Total de visualizações de página

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

PUC



 
Hoje temos fotos da PUC, Pontifícia Universidade Católica, na Gávea.
 
A primeira foto, do acervo do Correio da Manhã, é de 6 de setembro de 1962 quando, com um concerto da orquestra da Rádio Ministério da Educação, foi inaugurada a concha acústica da PUC, doada sob iniciativa do Lions Clube. À cerimônia compareceu o presidente do Lions internacional, o Sr. Curtis Lowill. A orquestra teve a regência do maestro Olivier Toni, com a participação do soprano Olga Maria  Schroeter e do violinista Anselmo Zlatopolsky, como solistas.
 
O programa incluiu a primeira audição no Rio de Janeiro do Recitativo e Ária Laudatória de autor anônimo da Bahia (sec. XVIII). O local também recebeu “shows” de música popular, tal como o de maio de 1963, com Edu Lobo, Roberto Menescal, Carlinhos Lyra e Dorival Caymmi.

A concha acústica da PUC tem a forma trapezoidal. Suas dimensões são as seguintes: 16m de comprimento, 13m de comprimento do palco, 5,70m de profundidade, 8,70m de altura da boca, 6,38m de altura mediana e 2,50m de altura de fundo.
 
Na segunda e terceira fotos, do acervo de F. Wunder, vemos a cerimônia de inauguração do busto de John Kennedy, na PUC, em 25 de novembro de 1965, com a presença do Senador Robert Kennedy e sua esposa Ethel. Na véspera, dia da chegada de Bob Kennedy ao Rio, ele colocara uma coroa de flores no túmulo do Soldado Desconhecido, encontrara-se com o Presidente Castelo Branco e jantara com amigos. A hospedagem foi no Leme Palace Hotel. E Mrs. Kennedy, segundo as colunas sociais, comprou um “tailleur” na Elle et Lui!
 
A programação na PUC, iniciada com a inauguração do busto do irmão, foi seguida por um debate com os estudantes (as perguntas tiveram que ser enviadas com 48 de antecedência). Depois do evento na PUC o casal Kennedy compareceu à cerimônia do Dia de Ação de Graças, na Embaixada dos Estados Unidos, seguida de encontro com membros do Corpo de Voluntários da Paz, entrevista coletiva na ABI e jantar na residência do Embaixador Lincoln Gordon.

A segurança era tão diminuta que estas fotos foram tiradas por um aluno, a poucos metros do senador e da sua esposa, sem nenhum problema. Sim, houve um tempo em que os governantes que nos visitavam desfilavam em carro aberto pelo Rio, sem maiores problemas, tal como aconteceu com Craveiro Lopes (1957), Eisenhower (1960), De Gaulle (1964) e a Rainha Elizabeth (1968), por exemplo.

30 comentários:

  1. Não sei se a publicação de hoje foi coincidência ou o Dr. D´ lembrou que ontem fizeram 54 anos da morte de John Kennedy. Esta família é controversa, pois é adorada por muitos por conta de um esquema de marketing muito bem feito. Os Kennedy eram charmosos, bonitos, vendiam uma ideia de renovação se comparados com os Nixon da vida. Entretanto, o pai dos Kennedy, que dominaram a política americana nos anos 60, Joseph Kennedy, mais parecia um mafioso, manipulador dos poderes da república americana. O poder do grupo era tão grande que, naqueles episódios até hoje mal explicados, mataram John e Robert. E o Ted acabou politicamente com o episódio com a jovem Mary Jo em Chappaquiddick.
    Perguntas: esta concha acústica da PUC ainda existe? O busto do Kennedy ainda está lá nos pilotis da PUC?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Plínio, você só esqueceu de mencionar o passado de contrabandista de bebida do patriarca dos Kennedys. Sua maior frustração foi não conseguir levar à presidência dos EEUU do primogênito, morto durante os conflitos da II WW, fato compensado pela eleição do segundo. Este não fugiu à tradição da família e se envolveu com elementos da máfia americana que colaborou com sua eleição, apesar dos alertas do seu irmão, foco da postagem. Na qualidade de Procurador Geral, Bob Kennedy alertou o irmão sobre os perigos dessa promiscuidade, provocando a ira dos mafiosos. Há quem acredite ter sido esse o motivo do seu assassinato, tendo como maior suspeito o mafioso Salvatore Giancana, que também teria sido responsável pela morte da atriz Marylin Monroe. "Tutti buona gente".

