Total de visualizações de página

quinta-feira, 19 de abril de 2018

EXPO 1908




 
Dezenas de fotos já foram publicadas no “Saudades do Rio” mostrando a Expo de 1908. Mas tal é a qualidade destas fotos de Malta que vale uma revisitada neste tema hoje e amanhã.
Esta exposição, montada entre os morros da Babilônia e da Urca, pretendia, além de comemorar o Centenário da Abertura dos Portos, mostrar para o mundo a beleza e as qualidades da moderna capital da jovem República brasileira.
Depois das reformas de Pereira Passos, a cidade estava pronta para representar o Brasil e exibir toda a sua exuberância. A intenção foi atrair o olhar estrangeiro, visando buscar libras e francos para consolidar, ainda mais, a independência.
Em menos de um ano construíram-se imponentes edifícios para abrigar estandes exibidores da produção econômica brasileira. Montaram-se dois restaurantes, um teatro, cervejarias e café, além de uma pequena via férrea, para que o público pudesse locomover-se em trenzinhos. À noite havia queima de fogos.

16 comentários:

  1. Fotos espetaculares que podem sempre ser postadas novamente. A lamentar a cessão do terreno para construção do Iate Clube que fez a cidade perder um belo local.
    E também a demolição da maioria dos pavilhões.

    ResponderExcluir
  2. Fácil imaginar o que aconteceria hoje em um evento com propósito parecido.As Olimpíadas e Copa do Mundo passaram perto e todo mundo viu o que ocorreu.E tem muita gente que gostaria de uma nova oportunidade para se dar bem....
    Fotos show..

    ResponderExcluir
  3. Naquele tempo o Brasil "ainda tinha jeito". Eu agora dificilmente comento sobre "como seria se"...Não comento porque é inútil "chorar o leite derramado". Leite? Que leite? Mas era um Rio de águas limpas, de políticos sérios, e que ficou nos registros como os encontrados "neste sítio".

    ResponderExcluir
  4. Bom dia.

    Os acervos do Arquivo Nacional e da Brasiliana Fotográfica (BN e IMS) têm nos proporcionado revisitar as fotos clássicas com riqueza de detalhes.

    ResponderExcluir
  5. Bom dia ! Acho que essa exposição, juntamente com a de 1922, devem ter sido importantíssimas para a divulgação do Brasil no exterior. Uma pena é que de tantos prédios admiráveis que foram construídos, tenha sobrado tão pouco para contar a sua história...

    ResponderExcluir
  6. O trecho que aparece na primeira foto faz lembrar uma aldeia bucólica à beira do mar. O acesso ao forte junto ao Morro Cara de Cão parecia ser bem precário.
    Tinha até uma versão arredondada do Palácio Monroe, que aparece embaixo na foto 2 e no centro da foto 4, com bandeira das cidade do Rio de Janeiro, então Distrito Federal.

    ResponderExcluir
  7. A próxima oportunidade de se fazer uma grande festa no Brasil vai ser em 2022, ano do Bicentenário da Independência. Mas corre o risco de ser bem simples, por falta de interesse, se não puderem superfaturar, continuarem a prensa sobre "Caixa 2" ou até mesmo não voltarem com as doações eleitorais permitidas às empresas. Para mim as doações legais também podem significar promiscuidade entre os partidos e o doador de campanha. Isso em qualquer lugar do mundo.
    Ainda tem aqueles casos de interesse em valorizar determinadas áreas da cidade com eventos comemorativos e obras de infraestrutura, locais onde previamente autoridades e amigos fazem investimentos em propriedades desvalorizadas antes dessas serem escolhidas para a revitalização. Dizem que essa tática vem de longe e não só no Rio.

    ResponderExcluir
  8. Alguns prédios das exposições de 1908 e 1922 eram construções toscas e muitas não possuíam estrutura sólida. Não eram todas mas a maioria. Por isso foram construídas rapidamente e mais rapidamente ainda demolidas. O custo era muito menor.

    ResponderExcluir
  9. Alberto Campos Reis19 de abril de 2018 11:37

    A Expo de 1908, tinha muito mais a celebrar do que o centenário da abertura dos portos. Na verdade as Expo's que inicialmente foram criadas no século XIX por volta de 1850, na verdade tinham como principal objetivo dos países que a organizavam, e os primeiros a fazer uso delas foram a Inglaterra e a França. A divulgação e apresentação de seus novos produtos advindos da recente Revolução Industrial, para que os mesmo passassem a ser conhecidos e consumidos por outros Países. A do Brasil, também não foi diferente, sendo que esta buscava também, divulgar a imagem da nova República e da modernização da Cidade do Rio de Janeiro. Na verdade as Expo's Internacionais, foram o início das grandes Exposições Internacionais que hoje se espalham pelo mundo, porém devido a expansão da indústria mundial, estas passaram a abranger setores específicos da Indústria, como o de automóveis, máquinas industriais, agrícolas, eletro eletrônica, informática, sendo que algumas devido ao rápido avanço das inovações, são realizadas anualmente e em mais de um País, como no caso dos automóveis, outras bi anuais e até de 4 em 4 anos.

    ResponderExcluir
  10. Malta era um craque. Putz, que beleza de fotos!!! Plinio, o terreno nas margens da baía que aparece na terceira foto ainda não é o do Iate Clube. Foi feito outro aterro no início dos anos 30, que foi cedido ao Fluminense Yacht Club.

    ResponderExcluir
  11. O Rei de Portugal e o Príncipe herdeiro, descendentes de D.João VI, participariam se não houvessem sido assassinados por republicanos neste mesmo ano.

    ResponderExcluir
  12. A cada dia chego a conclusão que este time do Flamengo é composto por um monte de vampiros e enganadores e que a torcida vai passar mais um ano no sofrimento.Depois do treino com a massa presente para o apôio o time dá um vexame ao empatar com o Santa Fé que não cabe nem na segundinha do Brasil .Mandaram embora uma pequena amostra e ficaram com um bando de jogadores que deviam estar na barca e não estão nem aí para os jogos ridiculos de produtividade zero.Não ganhou porque não mereceu e se não chegar um tecnico para botar ordem na casa vai ficar assim.Está na hora da diretoria tomar decisões de fato e eu já estou ede saco cheio de tanto mimimi.

    ResponderExcluir
  13. Era montar e desmontar,hoje é superfaturar construir mal e desabar.

    ResponderExcluir
  14. As estruturas em sua grande maioria foram pensadas para serem provisórias, assim como as da Expo de 1922.

    Para 2022, não corremos esse risco já que as comemorações provavelmente serão em Brasília ou lá no Ipiranga (o bairro, não o posto).

    ResponderExcluir
  15. Do jeito que coisas estão indo as comemorações, prevejo que um grande tropel da cavalos ocorrerá nos corredores do congresso nacional, com militares munidos de relho açoitando políticos acorrentados.

    ResponderExcluir
  16. Chegamos a um ponto onde qualquer pessoa sensata não vislumbra outro futuro para o Brasil. Como foi afirmado por um comentarista no site do André Decourt outro dia, a Austrália foi uma antiga colonia penal que "deu certo". E eu acrescento "pacificamente. Mas com esse povinho tupiniquim, tirem o cavalo da chuva...

    ResponderExcluir