Total de visualizações de página

segunda-feira, 7 de junho de 2021

IGREJA DE SANTA MARGARIDA MARIA


As primeiras fotos de hoje, do AGCRJ, mostram aspectos da construção da igreja de Santa Margarida Maria, na Lagoa.

Sua história teve início na segunda metade do século passado. Naquela região existia na época a Capela da Congregação dos Sagrados Corações, situada na Rua Almeida Godinho, uma transversal da Rua Fonte da Saudade. Em 16 de junho de 1939 foi fundada, por decreto do Cardeal Leme da Silveira Cintra, a Paróquia Santa Margarida Maria da Lagoa, sem que houvesse ainda uma igreja para sua sede. A nova Paróquia foi fundada no dia consagrado ao Coração de Jesus tendo a sua instalação ocorrida no dia 18 de junho na capela da referida congregação, sendo confiados a seus religiosos a administração espiritual da mesma. Seu território foi desmembrado das Paróquias de Nossa Senhora da Conceição da Gávea e de São João Batista da Lagoa. 

A pedra fundamental da nova igreja foi lançada no dia 8 de novembro de 1942. No dia 28 de abril de 1944 a igreja em construção foi designada como sede da paróquia, tendo sua obra sido concluída em 1956, ficando o dia 16 de outubro dedicado a padroeira da igreja, Santa Margarida Maria. A construção foi realizada pela firma F.I. Lemos, Arquitetura e Construções, de propriedade de Fernando Iehly de Lemos, arquiteto que fez o seu projeto.

Em 1948, o Pe. Euzébio Van Den Aardweg, tomou posse como pároco e deu início às campanhas de arrecadação de recursos para impulsionar as obras. Os sete primeiros párocos da Paróquia Santa Margarida Maria pertenceram à Congregação dos Sagrados Corações, sendo todos eles holandeses, tendo sido o último o Pe. Teodósio Grondhuis que foi pároco de 1982 a 1993, quando voltou para a Holanda.

Vemos a área no entorno da Igreja de Santa Margarida Maria, na Lagoa, em meados da década de 60, quando estava prestes a acontecer a abertura do Túnel Rebouças. Ali perto daquele grupo de árvores ficava a Praça Alcio Souto. Já vemos o primeiro grande prédio deste trecho da Avenida Epitácio Pessoa, logo após o prédio menor da Obra do Berço. Havia na Lagoa e na Fonte da Saudade uma série de casas muito bonitas que, depois, foram substituídas por prédios de apartamentos. Bem aqui à direita, a casa da professora Heloísa, mestre de inglês de tantos alunos. As aulas eram numa sala sobre a garagem da casa dela, em pequenas turmas de cinco alunos. Era famosa a missa às 18 horas dos domingos nesta igreja. Havia uma profusão de moças bonitas, como a Tininha, a Regina, a Helia, a Magali, a Rita, a Lucia, a Sonia, a Zenir, e tantas outras. A missa era um pretexto para paquerar as meninas.


18 comentários:

  1. Olá, Dr. D' e bom retorno.

    Acompanharei os comentários.

    ResponderExcluir
  2. Talvez esta seja a Igreja mais conservada do Rio de Janeiro. Sempre está com a pintura em dia. A aludida lenda carioca aconteceu com um primo, que ali casou e tempos depois separou-se.

    ResponderExcluir
  3. Estas duas postagens, sobre a Av. Pasteur e a Igreja de hoje, trouxeram boas informações, além da beleza das fotografias. Isto, claro, depois das férias do blogueiro...
    Nas fotos da Avenida Pasteur, um galicismo visual com a presença de um raro Peugeot 403 (encomenda do Rouen?), Rural, Oldsmobile e Austin A-40 no posto da Anglo-Mexicana, que eu não me lembrava, ou nunca soube...

    ResponderExcluir
  4. Não tenho nada a acrescentar ao texto. Apenas fiquei admirado com a citação do nome da garota Helia. Até hoje só conheci uma pessoa com esse nome: uma colega da escola primária. Certamente não são a mesma pessoa, pois a que conheci era uma garota magrinha, de cor negra, moradora no morro da Formiga, na Muda.