      Excluir
  2. O meu comentário é "fora de foco". É de conhecimento geral que o blog "foi um Rio que passou em minha vida" está de novo na net e isso é motivo para a satisfação dos amantes da memória, dos costumes, e dos fatos passados no Rio de Janeiro. Como de hábito, um notório comentarista "deste sítio", já na segunda publicação daquele blog e em razão de um comentário postado por mim, despejou os seus habituais impropérios e "chorumelas" visando como de hábito impor uma censura aos comentários alheios e querendo "ganhar no grito" da mesma forma que age aqui e com isso afugentar inúmeros comentaristas com seus "rompantes". Não faria menção à esse fato desagradável aqui no SDR se não fosse por um detalhe: O comentarista citado além de seus "ataques"costumeiros, sempre visando a desqualificação da minha pessoa, afirmou literalmente que eu era "censurado regularmente aqui neste blog". E a pergunta agora é dirigida à gerência, já que se meus comentários são "regularmente censurados", segundo a afirmação, como ele poderia saber disso, já que não são publicados? Teria ele conhecimento prévio "em off" do teor de comentários alheios, logo onde se prega o "estado de direito e a democracia"? Se isso realmente acontece, está explicada a razão de sua arrogante postura em face de outros comentaristas e esse "patrulhamento ideológico" que mais parece oriundo de "Nicolás Maduro". Fica o registro...

    ResponderExcluir
  3. Ninguém tem "conhecimento prévio em "off" dos comentários não publicados. E esta não publicação só ocorre com comentários com desavenças pessoais exacerbadas, ofensas ou quando são contrários aos princípios mais básicos do bom-senso. Não conheço a maioria dos comentaristas atuais do SDR nem com eles troco correspondências, salvo um ou outro agradecimento por fotos enviadas.

    ResponderExcluir
  4. Peralta,o implicante23 de novembro de 2017 08:45

    Tia Nalu me garantiu que esteve com o Soldado Desconhecido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Peralta, ó conhecido implicante! Tia Nalu aprendeu, desde criancinha, a não falar com desconhecidos.

      Excluir
  5. Essa é uma instituição famosa no Rio, porém nada sei sobre o que tem do lado de lá dos muros. Portanto hoje é dia de aprender aqui no SDR, inclusive que existe concha acústica que não tem formato de concha.
    De acordo com informações na internet, a Sra. Ethel continua viva, aos 89 anos de idade.
    A falta de segurança adequada para as autoridades americanas foi fatal para presidentes e candidatos a esse cargo nos Estados Unidos. E depois do assassinato de Robert Kennedy, quando em 1968 disputava a candidatura pelo Partido Democrata, ainda teve atentado contra o George Wallace 4 anos depois, que o deixou em cadeira de rodas.
    Ronald Reagan também levou uns tiros, já como presidente, que aparentemente não deixou sequelas, mas uma bala "perdida" matou um de seus secretários. Aliás o cara não acertou diretamente no seu alvo nenhum dos 6 disparos. Segundo a apuração, o projétil que atingiu Reagan foi de "tabela" com o carro do presidente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kennedy era membro de uma família americana do tipo "Magalhães", "Barbalho", "Collor de Melo", "Sarney", etc, mas obviamente com uma idoneidade maior e um DNA "caucasiano", item fundamental na terra de "Tio Sam. Tentaram fazer de John um "Herói de guerra" como comandante de uma Lancha Torpedeira". Não lutou em grandes combates e vendeu bem a imagem. A quantidade de atentados contra presidentes norte-americanos mostra a seriedade de um povo que apesar dos inúmeros defeitos, possui um qualidade fundamental: Patriotismo. No Brasil não existem atentados contra presidentes ou políticos, já que o da rua Tonelero foi "fabricado", e leve-se em conta o DNA do brasileiro, já que uma parte é "bovino" e outra parte é venal e se deixa comprar por quinquilharias. Não fosse assim já estaríamos mergulhados em uma guerra civil sem precedentes. Um exemplo disso é apesar da grave crise que vivemos, tivemos no último fim de semana em Copacabana uma "parada gay" com quase um milhão de participantes. Como se pode ver não são ilações ou diatribes, segundo alguns, e sim fatos. E contra fatos não há argumentos.

      Excluir
  6. Desconhecia essa especulação sobre assassinato da Marylin.

    Lembro-me quando pequeno que a mulherada realmente suspirava quando aparecia esses Kennedys.

    Vendo os comentários do embate dos amigos comentaristas me lembrei de uma palestra do filósofo Mário Cortella, que disse: "A democracia dá trabalho..."

