de Luz del Fuego e seu empregado, amarrados a pedras e manilhas, submersos na Baía. Detalhe: o nome do cachorro dela era Carlos Lacerda...

    ResponderExcluir
  21. Errei... não era foto de demolição de abrigo de bonde e nem era um Dodge que estava com a tampa do motor aberta.

    ResponderExcluir
  22. Luz Del Fuego era na verdade Dora Vivacqua de tradicional familia de Cachoeiro de Itapemirim, terra de RCarlos.Tenho um amigo que é parente direto da mesma.A historia de Luz Del Fuego e muito interessante e vale a pena ser lida.Existe pelo menos um livro sobre a mesma além de um documentário.

    ResponderExcluir