    Também tive uma colega do primário chamada Magali. Nome não muito comum, porém mais fácil de encontrar do que Helia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na zona sul as coisas são bem diferentes.

      Excluir
  5. Com exceção das igrejas mais famosas do Rio, ou de arquitetura fora do comum como a de São José ("logo ali") as demais nunca me chamaram a atenção até a idade adulta. E como essa ficou meio escondida nas últimas décadas, para quem só passa nas vias principais, continuou fora do "campo de visão".

    ResponderExcluir
  6. No dia 16 de outubro a Sta. Margarida Maria sofre uma forte concorrência da Sta. Edwiges, considerada a padroeira dos endividados, o que atrai uma parcela cada vez maior de católicos.

    ResponderExcluir
  7. Acompanho amiúde as matérias publicadas neste blog e vejo que há muitas publicações sobre igrejas católicas. Faço uma sugestão ao administrador: Por que não publicações sobre Centros de Umbanda, Candomblé,"mesa branca, templos budistas, sinagogas, universo em desencanto, e igrejas evangélicas?

    ResponderExcluir
  8. Poucas fotos interessantes dos locais citados. Favor enviar fotos do Rio Antigo destes locais. Serão publicadas sem problemas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. Fotos de igrejas católicas são postadas porque além de antigas possuem bonita arquitetura. O que não se pode dizer (em termos de beleza arquitetónica) de centros de umbanda ou kardecistas ou de candomblé ou de templos evangélicos em geral ou da Universo em Desencanto. Esta última, por exemplo, ocupava uma porta num imóvel caindo aos pedaços aqui perto de casa, aliás com várias portas, cada uma com um comércio distinto. Nunca foi demolido porque pelo PA nada poderá ser construído no local.

      Quanto a templos budistas e sinagogas, o Luiz já disse tudo.

      O blog está aberto a todas as contribuições referentes ao Rio Antigo, sem distinção de raça, cor, ideologia, tamanho, país, religião, preferência sexual, altura, peso, etnia, etc

      Excluir
    2. Tem a Catedral Mundial da Fé da Igreja Universal na Avenida Suburbana. É uma construção de grandes dimensões e muito bem cuidada. Em um anexo foi construída uma réplica em miniatura da Jerusalém dos tempos bíblicos.

      Excluir
  9. Exceção da regra meus pais se casaram nessa Igreja em 1957 e só se dissolveu o casal quando ele faleceu em 2019. Lá fui batizado e meus 3 irmãos pelo Padre Leme Lopes .Frequento as vezes ; muito bem conservada, já recebeu uma vez a visita de Roberto Carlos. O carismático pároco dos anos 90, padre Moretto e sua peruca eram uma simpatia.

    ResponderExcluir
  10. Desde que a pandemia começou aqui no RJ, março de 2020, praticamente não saí de casa. Ontem, enfim, fiz um passeio pela Lagoa. Bem cedo estava vazia, mas após as 10h já havia um bom número de pessoas, muitas sem máscara. Foi a deixa para me retirar.

    A parte do Lagoon estava mais tranquila, alguns remadores treinando, mas não havia regata pelo campeonato Carioca.

    Na volta, em direção ao Rebouças, mostrei a Igreja citada ao meu filho, de 13 anos. Nem tem como não reparar nela. Há um sinal de trânsito em frente, que nos faz olhá-la sem desviar o olhar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guilherme, as provas de campeonato estadual de remo são disputadas somente em um domingo do mês. A primeira regata ocorreu em 30/05/21.

      Excluir
    2. Obrigado pela informação, Mauro!!

      Excluir
  11. Não sei o que o Luiz acha mas a Catedral Mundial da Fé está fora do objetivo do blog na minha opinião. Foi construída em 1999 e não é Rio antigo.

    ResponderExcluir
  12. Bom dia a todos. Para mim o melhor desta área são os prédios do início do século passado que sobreviveram ao bota abaixo da região. Do resto a Cidade e o Estado vão se afundando rapidamente, sem a menor perspectiva de mudança de rumo. Veremos como ficará o Centro da Cidade após o controle da Pandemia.

    ResponderExcluir