    ResponderExcluir
  7. Gostei da resposta do gerente,embora não imaginasse de outra forma.Mas pelo sim pelo não uma negativa firme contra o suposto conhecimento de comentários não aprovados "pela casa".

    ResponderExcluir
  8. Bom dia a todos.
    Bem, não vou citar nada sobre os acontecimentos envolvendo a família Kennedy pois há da necessidade de que seja um estudioso profundo sobre eles e principalmente todo o envolvimento com a Política para poder dizer algo de maturidade e confiável.
    Acredito que os nortes americanos fizeram o que sabem muito bem fazer, ou seja, transformar algo ou uma pessoa em um grande mistério e lucrar com tudo isso.
    Já ouvi da boca de inúmeras pessoas e inclusive nos meios de comunicação todo tipo de coisa envolvendo os Kennedys que eu fiquei com a impressão de que nada sei sobre nada, pois a maioria das pessoas sabe tudo de tudo.
    Assim como Hitler, Stalin, e outros, os há muitos mitos sobre os Kennedys, e não serei eu a solucioná-los.
    Quanto aos tempos atuais, fico eu aqui pensando qual busto seria posto em um campus universitário hoje em dia: Ludmilla? MV BILL? Lula? Dilma? Aécio? Maduro?
    Vá saber.
    Em relação a segurança narrada no texto, isso é em função de que o mundo mudou e mudou muito.
    Além de existirem uns 8 bilhões de pessoas no planeta em 2017, há que se dizer que em fins dos anos 60 para cá cada vez mais o mundo foi ficando mais perigoso.
    Talvez com avanço dos atentados terroristas no mundo, e isso desde o fim da década de 60, e o aumento e fortalecimento da criminalidade, fizeram tomar outros ares.
    Hoje em dia, Políticos, Artistas, e por que não dizer também os Atletas, vivem em uma verdadeira redoma de vidro, completamente cercado e sem mais aquele chamado "calor humano" de outros tempos.
    Enfim... o mundo mudou.

    ResponderExcluir
  9. Lembro de ter sabido da morte do Kennedy quando estava no ginásio do Flamengo, na Gávea, assistindo um jogo de basquete. Salvo engano, naquele dia havia uma greve de rádio e TV e as notícias eram difíceis de conseguir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A morte de Jack Ruby diante das câmaras de televisão cheira à queima de arquivo.## Wolfgang, quanto aos bustos ou estátuas em praças, faltaram na sua lista Fernando Beira Mar, Nego do Borel, Tati Quebra-barraco, Nem da Rocinha, Chiquinho da Mangueira, e muitos outos "heróis nacionais"...

      Excluir
    2. O Jack Ruby matou o Lee Oswald na frente das câmeras. Ele também foi morto desse jeito?

      Excluir
    3. Como o autor da informação não corrigiu fique claro que Jack Ruby, dono de uma casa noturna, morreu de câncer na prisão. Foi apenas um "cochilo" do informante.

      Excluir
    4. Não, eu troquei os nomes, pensei no Oswald e acabei escrevendo Ruby. Quando se beira os sessenta, isso pode acontecer...

      Excluir
  10. PUC, universidade onde estudei e que muito aprecio. O busto ainda está lá e a concha idem. Campus de uma real universidade (e não prédio com padaria) . Bons tempos passei entre 1977 e 1981. Quanto aos Kennedy, curioso não se dar muita bola para o fato de JFK ter levado 2 tiros. Um esfacelou o cérebro e o segundo entrrou pela nuca e saiu pela traqueia, mas a traqueostomia oculta disfarçou. Com todos os pesares da família, era uma liderança e teve seu papel positivo. Quanto ao SDR frequento com muito prazer esse local, onde sou muito bem tratado e aprendo com as imagens e comentários. Mais uma vez parabéns ao Luiz pela manutenção e condução do SDR que é muito superior a eventuais divergencias. Vida é muito curta!

    ResponderExcluir
  11. Bom dia a todos. Lembro do alvoroço quando da notícia em edição extraordinária do Repórter Esso. Nas ruas comentários gerais, onde todos afirmavam ter sido a máfia a mandante do assassinato, versão que muitos acreditam até hoje. Me lembro a noite em casa na TV, acho que no dia seguinte ou mais adiante, algumas fotos e/ou filmes do crime. Esta família através do tempo, tem tido muitos dramas e problemas envolvendo vários membros do clã, já ouvi muitos comentários que tais problemas estão relacionado com a lei do retorno, ou aqui se faz, aqui se paga.

