Total de visualizações de página

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

ARPOADOR




 
As três fotos do acervo do Correio da Manhã mostram a região do Arpoador.

A primeira foto, de 1958, mostra o local onde ficava o Posto de Salvamento nº 7. Hoje em dia este posto está mais adiante, junto àquela pedra que vemos à direita. Ao fundo, uma parte da Estação Radiotelegráfica.

As duas outras fotos, de 1971, mostram a famosa carrocinha da Geneal, que funcionava até de noite, para eventualmente atender aos frequentadores da “corrida de submarinos” que ali existia e, também, a carrocinha da Boca Rica, da qual não me lembro.

22 comentários:

  1. A Boca Rica deve ter ido uma tarde. Nunca vi. Talvez fosse do tio do fotógrafo. Na foto 1, um Chevrolet 48, particular, um Chevrolet 53 conversível Bel-Air, um Consul do outro lado, um DKW escuro dos anos 50, um linha Ford de 52, mas não dá para dizer o que é, um jipe e um belo conversível prateado, com pinta de GM dos anos 50. Fui muito ao Arpoador, que, para mim, é a praia perfeita.

    ResponderExcluir
  2. Mengão 70 comandado pelo homão Yustrich, no intervalo comia meu Cachorro Quente nos horríveis e sujos bares sob a arquibancada com meu pai. Uma delicia. Para fechar o cenário um Crush.

    ResponderExcluir
  3. Dessa Boca Rica também não lembro.

    ResponderExcluir
  4. Era ótimo o cachorro quente do Geneal. Na praia era mais caro. A sede era rua Barão de Itapagipe entre rua do Matoso e a Avenida Paulo de Frontin. Ficava aberta à noite só fechava às Seis da manhã. Nos idos de 74/75, eu saía das festinhas à noite e lá era ponto obrigatório. Hoje o local é de alto risco nesse horário. Mas "eram outros tempos". Afinal "os dias eram assim".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Joel. Acho que deveríamos ter se esbarrado no Geneal da Itapagipe pois quando saia das festas lá das Casas das Beiras já na madrugada a turma fazia uma boca no festivo local. Perigo? O único perigo seria um cachorro para abocanhar o seu homônimo inerte. De resto só saudades daqueles tempos.

      Excluir
  5. Estação radiotelegrafica é a cara da 2ª guerra mundial. Ainda mais na ponta do Arpoador. Um técncio com fones de ouvido outro arpoando baleias. E salvo engano no livro da Muy Leal e Heroica há uma gravura de caravela desembarcando escravos clandestinos no ...Arpoador. Bom dia! Dia 21 verão! Purgatório da beleza e do caos!

    ResponderExcluir
  6. Ceará,individuo,lembrou bem o Mengão 70 e o Yustrich que hoje seria aniquilado em nome do politicamente correto.Como hoje é segunda vou pegar esta Coca da Geneal já que não levo fé na laranjada do Boca Rica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De politicamente correto caro Pastor só a famosa briga do Saldanha com o homão. O Saldanha pegou seu revolver e foi resolver as desavenças com o Yustrich lá na concentração do Fla. Avisado, o homão saiu de fininho para não dar de cara com os Saldanha. E ficou por isso mesmo.

      Excluir
  7. Peralta,o implicante18 de dezembro de 2017 11:09

    Tia Nalu me garante que o molusco também é Boca Rica.Só fala sutileza.

    ResponderExcluir
  8. FF:A ministra Carmem Lucia parece estar um pouco fora da realidade ao comentar sobre os salários do Judiciário,que segundo pesquisa em 70% ultrapassam o teto constitucional através dos penduricalhos.Fala dos salários dos outros poderes.Talvez esteja querendo ver o do Legislativo,que é outro espanto.Do executivo vai encontrar algumas categorias que foram apadrinhadas por interesses governamentais,como auditores fiscais,procuradores ,policia federal e congêneres.O resto é tudo barnabé.Na verdade ninguém gosta de falar sobre seus privilégios,ou juram que eles não existem.Outro espanto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É por essas e por outras que o Brasil PRECISA ser passado a limpo. Deixo para os "entendidos" no assunto, para os politicamente corretos, para quem acredita que "pode mudar através do voto", para os que acreditam NESSA democracia, e para os que acreditam em papai Noel, apontar uma solução para o Brasil...

      Excluir
    2. Quais procuradores ligados ao Executivo (AGU/PRF) têm os vencimentos acima do teto ou algum tipo de privilégio ilegal? Não confunda com o MPF. Evite comentar aquilo que não conhece.

