Total de visualizações de página

quinta-feira, 4 de abril de 2019

PRAÇA SAENZ PEÑA




 
Fotos da Praça Saenz Peña, do acervo do Correio da Manhã, entre 1966 e 1972.
A praça foi inaugurada em 1911, pelo prefeito do então Distrito Federal, Bento Ribeiro, quando o antigo Largo da Fábrica das Chitas foi rebatizado como Praça Saenz Peña, tendo sido o seu primeiro projeto paisagístico de inspiração francesa.
A praça recebeu esse nome em homenagem ao presidente argentino, Roque Sáenz Peña, eleito em 1910 e que serviria até 1914, tendo falecido antes de terminar o mandato.
As imagens são do dia a dia da Tijuca daqueles tempos. Sem sobressaltos o senhor podia ler o jornal,  o lambe-lambe esperar fregueses, a mãe bater uma bolinha com o filho sob o olhar de alguém com rádio de pilha(?) e até estacionar junto à praça.

16 comentários:

  1. Qual a razão da cidade homenagear tantos argentinos ?
    No Leblon temos a rua San Martin que foi um general argentino..
    Os governos passados tinham tanta afinidade com los hermanos.

    ResponderExcluir
  2. Imaginei que o SDR escreveria alguma coisa sobre os rádio-ginastas, antes de se debruçar sobre este hoje movimentado lugar.
    Minhas tias-avós, com quem convivi longamente para dar trégua à minha mãe, faziam ginástica todo dia, com bastão e fazendo os exercícios seguindo a locução pelo mapa de posições em um quadro enorme dependurado atrás de uma porta.
    O piano que acompanhava as aulas de Oswaldo Diniz Magalhães - solidificado em bronze na estátua da Praça Saens Peña - era fantástico e eu, embora atrelado desde sempre à Lei do Menor Esforço, achava aquilo ótimo. Fizesse eu os exercícios e teria me saído muito melhor nas atividades físicas do CMRJ, quando o Reinado da Preguiça foi devidamente derrubado das nossas mentes.
    Na primeira foto, vemos um Corcel dos primeiros 68-69, atrás de um DKW Belcar 67, com seus 4 farois.
    Na foto da estátua, um rabo de Simca Chambord quase escapa do fotógrafo, enquanto um DKW não se apresenta por inteiro.
    Na foto futebolística, um Fusquinha e dois Aero-Willys 2600 dizem que estamos no final dos anos 60.
    E na última foto, um Karmann-Ghia 1600, com quebra-vento, 71, ou perto, se impõe pela beleza a Fuscões 1500 e Opala. E o caminhão da Pioneiras Sociais está se preparando para receber os doentes, ou seria um consultório dentário móvel

    ResponderExcluir
  3. "Eram outros tempos"! Uma época onde a tranquilidade mostrada nas fotos dispensa maiores comentários. A terceira foto mostra o local exato em frente ao Cinema Olinda, onde naquele ano de 1972 minha mãe cometeu a "proeza" de arrancar a porta de um táxi, o que me deu o maior susto, já que eu estava com o braço para fora da janela do Fusca. Naquela época o fluxo do trânsito dos veículos que vinham da região da Usina em direção ao centro da cidade era obrigado a contornar a praça, pois a pista de subida na parte em frente as Lojas Americanas e ao "Palheta" era em mão única e em duas pistas. Naquele tempo era possível contornar a praça, retornar em frente ao Cinema Olinda ou subir a Desembargador Isidro. Atualmente essa manobra é impossível, já que a pista de subida que antes era em mão única é atualmente em mão dupla. Não havia "crackudos", vagabundos, pivetes, ou assemelhados e apesar da grande quantidade de cinemas e de casas comerciais, não havia qualquer problema. Atualmente a degradação da praça com a presença de vagamundos e marginais diminuiu radicalmente com o "Tijuca Presente". Mas ainda assim eu mantenho atenção especial: Não permito a aproximação de indivíduos de "aparência suspeita" ou do "tipo crackudo" sem encara-los fixamente de cima a baixo. Se estiverem mal intencionados vão pensar duas vezes, pois perderam o elemento surpresa.

    ResponderExcluir
  4. Bom dia, Dr. D'.

    Passei pela praça durante alguns anos indo ou voltando do trabalho. Uma vez fui no self service do Café Palheta.

    A foto "mais recente" é de 1972. Menos dez anos depois a praça sofreria intervenções radicais por causa do metrô.

    ResponderExcluir
  5. O nosso amigo do jornal está conferindo a seleção para o jogo final contra a Itália,um tremendo mamão com açúcar.De ginástica sou vacinado desde sempre e viva o sobrepeso e enquanto o cara escuta o Manhã na Globo vou pegar aquele Karmann mais bonito que colo de princesa.Grande espanto!!!!