    ResponderExcluir
  12. Pois é Wolf,estou com voce.Assim como aparece aqui volta e meia a Teoria da Conspiração do futebol brasileiro,também na história dos Kennedy ela se faz presente como nunca.E tem gente que jura por todos os santos que suas versões são as mais legítimas possíveis.Sempre que vejo estas cantilenas me lembro de uma nota de 3.A morte da Princesa Diana, o 11 de Setembro e muitos outros fatos se alinham dentro de crendices e especulações que acabam rendendo também grana,através filmes, livros,palestras e o escambau a quatro. Como sei que não sei,morro de ri e continuo dizendo que considero tudo um grande espanto!!!Em tempo: Elvis não morreu!!!

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde a todos.

    Passo em frente quando vou ao IMS. Uma vez ou outra passei por dentro para cortar caminho. Vejo as obras paradas do metrô que facilitaria a vida de muitos por ali.

    Sobre os Kennedys, ô família para atrair ocorrências. O último que me lembro foi o filho do próprio JFK, morto em um acidente meio obscuro de avião.

    ResponderExcluir
  14. "Ao mestre, com carinho.23 de novembro de 2017 14:40

    Apenas uma sugestão:
    Uma das maravilhas do Café Filosófico:

    https://vimeo.com/27702137

    ResponderExcluir
  15. Segundo me informaram,duas belas exposições com fotos do Augusto Malta aí no Rio.Tenho quase certeza que o Augusto não vai deixar passar.

    ResponderExcluir
  16. F.f. Adriana Anselmo está "na gaiola" em Benfica. A conversão da prisão domiciliar em regime fechado de deu por conta de decisão de desembargadores do TRF segunda região em seção extraordinária.




















    ResponderExcluir
  17. Na hora do almoço hoje, eu estava em uma recepção de consultório de dentista, quando uma edição de jornal regional informou que as (ex?) autoridades estaduais do RJ estavam reclamando do barulho de bailes funks na vizinhança da prisão de Benfica. Não consegui segurar um sorriso mais largo, apesar de recepção ser lugar de espera tensa. Os poderosos que durante anos tinham tudo para limitar os decibéis desses eventos barulhentos, agora estavam experimentando o veneno que permitiram espalhar para todos os lados, com certeza por motivos eleitoreiros.
    E o noticiário está falando que estão presos os 3 ex-governadores. Na verdade entre o Garotinho e o Garotinha tivemos a Benedita, que ainda está livre. Ainda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo,vc estava tenso na recepção do dentista?Ceará,individuo,fica bem relaxado na recepção do proctologista.....

      Excluir
  18. Boa noite Dr. D', leitores e comentaristas.

    A propósito do tema segurança, meu pai, nascido em 1918, comentava que o Presidente da República era visto caminhando sozinho na av. Atlântica, sem nenhuma preocupação. Não posso precisar o ano nem o Presidente. Consultei via Google a listagem de todos desde seu nascimento e o nome que pareceu mais familiar foi o de Artur Bernardes, cujo mandato encerrou-se quando meu pai tinha 8 anos e minha mãe nascia.

    Se conseguirmos eleger alguém com vontade de atacar os reais problemas de nossa nação, talvez estes dias voltem, porém, sem candidaturas autônomas, nunca chegaremos lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembro pelo menos por duas vezes ter cruzado com o Presidente Dutra quando eu vinha do Colégio Rio de Janeiro na Nascimento Silva. Ele sempre carregava uma bolsa de feira com listras verticais coloridas. Ele cumprimentava a todos, a garotos de bicicleta como eu e também às empregadas. Outro que passeava por Copacabana perto do Forte era o Vice-presidente Café Filho.

      Excluir
  19. Isso é verdade. Não existem "salvadores da pátria". Acho Bolsonaro de certa forma um falastrão pois não conseguirá governar com esse congresso que está aí. Aliás com congresso nenhum. Artur Bernardes era um ditador e Washington Luiz era tíbio e pusilânime. Era chegada a hora de Vargas, um ditador. Os melhores governantes que o Brasil já teve eram ditadores, militares ou civis. E nesses governos ditatoriais foram justamente quando o Brasil mais prosperou.

    ResponderExcluir
  20. Opinião cada um tem a sua. Mas os militares deixaram o país com uma dívida astronômica é totalmente aparelhado. Fizeram o espelho do PT neste quesito. Ditador bom é utopia.

    ResponderExcluir
  21. Esse busto do Kennedy na PUC ainda existe?

    ResponderExcluir