      Excluir
    3. Embora no RJ MP e Judiciário façam parte de um "grande conluio", na esfera federal a situação é bem diferente. O MPF está fazendo um magnífico trabalho, possibilitando muitas prisões importantes, enquanto seu congenere estadual"não conseguiu enxergar" por de$conhecida$ razõe$, o grande assalto praticado aos cofres do Rio. É confiável e não recebe os criminosos "auxílios" recebidos pelo MPRJ.

      Excluir
    4. O comentarista de 15.19 está precisando de uma visita ao oftalmo.Em momento algum foi especificado procurador A B ou C e nada referente "privilègio ilegal",pois no meu dicionário legal não significa moral.Não conheço de fato penduricalhos que foi mais uma invenção daqueles que comandam situações em benefício próprio.

      Excluir
  9. As duas belas na calçada. Em direção à Praia do Diabo?
    Os preços na carrocinha do Boca Rica (apelido de quem tinha mutos dentes de ouro), indicam que poderia ser o cruzeiro novo (1967 até 1970)?
    Faltou o Biscoito falar sobre o Mercedão, com jeitão cinzento ou cor escura muito comum no transporte do pessoal das Forças Armadas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não gosto de comentar sobre ônibus porque é uma área muito especializada e a chance de escrever bobagem é muito grande. O ônibus em questão é um monobloco, talvez já feito no Brasil O-321 H. Se a data é mesmo 1958, o ônibus foi fabricado na Alemanha.
      Espero não ter errado

      Excluir
  10. Sempre que aparece uma imagem da carrocinha do Geneal lembro da história de um amigo chamado Pepe Turiel que era filho do dono do Restaurante Esplanada na Av. Pres. Wilson. Era um sujeito que hoje seria chamado de "empreendedor". De dono de empresa de ônibus em Niterói a fabricante de brinquedos e objetos de plástico (fabricou o Forte Apache sob licença), um dia resolveu concorrer com a Geneal, montando uma empresa do mesmo ramo. Porém, como em todos os negócios em que se envolveu, sempre ocorria algo que o impedia de seguir em frente. Na empresa de ônibus eram as constantes quedas de arrecadação pelos assaltos e furtos dos próprios funcionários. Nos plásticos as perdas das licenças e na empresa de sanduiches...Bem, não foi muito diferente. Tudo montado resolveu testar as operações. Colocou anúncio, apareceram os candidatos a vendedores, selecionou cinco e entregou os carrinhos com a mercadoria e o troco. Quatro não voltaram. Sumiram com tudo. Dali para a frente as coisas não ficaram melhores. Depois montou um bar com música ao vivo na zona norte que fez muito sucesso, mas aí é outra história.

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde a todos. Hoje em dia o local está melhor, porém sem a devida conservação e os frequentadores, frequentemente causa transtornos no local. Esses podrões da época, perdem de goleada para os incrementados podrões de hoje em dia espalhados por toda a cidade. Já quanto ao boca rica, nos dias de hoje temos deputados, senadores, todo o executivo e o judiciário numa grande boca rica, quem banca somos nós contribuintes. Cada povo tem a administração pública que merece. Bem feito para mim, quem mandou em nascer no Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lino, não é todo o Executivo. A AGU e Procuradoria Geral Federal que pertencem ao Poder Executivo não têm "boca rica" ou qualquer espécie de vantagem ou penduricalhos. Têm é muito trabalho. Você me parece desinformado sobre esse dado. Favor não confundir com o MPF.

      Excluir
  12. Ah! E as engenhosas escadas de areia de hoje, com sacos de nylon formando degraus. Há uma gigantesca em frente a Francisco Otaviano. Contrasta muito com a escada em ondas da 1ª foto.

    ResponderExcluir
  13. Supondo que a foto 2 é de julho de 1971 e corrigindo no site DrCalc/Easycalc com todos os índices disponíveis na época (inclusive salário mínimo), chegamos ao preço atualizado do cachorro quente: entre R$ 0,50 e R$ 2,00. Muito barato!

    ResponderExcluir
  14. A natureza é muito, digamos interessante. Se alguém me perguntasse nos anos 80 qual seria a 1a. praia a desaparecer, eu diria Arpoador seguido da Macumba. No entanto, o Arpoador continua resistindo bravamente, o que me vem a lembrar da baita ressaca que resultou no surgimento da Praia do Castelinho, mas voltando à natureza e seus caprichos, vejam que novamente a Praia de Copacabana está na berlinda. Do Posto 4 1/2 ao 6 o mar está engolindo tudo. O que será que vai ser feito. Não escuto ninguém falar nada !!

    ResponderExcluir