    ResponderExcluir
  6. O local da última foto onde aparecem os carros estacionados é em frente a esquina da Carlos de Vasconcelos, onde hoje existe uma cabine da Polícia Militar. O "correr dos prédios" que aparecem ao fundo continua da mesma forma. Fora da foto e à esquerda do letreiro da Bemoreira, ainda existe uma vila de casas do início do Século XX cuja entrada é imperceptível à primeira vista, mas é um conjunto arquitetônico bastante interessante. FF: Mais uma vez fica difícil dissociar torcedores do Flamengo de facções criminosas. Não é de hoje que o governo precisa investigar o que está por trás dessas quadrilhas, pois supõem-se que interesses bastante poderosos podem encobrir crimes bem mais graves do que simples vandalismo de torcidas. Como curiosidade e "ao contrário do usual" nesses eventos, registre-se o perfil dos torcedores do "Boca Juniors"...

    ResponderExcluir
  7. Nos idos de 72, fui com minha mãe nesse ônibus das Pioneiras Sociais. O médico verificou se eu tinha "fimose". Fiz também uma carteirinha com o tipo sanguineo. Na penúltima foto, "O Homem que veio do Futuro"!!! estava conversando com alguém no "celular". Explicando como era a bucólica Tijuca no início dos anos 70...

    ResponderExcluir
  8. Me lembro de cada detalhe, incluindo o lambe-lambe - que resistiu lá até o final dos anos 1980!
    Comentário de Mauro Salgado.

    ResponderExcluir
  9. Do lado oposto e ao lado do "Palheta" havia o Tijuquinha, cinema "poeira" que na época das fotos já tinha se transformado em "Tijuquinha das frutas", antes de ser demolido por ocasião das obras do Metrô.

    ResponderExcluir
  10. Corneteiro Velho4 de abril de 2019 13:15

    Não mereceu vencer e ainda pagou o preço da falta de competência levando o gol que bagunçou o grupo.Quando ficou com um a menos o empate já era bom pois mantinha diferença de 3 pontos e agora inês é morta.Não soube sair da marcação e insistiu no jogo pelo meio ficando sem finalizar com o goleiro uruguaio não fazendo defesa nenhuma de porte maior.Não jogou bem e com este time milionário o jogo tem que outro e vai ter que tomar cuidado com o Fluminense para não ficar no desejo até no carioquinha.

    ResponderExcluir
  11. Observador Esportivo4 de abril de 2019 14:22

    Defesa fraca, meio de campo confuso, ataque cheio de estrelas e de estrelismo.
    Gabigol e Bruno Henrique são despreparados emocionalmente e inconsequentes. Gabigol na temporada passada recebeu o troféu de pior jogador estrangeiro da Itália.
    Abel está perdidinho. Não sabe o que fazer dos dois mais caros, Arrascaeta e Vitinho.
    Se perde para o Fluminense o moral vai ficar tão abalado que a Libertadores vai pro brejo.
    Alguém tem notícias do Landim?

    ResponderExcluir
  12. Boa noite a todos. Mesmo sendo Tijucano nunca gostei da Praça Saens Pena, sempre a achei um local mal arrumado mesmo nos anos 60, hoje então com as estações do metrô e as obras do Cesar Maia, ficou pior ainda, agravado pelos camelôs, feirinha, desocupados e os postes da G.M. o tempo todo olhando os celulares e sem fazer nada.
    FF. Chega a ser de dar dó o atual futebol brasileiro, o Flamengo que é endeusado pela mídia, que tenta empurrar goela abaixo jogadores horríveis, eu disse horríveis, ou seja nem medíocres são, como craques, como o time de melhor elenco do Brasil. Aí vou ver o passado recente destes "pseudos craques", nenhum deles chegou a jogar uma temporada na Europa, foram para lá e em menos de um ano foram chutados de volta para o Brasil. O imbecil do Gabi Gol, sim só pode ser um imbecil, o jogador que faz aquela falta na lateral do campo, com a bola indo na direção da lateral, deveria ser multado em 100% dos seus salários e colocado no banco por 3 meses. E caso o time seja eliminado da Libertadores, deveria ser penalizado nos demais meses, recebendo somente 10% do salário, em virtude do prejuízo causado ao clube. E olha que eu só me martirizei assistindo o 2º tempo da partida. Eu não assistia a jogos de times brasileiros desde o ano passado, e acho que não assistirei mais nenhum até o final do ano. Desde o ano passado cancelei a assinatura dos canais Premier, para não jogar dinheiro fora. Ao Corneteiro Velho, recomendo comprar um trombone para fazer mais barulho, ao Observador Esportivo, recomendo comprar um telescópio interestelar para ver se consegue observar alguma coisa de útil no futebol brasileiro. E como todo mundo sabe eu não sou Flamengo, fico imaginando os flamenguistas como estão se sentindo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para que serve a GM? Quando foi criada era para proteger o patrimônio público (e só!). Construções pixadas, mobiliário urbano depredado, qualquer objeto metálico roubado, calçadas cheias de camelô, ruas cheias de mijo e cocô. E não adianta se queixar com ele que você foi assaltado ou quase atropelado. Ele vão dizer que não é com ele.

      Excluir
  13. Os dois expulsos deveriam ser multados e a conduta deles deveria ser condenada publicamente. Mas ficam cheios de dedos com essas "estrelas".

    ResponderExcluir
  14. Enquanto as autoridades esportivas n]ao punirem os clubes a baderna não acabará.

    ResponderExcluir
  15. Cresci nessa região. Meus avós moravam na Andrade Neves. Minhas lembranças e fotos não caberiam aqui. Dariam um pequeno livro.

    ResponderExcluir