Total de visualizações de página

sábado, 1 de junho de 2019

RUA SIQUEIRA CAMPOS

 
Ontem o Masc comentou aqui sobre a Rua Siqueira Campos. Já não lembro se esta fotografia já foi publicada, mas vale a pena falar sobre ela.
 
Contou o Masc sobre os armazéns de "secos e molhados", que ele passava todo dia na porta do Mar e Terra na Rua Siqueira Campos. Perto da Tonelero havia uma loja que vendia galinhas (vivas, lógico). Isso no final dos anos 60 começo dos 70. A Siqueira Campos era um enclave do subúrbio na moderna Copacabana, contando inclusive com serrarias.
 
Diria mais: havia antes do supermercado o cinema Flórida, onde assistia "Duelo de Titã", na esquina da Copacabana o famoso Café Pernambuco. Também havia uma loja que vendia boletos de uma antiga Loteria Esportiva que durou poucos anos e foi depois substituída pelo atual modelo.
 
O Centro Comercial de Copacabana já estava lá atrás, na esquina da Praça. Por estes trilhos passava o bonde 14, o General Osório, indo e vindo de Botafogo pelo Túnel Velho.
 
 

20 comentários:

  1. Bom dia, Dr. D'.

    Só passei por essa parte de Copacabana depois da inauguração da estação do metrô e mesmo assim pouquíssimas vezes. Ia mais no Posto 3 e no Forte.

    FF: piada pronta do dia - o ex-PMDB, atual MDB, quer mudar o nome para "Movimento"...

    ResponderExcluir
  2. Bom Dia ! Voltando quase recuperado, só a dobradiça do joelho é que insiste em continuar doendo. Este Magirus /Vieira, já foi alvo de discussões. Onde seria o seu ponto final? Eu ainda acho que era uma linha circular.

    ResponderExcluir
  3. Ontem mencionei as mazelas da região da Siqueira Campos e quem circula por lá percebe-as facilmente. O chamado "Shopping dos Antiquários" mostra uma evidente decadência, seja das instalações, seja na ordem pública, seja da população circulante. Subindo a rua, as oficinas mecânicas vão se multiplicando e logo se vê moradores de rua. Mais adiante temos a rua Ministro Alfredo Valadão, onde curiosamente funciona o "Valadão", um bingo clandestino na beira da rua onde folders coloridos de propaganda anunciam os prêmios e promoções, além dos serviços de restaurante e de motorista. Bem em frente existe uma das subidas da Ladeira dos Tabajaras, onde é possível encontrar imóveis "com vista para o mar" por cerca de "módicos" 50 mil reais. Esses são alguns aspectos do glamuroso "lado B de Copacabana".

    ResponderExcluir
  4. Com certeza esta fotografia já foi publicada. Até pensei, na outra publicação, que este senhor de óculos caminhando poderia ser um tio, irmão de meu pai. Mas meus irmãos afirmaram que não.

    ResponderExcluir
  5. A fotografia é já dos anos 60, com um Fusquinha e uma camionete DKW com frisinhos na mala, aparecendo modestamente.
    O carrão - e esse era, sem dúvida, um carrão - é um Oldsmobile 1956, provavelmente um Super 88. Os Oldsmobile começaram um escalada de potência nos motores e nesse 56 tinha 240 HP, em um motor de 5,3 litros. No ano seguinte, o motor de 300 cavalos já estaria disponível e até o choque do petróleo de 73 toda a indústria americana oferecia, no topo, motores de 7 litros e quase 400 cavalos.
    Em destaque, um lotação Magyrus-Deutz, com motor a óleo Diesel e refrigerado a ar.
    Ainda vemos um Mopar fazendo a conversão e um furgão Ford F-1 estacionado.

    ResponderExcluir
  6. A foto ja foi publicada sim e lembro bem dela em razão do dentista anunciado a esquerda e pela presenca deste lotação,mais feio que sapato de padre.No mais,tempo chuvoso e a prefeitura fazendo serviço a meia boca.

    ResponderExcluir
  7. O lugar é horroroso. Nem parece Copacabana. Mas a beleza e a classe do Oldsmobile (55?) salvam qualquer ambiente.

    ResponderExcluir
  8. Entendo tanto de autos que jurava que o bonitão ai seria um Opel...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tirando o tamanho, não estava longe. O Opel 57 bem que lembrava essa boca do Oldsmobile; ambos eram projetos da GM.

      Excluir
  9. Todos os bondes que se dirigiam à Ipanema e Copacabana seguiam forçosamente pela Siqueira Campos desde 03 de Setembro de 1962 em razão do início da circulação dos Trolley-bus na zona sul. Aliás acho que resolvi a dúvida que existia em relação às linhas de bonde da região que circularam entre 2 Março de 63 e 21 de Maio daquele ano, período esse em que os dois sistemas "conviveram". Mais adiante vou me estender no tema.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Continuando o comentário anterior, os Trolley-bus ao saírem do terminal da Erasmo Braga tomavam a Avenida Beira Mar enquanto os bondes seguiam pela Augusto Severo e mantinham o antigo trajeto pela Marquês de Abrantes e Praia de Botafogo até Clemente, Real Grandeza, e Túnel Velho. Já os Trolley-bus após a Avenida Beira Mar seguiam pela pista externa da Praia do Flamengo, Oswaldo Cruz, e pista externa da Praia de Botafogo, quando então tomavam a Rua da Passagem, General Góis Monteiro, e Túnel Novo. Nenhum bonde mais circulou desde então nas Ruas da Passagem e General Polidoro. O trajeto do Bonde 21 Avenida, que deixou de circular em 21 de Maio de 1963 que tinha seu trajeto de volta do Leblon por Copacabana, Siqueira Campos, Túnel Velho, Real Grandeza, General Polidoro, Rua da Passagem, e Praia de Botafogo, e que foi a última linha que circulou na Zona Sul, passou a ter o trajeto de volta pela Bartolomeu Mitre, Jóquei Clube, Rua Jardim Botânico, Humaitá, Voluntários da Pátria, e Praia d Botafogo, retornando pela São Clemente. Essa linha, que era circular, fazia até então um "rodo" pela zona sul, entrando pela São Clemente, passando pela Gávea, Leblon, Ipanema, Copacabana, Siqueira Campos, Túnel Velho, General Polidoro, Rua da Passagem, e Praia de Botafogo. Com essa alteração ele deixou de ser circular e ia e voltava do Leblon por Botafogo e Humaitá. Com a extinção total do sistema de bondes na zona sul
      21 de Maio, novas linhas de Trolley-bus foram inauguradas, com trajetos que substituíram os dos antigos bondes e outros novos.

      Excluir
  10. Então aí é a Copa dos menos abastados.

    Pelo comentário do Biscoito calculo que esse Oldsmobile devia fazer 1 km/2 litros.

    Mauro, força com a chicungunia. Minha esposa teve e também padeceu dessas consequências. Até hoje não entendi porque o "fumacê" acabou...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wagner,Até onde sei o fumacê pulverizava as árvores quase sempre à noite. Ali estavam carrapatos que envenenados com o produto acabavam envenenando os pássaros que os comiam. Os pardais por exemplo foram quase extintos,ainda hoje não conseguiram se recuperar. E os mosquitos? Não é nem nunca foi nas árvores que eles se abrigam. Acho que a forma correta de controlar os mosquitos é no estágio de larva. Você coloca varias vasilhas (fundo de pet por exemplo) em alguns lugares. Os mosquitos vão encontra-las e depositar seus ovos ali. Quando as larvas começarem a subir e descer, está na hora de transferi-los para uma garrafa pet com água até o meio.Feche com a tampinha e diariamente observe a evolução das larvas até que se transformem em mosquitos.Deixe que fiquem por lá mesmo em mais ou menos 8 dias estarão todos mortos.Eu consigo em média impedir a circulação de uns 40 mosquitos por garrafa.

      Excluir
  11. Corneteiro Velho1 de junho de 2019 12:57

    Estou como sempre injuriado.O Flamengo vai pagar mais de um.milhao para este portugues e acha que vai dar conta do recado.O Flamengo deveria ver que seu maior problema e estar justamente inflacionando o mercado pagando quantias estratosféricas a jogador meia boca e que nao trazem retorno.Vamos colocar os pés no chao e trabalhar com um time que vai correr de fato e buscar títulos de fato.Continuo dizendo que a relação custo benefício atual é ridícula.

    ResponderExcluir
  12. A final de hoje foi meio decepcionante, mas compreensível dadas as circunstâncias. Um pênalti controverso logo no começo do jogo já deixou a situação mais favorável ao Liverpool. O Tottenham voltou melhor no segundo tempo e até merecia ter empatado antes de tomar o segundo gol.

    ResponderExcluir
  13. Siqueira Campos é meio Copacabana antiga. Cheira a Gaio Marti e a posto médico para tomar vacina com seringa de vidro. Loja de conserto de bicicleta, borracheiro 24 HS. Hoje o que me irrita são os veículos parados em fila dupla , ferrando o trânsito , justo na hora em que o guarda foi dar uma volta. Lembro do Teatro Tereza Rachel no shopping onde os mutantes tocavam e o fog quando começava o show era forte. Depois veio a Bella Blu. Minha avó ia a missa numa igreja no topo do shopping dos antiquários .não vou lá creio que desde 1967.

    ResponderExcluir
  14. Boa lembrança o café Pernambuco, parada para um cafezinho com os colegas do IBEU da Av. Copacabana (acho que no térreo era a Casa Mattos), depois da aula. Cinema Flórida e um restaurante onde nunca entrei mas já comentei aqui: tinha um balcão onde os pratos passavam na frente dos clientes sentados em banquetas. Em 1966 um professor qualificou a rua como "zona de degradação urbana". Um exagero, acho mais que era a porta dos fundos ou subúrbio de Copa.

    ResponderExcluir
  15. A Bella Blu conseguiu a proeza de ficar badalada assim que foi inaugurada, mesmo nessa rua. Freqüentada por gente da Globo e artistas. O segredo? Ibrahim Sued era um dos sócios... Se o GMA esteve na igreja do Shopping em 67, ainda não estava envidraçada, era complicado nas noites de inverno ou dias de chuva de vento.

    ResponderExcluir
  16. lembro-me muito bem da loja que vendia galinhas vivas. Eu nasci na rua em frente, Rua Tenreiro Aranha!

    ResponderExcluir